Archive for the 'Sebastian Bach' Category

26
mar
13

Rock in Rio fecha line-up de palco secundário com Living Colour, Offspring, Sebastian Bach, Robie Zombie e mais

A organização do Rock in Rio definiu neste dia 26 de março a programação completa do Palco Sunset, espaço conhecido por promover encontros inusitados e considerado o palco secundário do festival que acontecerá na capital fluminense nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro. Entre as atrações do rock, muitas boas surpresas que devem garantir uma boa diversão para quem deseja ir além do Palco Mundo, o principal do evento. Destaque para o retorno ao País de atrações internacionais de peso e qualidade, como os grupos norte-americanos Living Colour e The Offspring, além de Sebastian Bach e Robie Zombie, que tinha vindo para o Brasil ainda na época que tocava com o saudoso grupo White Zombie, em 1996.

Além deles, outros nomes de destaque em várias das vertentes do rock, como uma histórica reunião da banda alemã de heavy metal Helloween com seu fundador Kai Hansen, atualmente vocalista do não menos famoso Gamma Ray; do show dos brasileiros do Krisiun com os alemães do Destruction; do Viper com seu vocalista original André Matos; além do Sepultura, que vai tocar no dia 19 no Palco Mundo com o Tambours Du Bronx, mas que volta para o Sunset, no dia 22, para se apresentar com o cantor Zé Ramalho.

Ao todo, conforme destacou a produção, serão 26 artistas internacionais, sendo que 28 encontros entre nacionalidades acontecerão sempre a partir das 14h40 na Cidade do Rock. Há tempos, o público já sabia que haverá também a apresentação em conjunto de George Benson e Ivan Lins, além do show do respeitado Ben Harper.

Uma novidade interessante de 2013 é o horário da última apresentação do Palco Sunset, prevista para as 19h20. Ela vai acontecer no intervalo do primeiro show do Palco Mundo — que vai parar uma hora para que o headliner do Sunset tenha ainda mais destaque. A ideia dos produtores é que o público aproveite todas as atrações do Rock in Rio — desde o Sunset até a Rock Street e os brinquedos.

Vale lembrar que  a venda oficial de ingressos para o festival começa no dia 4 abril, às 10 horas, no site do festival. O valor do ingresso é de R$ 260,00 (inteira) e R$ 130,00 (meia-entrada). O Rock in Rio não cobra taxa de conveniência e as entradas serão entregues pelos Correios ou podem ser retirados diretamente em local físico no Rio de Janeiro, a partir de 16 de julho (local a ser divulgado em breve pela Ingresso.com). Nos dias de festival, a retirada acontecerá somente na Cidade do Rock.

Recentemente, a organização do festival iniciou uma venda especial de ingressos para clientes de cartões badalados do Itaú, que se esgotou rapidamente. Os produtores estabeleceram um limite de 85 mil pessoas por noite, diferente da edição de 2011, quando havia um total de 100 mil pessoas por data.

No dia 30 de outubro de 2012, houve uma pré-venda de 80 mil Rock in Rio Cards, cartões que garantem a entrada para a edição de 2013 do festival no Brasil. Eles se esgotaram em 52 minutos de venda.

Aqui neste link em vermelho, você pode relembrar todos os nomes já anunciados para o Palco Mundo, assim como o line-up dos outros palcos do festival.

Especificamente para o Palco Sunset, a organização de datas definida é a seguinte:

Dia 13
Living Colour e Angélique Kidjo
Maria Rita + Convidado
Orelha Negra e Flávio Renegado
Vintage Trouble e Jesuton

Dia 14
The Offspring
“Viva Raul Seixas” com Detonautas, Zeca Baleiro e Zélia Duncan
Marky Ramone e Michael Graves
B Negão e Autoramas

Dia 15
George Benson e Ivan Lins
Kimbra e Olodum
Nando Reis e Samuel Rosa
Aurea e Black Mamba

Dia 19
Rob Zombie
Bullet For My Valentine
Sebastian Bach
Almah e Hibria

Dia 20
Ben Harper e Charlie Musselwhite
Grace Potter e Donavan Frankenreiter
Mallu Magalhães e Banda Ouro Negro
The Gift e Afroreggae

Dia 21
Gogol Bordello e Lenine
Ivo Meirelles, Fernanda Abreu e Elba Ramalho
Moraes Moreira, Pepeu Gomes e Roberta Sá
Orquestra Imperial e Lorenzo Jovanotti

Dia 22
Sepultura e Zé Ramalho
Helloween e Kai Hansen
Destruction e Krisiun
Viper com André Matos

Anúncios
15
mar
10

Show do Guns em SP empolga público apesar de atraso

Aconteceu praticamente de tudo no show que o Guns N´Roses realizou no Estádio do Palmeiras na madrugada do domingo. Liderada pelo mais do que polêmico Axl Rose, a banda conseguiu provocar insatisfação entre os fãs, com um dos maiores atrasos vistos em um show em São Paulo, deixando bem clara sua diferença em relação a bandas extremamente profissionais que passaram por aqui recentemente, como o AC/DC e o Metallica, que fizeram shows inesquecíveis para os paulistanos e muito superiores ao do Guns.

Mesmo com este detalhe importante do atraso, Axl e seus companheiros conseguiram divertir o público com hits históricos e com canções do álbum “Chinese Democracy”, lançado recentemente pela banda.

A Saga do Roque Reverso

No post anterior, este blogueiro disse que tentaria conseguir nas bilheterias do Palestra Itália um ingresso em cima da hora para ver o show depois de uma viagem cansativa, o que garantiria a presença do Roque Reverso em mais um grande espetáculo. Depois de sair de casa faltando pouco menos de 1 hora para o início do show do Guns (marcado para as 21h30), passei por uma sucessão de obstáculos para entrar no Palestra, mas não desanimei e consegui atingir o objetivo da noite!

O primeiro obstáculo foi gerado pela minha preguiça, pois preferi ir de carro, apesar de morar a algumas quadras do Palestra, já que imaginei que voltaria mais cansado ainda do que já estava no final da apresentação. O fato é que fiquei quase meia hora parado na Avenida Pompéia para chegar ao estacionamento do Shopping Bourbon, já que o trânsito estava um caos.

Quando consegui entrar no estacionamento, mais uma surpresa: os caras estavam cobrando inacreditáveis R$ 120 para deixar o carro lá, coisa que não costuma acontecer em jogos do Palmeiras. Isso já me fez pensar imediatamente na hipótese de deixar o carro nas ruas próximas da Clélia ou da Coriolano, se conseguisse o ingresso.

Ao chegar às bilheterias do Palestra na Turiaçu, vi que simplesmente os guichês estavam todos fechados. Imaginei que ainda haveria a possibilidade de as bilheterias da Francisco Matarazzo estarem abertas e, quando me preparava para dar a volta no estádio, encontrei o colega de Agência Estado Gustavo Nicoletta, também em férias 🙂 . Ele já havia comprado seu ingresso e se dirigia à entrada para a Pista.

Disse a ele que tentaria comprar do outro lado e que ligaria para tentar encontrá-lo dentro do estádio. Cheguei aos guichês da Matarazzo e peguei uma fila até pequena para comprar os ingressos. Foi quando escutei os primeiros acordes e, para minha surpresa, eram ainda da banda do Sebastian Bach, simplesmente começando o show no horário que o Guns deveria entrar.

Comprei os ingressos, corri para o Bourbon, peguei o carro, estacionei numa parelela da Pompéia e corri de volta ao Palestra. Entrei e fui direto para pista comum, cuja entrada já no gramado estava incrivelmente repleta de gente, o que deixava o lado direito do palco um aperto só! Tomei a decisão de ir para o lado esquerdo (impressionante como as pessoas não tentam outras alternativas!), dando a volta no gramado. Resultado: o lado estava muitíssimo mais tranquilo, a ponto de eu quase chegar na grade de separação com a Pista Vip, num local com ótima visão do palco.

Ainda mandei um recado por SMS para o Gustavo, que estava numa muvuca perto da torre de som, e ele conseguiu ir para o local onde eu estava. Missão cumprida, era só esperar pelo Guns – nada menos que umas duas horas, já que ainda vi metade do show do Sebastian e, claro, os técnicos tiveram que fazer a transição de cenários e equipamentos.

O Show

Depois de uma longa espera, com a galera gritando e mandando o Axl para aquele lugar clássico dos xingamentos, o Guns finalmente apareceu e fez seu show, iniciando por volta das 0h30 (!!!) com a música “Chinese Democracy”. Confesso que não vi o Axl sendo atingido pelo copo d’água que alguns veículos citaram e até imaginei que a interrupção logo na primeira música fosse porque o som estava muito ruim, fazendo o Axl ficar “p” da vida, coisa já quase tradicional em todos estes anos de carreira do Guns. Mas este vídeo que o Roque Reverso descolou no Youtube mostra que um Zé Mané realmente jogou um copo no Axl, que chamou o cara pro pau e ameaçou ir embora.

Retomado o show, a banda tocou as clássicas “Welcome to the Jungle”, “It’s so Easy” e “Mr. Brownstone”, do álbum “Appetite for Destruction”. Isso levou o público para o delírio, mas o som ainda estava muito embolado e só foi melhorar quando a banda tocou mais uma do “Chinese Democracy”.

Mesmo com o som embolado, ficou claro que os músicos tocavam melhor as músicas novas do que as antigas. Apesar dos três guitarristas esforçados (Ron “Bumblefoot”, DJ Ashba e Richard Fortus), era impossível não ter saudades da dupla Slash e Izzy Stradlin, mas já sabíamos que isso iria acontecer. Enquanto isso, Axl tentava atingir os agudos do passado se esgoelando e usando claramente algum programa no estilo Pro-Tools nas partes mais difíceis, mas até que cantando melhor do que muitos esperavam. O baterista da banda, Frank Ferrer, para mim, foi o melhor do show, sem frescuras, tocando o básico e com bastante pegada.

A partir de “Live Let Die”, o som ficou bem melhor e conseguimos ver a banda bem até mesmo nas músicas do “Appetite”, como “Rocket Queen”. Para mim, as melhores performances do Guns na noite ficaram com “November Rain”, do “Use Your Illusion I”, e “You Could Me Mine”, do “Use Your Illusion II”. Importante destacar que, os guitarristas se revezavam nos solos, coisa que o grande Slash sempre fez sozinho e com maestria. “Sweet Child O’ Mine” foi o maior exemplo e, apesar de cantar muito e curtir esta música, foi muito estranho ver um dos maiores solos da história do rock and roll ser dividido entre duas guitarras, sem o seu verdadeiro criador. Achei Richard Fortus bem fraquinho, mas DJ Ashba mostrou que pode brilhar muito ainda na banda.

O Guns fechou o set normal com simplesmente minha música favorita, a ótima “Nightrain”. Foi a realização parcial de um sonho. Axl sempre sofreu para cantar esta e foi isso que aconteceu novamente, mas eu queria ver muito o Slash solando no final desta canção, para mim um dos melhores momentos já registrados no rock em um álbum.

Depois de mais de duas horas e meia de um show recheado de pirotecnia, a banda fechou o longo bis com a clássica “Paradise City”, com direito a uma chuva de papel vermelho picado, por todo o gramado do Palestra.

Para quem foi para se divertir e assistir a um show de rock and roll, sem esperar o maior espetáculo da terra e o Guns do auge, foi uma ótima escolha. Axl, apesar de mala, sempre será um dos maiores mitos do estilo e foi muito legal vê-lo melhor fisicamente e tentando se reerguer na carreira.

Ainda tenho esperança de ver o retorno dos membros originais ao Guns. Neste mundo de grana forte de hoje, não é impossível que isso aconteça, por mais que os caras ainda estejam brigados. Resta continuar torcendo.

Abaixo, algumas fotos oficiais do show e o set list. Missão cumprida: o Roque Reverso esteve em mais um grande evento do estilo em São Paulo. Fucking great!

Set list:

Chinese Democracy
Welcome To The Jungle
It’s So Easy
Mr. Brownstone
Sorry
Better
Richard Fortus Guitarra Solo
Live And Let Die
If the World
Rocket Queen
Dizzy Reed Solo Piano (com breve cover “Ziggy Stardust”)
Street Of Dreams
I.R.S.
DJ Ashba Solo Guitarra
Sweet Child O’ Mine
You Could Be Mine
Axl Rose Piano Solo (Com cover de “Another Brick In The Wall”)
November Rain
Bumblefoot Solo Guitarra (Com tema de “A Pantera Cor-de-rosa”)
Knockin’ On Heaven’s Door
Nightrain

Madagascar
Shackler’s Revenge
This I Love
Patience
Paradise City




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Bon Jovi no São Paulo Trip 2017 realizado na Arena do Palmeiras
#roquereverso #bonjovi #saopaulotrip #allianzparque Bon Jovi no São Paulo Trip 2017 
#roquereverso #bonjovi #saopaulotrip #allianzparque The Cult no São Paulo Trip 2017 - Ian Astbury
#roquereverso #thecult #saopaulotrip #allianzparque The Cult no São Paulo Trip 2017
#thecult #saopaulotrip #allianzparque #roquereverso The Who no São Paulo Trip - Foto: Flavio Leonel/Roque Reverso
#thewho #saopaulotrip The Who no São Paulo Trip - Foto: Flavio Leonel/Roque Reverso
#thewho #saopaulotrip

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 88 outros seguidores

outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

Estatísticas

  • 548,181 hits
SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE