14
maio
17

Com clássicos, faixas mais recentes e muito peso, Slayer reina soberano no Maximus Festival

Slayer em SP - Foto: Roque Reverso/Flavio Leonel

O Slayer passou pela cidade de São Paulo e foi uma das atrações principais do Maximus Festival 2017, realizado no dia 13 de maio no Autódromo de Interlagos. Com uma performance recheada de clássicos da carreira, faixas do disco mais recente e, sobretudo, muito peso, a veterana banda norte-americana de thrash metal reinou soberana no evento repleto de nomes que iam do hardcore e o punk a vertentes distintas do heavy metal.

A apresentação do Slayer ganha ainda mais em importância, se for levada em conta a sucessão de obstáculos que o grupo foi obrigado a enfrentar nos últimos anos.

Após a morte do guitarrista Jeff Hanneman e da saída do baterista Dave Lombardo, ambas em 2013, houve quem apostasse num provável fim da banda com o decorrer dos anos, mas, quem esteve em Interlagos, conseguiu observar que os veteranos do thrash ainda têm muito gás e qualidade para proporcionar.

Não que este sentimento não tivesse já sido observado quando o Slayer passou em 2013 pelo Rock in Rio e no show que fez com o Iron Maiden em SP, mas, no Maximus Festival, após lançar em 2015 o ótimo álbum “Repentless”, havia uma certa curiosidade pra saber como a banda estaria ao vivo.

Para muitos no Brasil que não tiveram a oportunidade de ver o grupo após o lançamento de “Repentless”, o disco tinha cheiro daqueles álbuns feitos para encerrar a carreira de uma maneiras honrada. Com isso, havia certa dúvida se o Slayer estaria apenas “cumprindo tabela” ao vivo, mas este poderia ser um pensamento errado daqueles que não conhecem de verdade esta veterana banda.

O Slayer é daqueles grupos que não entram em festival para perder. Se são escalados, os músicos são daqueles que chegam com “sangue nos olhos” e com a intenção de mostrar que são os melhores entre as atrações listadas. O Maximus Festival tinha vários nomes respeitáveis e com qualidade, mas nenhum com a experiência da banda norte-americana de thrash metal.

Todos estes anos de estrada foram fundamentais para o Slayer nadar de braçada e entregar ao público um show pesadíssimo e sem concorrência possível. No Maximus Festival, o grupo agradou aos velhos fãs e, sem dúvida, angariou, no mínimo, novos simpatizantes que ainda não haviam visto um show da banda ao vivo.

Slayer em SP - Foto: Roque Reverso/Flavio LeonelSlayer em SP - Foto: Roque Reverso/Flavio LeonelSlayer em SP - Foto: Roque Reverso/Flavio LeonelSlayer em SP - Foto: Roque Reverso/Flavio LeonelSlayer em SP - Foto: Divulgação Maximus Festival/Camila CaraSlayer em SP - Foto: Divulgação Maximus Festival/Marcos Hermes

O show

Com a introdução gravada da faixa “Delusions of Saviour”, do mais recente álbum, o Slayer subiu ao palco já provocando a ansiedade da plateia. Com a música título “Repentless”, rodas e rodas de mosh foram formadas na grande pista e chegaram a expulsar alguns fãs do Linkin Park que estavam aguardando o último show da noite no mesmo palco.

As músicas mais antigas começaram a aparecer logo em seguida. “Disciple”, “Postmortem”, “Hate Worldwide” e “War Ensemble” vieram pra mostrar que bagagem não faltava à banda, com destaque para a levada característica de “Postmortem” e para o peso e agressividade de “War Ensemble”.

Vale salientar o trabalho de bateria de Paul Bostaph, que parece estar em fase ainda melhor do que na vinda em 2013. Com um instrumento equalizado capaz de gerar aquelas pancadas sonoras que “explodem” no peito do público, Bostaph foi uma das atrações da noite.

Após mais uma boa do disco recente, “When the Stillness Comes”, o Slayer trouxe a sempre ótima “Mandatory Suicide”, que costuma ficar entre as melhores executadas nos shows da banda. No Maximus Festival não foi diferente, já que Tom Araya (vocal e baixo), Gary Holt (guitarra) e Kerry King (guitarra) mostraram perfeita sintonia com a bateria de Paul Bostaph.

Não foram poucas as vezes que este jornalista presenciou durante a apresentação pessoas literalmente com a boca aberta, admirando a capacidade de unir rapidez e peso do Slayer. Num momento em que são escassas novas bandas com este tipo de combinação, foi interessante observar gente de geração mais nova se surpreendendo e comentando a performance dos norte-americanos.

Após a faixa “Fight Till Death” do primeiro álbum, o Slayer ofereceu ao público um verdadeiro momento de “melhores da carreira”. Praticamente sem deixar a plateia respirar, o grupo trouxe nada menos que a sequência formada por “Dead Skin Mask”, “Seasons in the Abyss” e “Hell Awaits”.

Slayer em SP - Tom Araya - Foto: Roque Reverso/Flavio Leonel

Mantendo a tradição de falar pouco e agir mais, a banda norte-americana deu uma verdadeira aula do bom e velho thrash metal. Pouco mais de 1 mês depois de ver o Metallica com um excelente show no mesmo Autódromo de Interlagos, o Slayer mostrou o quanto esses grupos precursores do estilo são necessários.

“South of Heaven” veio na sequência após uma leve pausa e foi mais uma que mostrou entrosamento perfeito dos músicos. Com esta oferta de bom som do Slayer, o ingresso para o festival já teria valido muito a pena, se esta banda fosse a única escalada.

Mas coisas boas ainda viriam na parte final do show, com três ultraclássicos do grupo. “Raining Blood” é um verdadeiro hino do thrash metal e, para quem é fã do estilo, sua execução ao vivo é quase uma experiência obrigatória. “Black Magic” é aquela faixa que traz todos os elementos do thrash e que, dificilmente, não provoca um natural bate-cabeça. “Angel of Death” é o supra-sumo da agressividade, tanto em letra como em música e merece estar no hall das faixas que honram os petardos do rock n’ roll.

Fim de papo, fim de show. Sem firulas e frescuras, o Slayer trouxe seu tradicional rolo compressor musical para São Paulo e fez a alegria dos fãs, muitos deles ali presentes exclusivamente para ver a banda.

O saldo final foi mais uma apresentação que ficará na memória dos headbangers paulistanos. Mesmo com todos os percalços enfrentados desde 2013, o Slayer sobrou no Maximus Festival.

Para relembrar alguns dos grandes momentos do show do Slayer o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Fique inicialmente com o de “War Ensemble”. Depois, veja um que reúne três outros clássicos: “Dead Skin Mask”, “Seasons in the Abyss” e “Hell Awaits”. Veja também o de “South of Heaven” filmado por nós, e, para fechar, uma dobradinha com “Raining Blood” e “Black Magic”.

Set list

Repentless
Disciple
Postmortem
Hate Worldwide
War Ensemble
When the Stillness Comes
Mandatory Suicide
Fight Till Death
Dead Skin Mask
Seasons in the Abyss
Hell Awaits
South of Heaven
Raining Blood
Black Magic
Angel of Death

Anúncios

1 Response to “Com clássicos, faixas mais recentes e muito peso, Slayer reina soberano no Maximus Festival”


  1. 1 Rodrigo
    21 de maio de 2017 às 00:53

    Slayer foi disparado o melhor show do Maximus!


Deixe um comentário (para isso, insira seu endereço de e-mail e o nome)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Anthrax em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #anthrax #scottian Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Anthrax em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #anthrax #charbenante

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 89 outros seguidores

maio 2017
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE


%d blogueiros gostam disto: