Archive for the 'Raimundos' Category

07
maio
17

Raimundos fazem releitura de sucessos em turnê acústica, mas sem perder a ‘paulera’

Raimundos em SP - Foto: Roque Reverso/Circe BonatelliPor Circe Bonatelli*- Especial para o RR

Os Raimundos estão em turnê nacional para divulgação do lançamento do DVD acústico, que traz um compilado de grandes sucessos e algumas músicas mais recentes. Todas as faixas têm releituras muito originais, com os riffs pesados das guitarras substituídos pelo instrumental de uma “mini big band” de veia roqueira. Embora o novo projeto não tenha canções inéditas, é como se tivesse. Com roupagem acústica e novos arranjos, as músicas ganharam versões capazes de surpreender.

A linha de frente do show tem Digão (violão e vocal), Canisso (baixo acústico), Marquim (violão e backing vocal), Caio (bateria) além do ex-guitarrista do Charlie Brown Jr, Marcão (violão).

O palco é complementado pelos músicos no comando de percussão, teclados, violinos, sax, trompete e trombone. Também estão lá o triângulo e a sanfona, que marcaram o forró-core criado pelo grupo.

A turnê tem a participação especial de Fred Castro, baterista da formação original dos Raimundos, assumindo as baquetas em duas músicas (“Selim” e “Cintura Fina”). Já o DVD do show acústico, gravado em novembro de 2016 em Curitiba, tem outras presenças ilustres, como Ivete Sangalo (em A Mais Pedida), Dinho Ouro Preto (Mulher de Fases) e Alexandro Carlos (Deixa eu Falar).

CONTINUE LENDO AQUI!!!

Anúncios
13
fev
16

Com tributo aos Ramones, Raimundos Rock Fest será realizado em SP no dia 6 de março

Raimundos Rock Fest - Cartaz de DivulgaçãoA Raimundos Rock Fest será realizada em São Paulo no dia 6 de março. O pequeno festival, encabeçado pela banda Raimundos, acontecerá no Carioca Club, casa de shows que, apesar de originalmente abrigar eventos ligados ao samba e pagode, acabou se transformando num espaço tradicional de apresentações de rock na capital paulista.

Na Raimundos Rock Fest, um dos grandes destaques do show que será feito pelo Raimundos será a execução de um tributo ao lendário e saudoso Ramones. O tributo terá duração de 30 minutos e será somado aos hits da banda brasileira.

Além dos Raimundos, os outros grupos confirmados para o evento são: Fistt, La Raza e Cadibóde.

Os ingressos de Pista para o festival tem os seguintes valores: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia-entrada para estudantes); R$ 30,00 (1º lote promocional mediante à doação de 1 kg de arroz); e R$ 40,00 (2º lote promocional mediante à doação de 1 kg de arroz).

Para o Camarote, o valor do ingresso é de R$ 80,00.

Quanto aos pontos de venda, nas bilheterias do Carioca Club não há cobrança de taxa de conveniência, mas só aceitam dinheiro.

Outros pontos são a Loja 255 da Galeria do Rock, a Loja Monster Music (Rua Teodoro Sampaio, 709 – São Paulo), a Loja Metal Music (Rua Álvaro de Azevedo, 159 – Santo André), além das Lojas Contem 1g dos shoppings West Plaza, Boulevard Tatuapé, Aricanduva e Santa Cruz.

Pela internet, o local de venda oficial é o site Clube do Ingresso: www.clubedoingresso.com/raimundosrockfest

23
jan
16

Ratos de Porão e Raimundos estão entra as atrações do rock gratuitas da festa de 462 anos de São Paulo

SP462 - Foto da Prefeitura de São Paulo, com montagem da guitarra feita pelo Roque ReversoA cidade de São Paulo comemora 462 anos de idade na segunda-feira, dia 25 de janeiro, mas a Prefeitura paulistana comandada por Fernando Haddad decidiu em 2016 fazer uma festa mais ampla, distribuída em 3 dias. De 23 a 25 de janeiro, atividades gratuitas acontecerão em teatros, parques centros culturais, Centro Educacional Unificados (CEUs), ruas abertas e palcos externos.

Na programação, os destaques dos shows gratuitos do rock, ficam com as apresentações de duas grandes importantes para o estilo no Brasil: o Ratos de Porão e o Raimundos.

Ambos os grupos vão se apresentar em CEUs neste sábado, dia 23 de janeiro, às 18 horas.

O Ratos de Porão tocará no CEU Aricanduva (Rua Olga Fadel Abarca, s/n°, no Jardim Santa Terezinha), na zona leste da capital paulista. O Raimundos, por sua vez, vai se apresentar no CEU Alvarenga (Estrada do Alvarenga, 3.752, Balneário São Francisco), na zona sul.

Enquanto o Ratos de Porão deve trazer clássicos da carreira e tocar músicas do álbum mais recente “Século Sinistro”, o Raimundos, conforme a informação da Prefeitura de São Paulo, vem com o show “Turnê Raimundos 20 anos de estrada”. O repertório da apresentação da banda foi montado a partir de uma votação pela internet, com músicas escolhidas pelos fãs.

Além destas grandes bandas nacionais, outros representantes do rock estarão presentes. Da geração um pouco mais nova, o grupo O Terno se apresentará no sábado, dia 23, às 21 horas, no Teatro Paulo Eiró (Avenida Adolfo Pinheiro, 765, Alto da Boa Vista, Santo Amaro), na zona sul.

Quem curte um punk rock das antigas tem a opção de ver o grupo Invasores de Cérebro. A banda volta à ativa, com a formação clássica de 1989 e se apresentará no sábado, às 18 horas, no CEU Meninos (Rua Barbinos, 111 – São João Clímaco), também na zona sul.

Para o pessoal “das antigas”, há também a opção de ver o roqueiro Supla, no sábado, às 19 horas, no Tendal da Lapa (Rua Guaicurus, 1000 – Lapa), na zona oeste da capital paulista.

Crianças

Os pais que curtem rock também terão diversas opções, do estilo ou não, para levar as crianças. Em parceria com a São Paulo Carinhosa, a Secretaria Municipal de Cultura oferecerá uma programação especial nas vias participantes do programa “Rua Aberta”, nos dias 24 e 25 de janeiro.

Na avenida Paulista, a programação para os pequenos na segunda-feira, dia 25, às 15 horas, inclui apresentação do show Beatles para Crianças, entre outras atrações.

Brincadeiras da Recreart e do grupo Slow Kids animarão a criançada na avenida dos Metalúrgicos, em Cidade Tiradentes; na avenida Sumaré, na zona oeste; nas ruas Terezinha do Padro Oliveira e José Pedro Borba, em Parelheiros; e na avenida Carlos Caldeira Filho, no Campo Limpo.

Gastronomia

Para aproveitar a gastronomia da cidade, o público poderá visitar festivais de Food Trucks e de Food Bikes. No domingo, 24, o evento acontece na Praça Oswaldo Cruz, das 12 horas às 20 horas. No feriado (25), o festival acontece na Praça Ramos de Azevedo, das 10 horas às 19 horas.

A programação completa da festa de 462 anos da cidade de São Paulo pode ser conferida aqui.

27
ago
14

20 anos do primeiro festival Monsters of Rock no Brasil

Monsters of Rock 1994 - Cartaz de DivulgaçãoO dia 27 de agosto de 2014 marca os 20 anos do primeiro festival Monsters of Rock no Brasil. Realizado em São Paulo, no Estádio do Pacaembu, nesta mesma data em 1994, o evento foi o primeiro de grande porte somente com bandas de rock pesado a ser realizado na cidade onde heavy metal mais concentra fãs no País.

Na respeitável escalação das bandas, quatro eram internacionais e outras quatro eram nacionais.

Entre os grupos gringos, a lista trazia o Suicidal Tendencies com sua formação clássica; o Black Sabbath sem Ozzy Osbourne ou Ronnie James Dio nos vocais, mas com o terrível Tony Martin; o aguardadíssimo Slayer pela primeira vez no Brasil, mas sem Dave Lombardo na bateria; e o não menos esperado KISS, sem máscara, fechando o festival.

Do lado nacional, estavam o então novo Angra, com Andre Matos nos vocais, o Dr. Sin arrebentando, o Viper fazendo sucesso até no Japão e os Raimundos, com o primeiro disco bombando.

As bandas nacionais abriram o Monsters. O primeiro show, do Angra, estava agendado para as 14 horas, mas, já às 11 horas, as filas para entrar no Pacaembu chegavam ao topo do vale que cerca a Praça Charles Muller. Várias pessoas chegaram a dormir na porta do estádio, tamanha a ansiedade para ver aquele evento.

Para os  jovens de hoje que não puderam presenciar aquele festival, o Brasil engatinhava pela primeira vez com uma onda convincente de atrações estrangeiras do heavy metal. Pouco antes do Monsters, em 1993, o Metallica tinha vindo pela segunda vez ao País durante a turnê do estrondoso “Black Album” e o Anthrax havia feito a estreia em palcos brasileiros, assim como o Pantera no auge! No início de 1994, o Hollywood Rock trouxe o Aerosmith e o Sepultura bombando demais com o álbum “Chaos AD”. Na mesma época, o Helmet fez um excelente show no Olympia e o público queria sempre mais!

A despeito de o Rock in Rio, em 1985, ser o pioneiro a trazer bandas esperadíssimas do estilo, repetir a dose em 1991 e a capital paulista ter tido experiências legais com as edições do Hollywood Rock, o Monsters of Rock consolidou um sonho dos amantes do rock pesado na cidade que tinha uma legião de fãs e era berço da Galeria do Rock, da Woodstock, do bar Black Jack e de outros tantos locais que reuniam o público de uma época na qual as “redes sociais” não eram virtuais.

O Plano Real também era novo e parecia, depois de inúmeros planos que deram errado, que iria dar certo, como, de fato, aconteceu logo depois. A consolidação do plano econômico foi fundamental na sequência para que esta onda de atrações gringas se consolidasse anos depois.

O Angra abril o festival e foi seguido pelo Dr. Sin, Viper e Raimundos. Todos os shows das bandas nacionais foram bons e não comprometeram. O destaque foi a apresentação do Dr. Sin, que chegou a levantar o estádio inteiro com sua versão de “Have You Ever Seen the Rain?”, do Creedence Clearwater Revival.

Quanto aos shows internacionais, o Suicidal Tendencies fez uma apresentação impecável e muito animada. “War Inside My Head” foi um dos grandes momentos, com os fãs cantando o famoso refrão do começo ao fim. Vale lembrar que Robert Trujillo, atualmente baixista do Metallica, fazia parte da formação do ST e, para variar, deu um show à parte.

O grupo também contava com os bons guitarristas Mike Clark e Rocky George, além do baterista Jimmy DeGrasso e o elétrico vocalista Mike Muir, único membro atual que permanece no Suicidal.

Na sequência, o Black Sabbath veio com três de seus quatro integrantes clássicos: Tony Iommi (guitarra), Geezer Butler (baixo) e Bill Ward (bateria). Na falta de Ozzy e Dio, quem assumiu os vocais foi o questionável Tony Martin.

É claro que foi bem interessante ver o Sabbath ali de perto, mas a performance de Martin deixou muito a desejar. Quem se lembra dele cantando “Sabbath Bloody Sabbath”, sabe que ele lembrou muito mais Louis Armstrong cantando do que qualquer vocalista que tenha passado pelo grande grupo de heavy metal.

Após o Sabbath, finalmente o Slayer se apresentava num palco brasileiro. Um dos maiores ícones do thrash metal, a banda norte-americana tinha o baterista Paul Bostaph no lugar do mago Dave Lombardo, mas fez um excelente show, com todos os grandes clássicos do grupo.

Este jornalista lembra de ter visto muito marmanjão da velha guarda do heavy metal chorando na fila do gargarejo porque estava vendo o Slayer pela primeira vez. Entre os destaques da apresentação do grupo, “Mandatory Suicide”, “Hell Awaits”, “Postmorten”, “Angel of Death”, “Raining Blood” são só alguns exemplos de faixas que não deixaram a galera recuperar o fôlego.

Depois de assistir a todos os shows nas primeiras fileiras até a apresentação do Slayer (que era a mais esperada por muitos), este jornalista preferiu acompanhar o KISS mais próximo da torre central. Foi uma forma de descansar e, ao mesmo tempo apreciar os efeitos especiais que o grupo norte-americano trouxe para o Pacaembu.

Sem as máscaras tradicionais e com os ótimos Eric Singer (bateria) e Bruce Kulick (guitarra), o que se viu no show do KISS foi uma grande performance, capitaneada por Gene Simmons (baixo e vocal) e Paul Stanley (vocal e guitarra). ““I Love It Loud”,“Deuce”, “Detroit Rock City”, “Lick it Up” e “Creatures of the Night” foram são alguns dos hits históricos tocados. Mas um momento inesquecível foi quando foi tocada “Heaven’s On Fire”, com grande utilização de fogos e efeitos especiais que encantaram o público.

O Monsters of Rock de 1994 terminou por volta das 2 horas da manhã do dia 28 e totalizou cerca de 12 horas de evento. Foi tanto um sucesso que foram realizadas edições em 1995, 1996 e 1998. O bom resultado daquele festival fez com que organizadores acreditassem mais no potencial do público de heavy metal. Não por acaso, até hoje é este o gênero que está entre os que mais contam com atrações internacionais no Brasil.

Para relembrar o Monsters of Rock de 1994, descolamos, é claro, vídeos no YouTube. Para detonar tudo, fique com as apresentações do Suicidal Tendencies, do Black Sabbath, do Slayer e do KISS filmadas pela finada MTV Brasil.

02
ago
14

Canisso fala sobre disco recente dos Raimundos, produção independente e cena atual do rock nacional

Por Circe Bonatelli

Os Raimundos lançaram neste ano o álbum “Cantigas de Rodas”, primeiro com músicas inéditas produzido pelo grupo brasileiro desde o “Kavookavala”, de 2002. O novo trabalho mostra que a banda manteve sua capacidade criativa mesmo após tantos anos.

O grande destaque é o Digão se firmando definitivamente nos vocais, o que afasta a lembrança recorrente de Rodolfo nessa posição. As músicas sob a voz de Digão no “Kavookavala”, primeiro álbum de inéditas após a saída de Rodolfo, ainda causavam uma estranheza pela mudança recente nos vocais. Além disso, o disco de 2002 não teve a mesma qualidade dos anteriores.

A consequência disso é que os shows liderados por Digão nos anos seguintes muitas vezes pareciam um cover dos Raimundos das antigas – aliás, uma injustiça com os membros originais que continuavam dando o sangue ali. Mas agora é a hora de enterrar de vez essa sensação.

O álbum “Cantigas de Rodas” traz 12 faixas muito boas, com a nova cara da banda. De uma lado, elas retomam características tradicionais, como o hardcore e o punk (“Cachorrinha”, “Rafael”, “Nó Suíno”), as letras maliciosas (“Gordelícia”) e o tempero forrozeiro (“Gato da Rosinha”, música do sanfoneiro Zenilton).

Dentre as novidades estão algumas baladinhas (“Cera Quente”, “Baculejo”), um reggae com participação do rapper Sen Dog (Dubmundos) e um rock pauleira com referências às manifestações de junho do ano passado (“Politics”) e participação do rapper Cypriano. A produção, feita nos Estados Unidos, ficou por conta de Billy Graziadei, vocalista e guitarrista do Biohazard.

Tudo isso mostra que os Raimundos ainda são uma grande banda, além de muito querida pelos seus fãs, que tiveram participação decisiva no lançamento do novo trabalho.

O “Cantigas de Rodas” foi financiado por meio de uma campanha na internet (chamada crowdfunding) que pretendia arrecadar R$ 55 mil para bancar os custos da produção e divulgação do álbum. Mas a adesão foi tão grande que as doações chegaram a R$ 120 mil.

Em meio à turnê para divulgação do “Cantigas de Rodas”, o baixista Canisso concedeu uma entrevista exclusiva ao Roque Reverso, falando sobre as novidades do álbum, as vantagens e os perrengues da produção independente, além de suas opiniões sobre o cenário atual do rock brasileiro. “Pro rock voltar a tocar na rádio, ele precisa ter a dose certa de pauleira com uma boa mixagem, sem soar esporrento”, receitou.

Confira abaixo a entrevista na íntegra e escute as faixas “Nó Suíno” e “Bop”:

RЯ – O que motivou a banda a voltar para o estúdio, num álbum com inéditas após tantos anos?

Canisso – Sentimos que nossa estratégia de recolocar a banda na cena já estava praticamente concluída, com presença assegurada nos melhores festivais e com uma tour consolidada, faltava uma “foto” atual da banda. Com certeza um álbum de inéditas iria ter muito mais espaço pra ser divulgado nessa boa fase.

RЯ – O que mudou na banda desde o último álbum de estúdio, o “Kavookavala”, em 2002?

Canisso – Mudou muito, até o processo de composição, mas basicamente a principal mudança foi a grande contribuição de todos em todo o processo, não houve pressa, ao contrário, trouxemos o entrosamento criado por esses anos na estrada pra dentro do estúdio. Talvez seja o disco mais “trampado”que já fizemos…

RЯ – O que o “Cantiga de Rodas” traz de novo para os fãs?

Canisso – De novo, contamos com a produção Master do Billy Graziadei,vocal e guitar do Biohazard, participações épicas do Sen Dogg do Cypress Hills,do Frango do Galinha Preta, do rapper Cipriano…É um disco típico do Raimundos, tem punk rock, power ballads, reaggae-dub, pauleiras, forrozeiras…músicas que trazem lembranças boas e abrem novos horizontes pro nosso som, tentamos ao máximo justificar a confiança depositada em nós pelos apoiadores do crowdfunding. Esse é o resultado do nosso esforço, espero que gostem…

RЯ – Qual o ponto forte do álbum?

Canisso – Talvez a grande evolução de Digão como vocalista e a boa variedade nos sons. É um disco que não cansa, dá pra deixar tocando e você nem percebe o tempo passar… Espero que todo mundo perceba a grande evolução no som dos Raimundos. A ideia era passar uma parte da energia presente em nosso show pra todas as músicas, como eu já disse, é um retrato atual da banda.

RЯ – O álbum foi concebido por meio de financiamento coletivo e vocês conseguiram levantar R$ 120 mil, o dobro do previsto inicialmente. Como foi isso? E qual será o presente para os fãs?

Canisso – Todas as cópias físicas serão exclusivas dos apoiadores,mas quem quiser adquirir o CD via download pode acessar serviçoes como o iTunes ou o Dezzer. Para lançarmos esse CD, precisávamos fazê-lo da melhor forma que pudéssemos, pra fazer jus à qualidade sempre presente em todos os posteriores. Já havíamos tido uma boa experiência com crowdfundings em alguns shows. Ao nos depararmos com a chance de gravar fora com o Billy, nossos custos subiram muito.
O Marquim (guitarrista)  já vinha pesquisando à respeito de crowdfundings e, logo na primeira conversa com o Billy, ele mesmo veio com a mesma ideia. Ficamos até surpresos com a sintonia… Primeiro, estabelecemos uma meta bastante modesta, espartana até, visando bancar apenas a logística e o budget do Billy, estudamos qual a plataforma de arrecadação se adequava melhor às nossas necessidades, prazo, porcentagem, confiabilidade, etc. Depois definimos as contrapartidas proporcionais às contribuições. Já no primeiro dia já batemos o recorde de contribuições do site, o http://www.Catarse.me/raimundos, mostrando que nossa decisão foi mais que acertada, recomendo… Quem tiver curiosidade pode dar uma clicada ae…

RЯ – Em quem vocês se inspiraram para buscar o crowdfunding?

Canisso – Em ninguém em especial, olhamos bastante principalmente os arrecadadores que tiveram maior sucesso, pra tentar aprender algo…

RЯ – Em que situações fez falta não ter do lado de vocês uma gravadora com nome forte no mercado?

Canisso – Com certeza na escalação de atrações de festivais e na mídia paga, mas como nosso show tem mostrado que agrada a galera, viemos reconquistando nosso espaço. Hoje temos nossa própria divulgação, além da melhor de todas elas, que é o boca a boca entre os novos e antigos fãs, renovando e aumentando nosso público…Uma coisa é certa: quem vem aos nossos shows SEMPRE volta, e traz mais alguém, que mostra pra mais alguém…Tem muita banda com gravadora e empresário gastando o dobro sem chegar no mesmo resultado…

RЯ – A presença na rádio está de acordo com o esperado?

Canisso – Muito acima do esperado, principalmente pela grande procura ESPONTÂNEA de várias rádios, que tomaram pra si a “missão” de continuar tocando rock nacional e têm sido nossas parceiras nessa empreitada… Não temos budget pra pagar jabá, então se está tocando é porque o povo está pedindo, nossos humildes agradecimentos aos radialistas que tocam…

RЯ – Você acha que o rock nacional anda meio enfraquecido, com muitas bandas pasteurizadas? Quais bandas nacionais são bons exemplos?

Canisso – Não gosto de comentar sobre outras bandas, cada um sabe aonde quer chegar com seu som, quem se estabeleceu tem meu respeito, viver de rock nesse país é um grande desafio. Das duas uma: ou você toma um Johnny Walker com Activia e toca seu som pra agradar somente seu umbigo, ou você aceita o desafio de equilibrar a dose certa de pauleira sem soar “pasteurizado” nem suavizar muito a proposta…
Pro rock voltar a tocar na rádio ele precisa ter a dose certa de pauleira com uma boa mixagem, sem soar “esporrento”, afinal disputamos a preferência dos ouvintes, fazemos música pros shows, mas precisamos pensar nas rádios também… Quanto ao cenário discordo de você, conheço cenas fervilhantes de novidades, como Goiânia, Curitiba, Salvador, Fortaleza, Cuiabá, Porto Alegre, Floripa.
Caramba, o que mais tem é banda legal, falta espaço, falta o que a MTV representou pra nossa geração nos anos 90,um program livre, de tarde,com banda tocando, sei lá… O momento pede, quem tiver a sacada e lançar um programa do gênero com certeza vai bombar.

05
abr
14

Lollapalooza vem aí e tem atrações para todos os gostos; veja horários e detalhes do festival

Vai começar o Lollapalooza 2014! A edição deste ano, que traz como grande novidade a mudança de local para o distante Autódromo de Interlagos, na cidade de São Paulo, será realizada neste sábado, dia 5 de abril, e no domingo, dia 6. Com uma expectativa de um público de 80 mil pessoas por dia, o festival terá atrações para todos os gostos e tende a se confirmar como o grande evento musical da capital paulista deste ano.

Conforme a produtora Time For Fun, o dia 5 de abril, que já tem ingressos esgotados, contará com o Nine Inch Nails fechando a programação do Palco Onix, às 19h55, e o Muse encerrando no Palco Skol, às 21h30. No dia 6 de abril, o Soundgarden será a última atração do Palco Onix, às 18h55, enquanto o Arcade Fire fechará os shows no Palco Skol, às 20h30, logo depois de o Pixies se apresentar ás 17h35.

Como já destacou o Roque Reverso, quem optar pelo Arcade Fire perderá o show do New Order. Tudo porque o lendário grupo britânico de Manchester se apresentará também às 20h30 do dia 6 de abril, só que no Palco Interlagos.

O line-up completo do Lollapalooza 2014 conta com uma série de atrações.

Além dos nome já citados, participarão da edição de 2014 os seguintes convidados: Johnny Marr (ex-The Smiths), Julian Casablancas (do Strokes), Imagine Dragons, Vampire Weekend, Ellie Goulding, Jake Bugg, Kid Cudi, Lorde, Nação Zumbi, The Bloody Beetroots, Capital Cities, Raimundos, Cage The Elephant, AFI, Savages, Cone Crew Diretoria, Flux Pavilion, Baauer, Krewella, Café Tacvba, Lucas Santtana, Flume, Illya Kuryaki & The Valderramas, Silva, Vespas Mandarinas, Elekfantz, Francisca Valenzuela, Selvagens à Procura de Lei, Gabe, Apanhador Só, Digitaria, Brothers of Brazil, Ftampa, Barbatuques, Coisinha e Red Oblivion, entre outros.

Se as edições de 2012 e 2013, quando o evento aconteceu no Jockey Club, tiveram boa organização e não trouxeram maiores dores de cabeça ao público, o local escolhido para 2014 ainda é uma incógnita, já que o Autódromo de Interlagos é muito mais distante e não traz boas recordações para quem já viu shows por lá. Foi bastante criticado, por exemplo, por quem lá assistiu às apresentações do KISS, em 1999, e do Iron Maiden, em 2009.

Conforme os produtores, o Lollapalooza 2014 será cinco vezes maior do que a edição de 2013, já que o local passará dos 120 mil metros quadrados, no Jockey, para 600 mil metros quadrados em Interlagos. Segundo a Clima Tempo, a expectativa é que não chova nos dois dias, o que já tranquiliza quem viu, em 1999, o lamaçal que se transformou a pista durante o show do Iron Maiden.

A temperatura média esperada para os dois dias é de 27 graus Celsius, mas quem conhece a região do autódromo sabe que costuma esfriar à noite. Portanto, um agasalho sempre é uma boa dica, além de roupas leves e tênis para aguentar e curtir a maior parte do festival de longa duração.

Quanto às opções para chegar a Interlagos, o transporte público é o mais recomendado, apesar de haver estacionamento no local. Para quem vai de ônibus, haverá um ponto de embarque, no Portão 8, para uma linha especial com destino ao Terminal Santo Amaro. Para quem vai de trem, a Linha 9 – Esmeralda é uma boa opção e a dica é desembarcar na Estação Autódromo, que fica a 800 metros do Portão 9.

Para a Alimentação, além daquilo que já é tradicional no festival, haverá a novidade do Chef’s Stage, espaço que contará com um cardápio de alta qualidade elaborado por 16 chefs renomados. A cerveja do festival, que antes era a Heineken, agora será a Skol.

Há também as recomendações do que pode ou não ser levado ao Lollapalooza. Clique na figura acima e depois amplie para ver a lista elaborada pela produção do festival e também outras dicas de sobrevivência.

Os ingressos para um único dia de festival custam R$ 290,00 (inteira) e R$ 145,00 (meia-entrada). O estacionamento sai por R$ 50,00.

Para os organizadores, o grande benefício para quem vai viver a experiência no ano que vem será a distância apropriada entre os 5 palcos, o que tende a garantir maior qualidade de som. O festival contará com mais áreas de descanso e mais opções de alimentação em 2014, além do Kidzapalooza, espaço dedicado às crianças com line-up exclusivo e atrações especiais.

A sustentabilidade, que é um dos principais conceitos do Lollapalooza nesses em 22 anos de história desde sua criação nos Estados Unidos, continuará presente. De acordo com os organizadores, o festival será planejado de forma a causar o menor impacto ao meio ambiente, desde as ativações até os materiais utilizados.

Para quem não puder ir ao festival, haverá a opção da TV e da transmissão pela internet, ambas pelo canal fechado Multishow, que ainda terá o reforço do canal Bis para shows que acontecem simultaneamente. Na TV aberta, a Globo promete passar os melhores momentos durante a madrugada.

O leitor do Roque Reverso poderá acompanhar detalhes do festival também no nosso Twitter e no nosso canal do Facebook. Set list, atrasos e novidades importantes poderão ser vistas com maior rapidez nesses locais. Nos dias seguintes, traremos também as tradicionais resenhas dos principais shows de rock.

Veja abaixo os horários definidos para o Lollapalooza 2014:

Dia 5 de abril – Sábado

Palco Skol
Vespas Mandarinas (12h20 – 13h05)
Capital Cities (14h – 15h)
Julian Casablancas (16h10 – 17h10)
Phoenix (18h35 – 19h50)
Muse (21h30 – 23h)
Palco Onix
Silva (13h10 – 13h55)
Cage The Elephant (15h05 – 16h05)
Imagine Dragons (17h15 – 18h30)
NIN (19h55 – 21h25)
Palco Interlagos
Red Oblivion [Berklee] (12h45 – 13h30)
Lucas Santana (14h – 15h)
Café Tacvba (15h30 – 16h30)
PTM (17h – 18h)
Lorde (18h30 – 19h30)
Nação Zumbi (20h – 21h)
Disclosure (21h30 – 23h)
Palco Perry
Elekfantz (12h45-13h45)
Digitaria (14h15 – 15h15)
Perry/Etty Vs Joachim Garraud (15h30 – 16h30)
Flume (16h45 – 17h45)
Flux Pavilion (18h – 19h15)
Wolfgang Gartner (19h45 – 21h)
Kid Cudi (21h30 – 22h30)
KIDZAPALOOZA
Souza Lima (13h30 – 14h30)
School of Rock (15h – 16h30)
Coisinha (17h – 18h)
Dia 6 de abril – Domingo
Palco Skol
Francisca Valenzuela (11h50 – 12h35)
Raimundos (13h30 – 14h15)
Ellie Goulding (15h25 – 16h25)
Pixies (17h35 – 18h50)
Arcade Fire (20h30 – 22h)
Palco Onix
Illya Kuryaki & Valderramas (12h40 – 13h25)
Johnny Marr (14h20 – 15h20)
Vampire Weekend (16h30 – 17h30)
Soundgarden (18h55 – 20h25)
Palco Interlagos
Apanhador Só (12h15 – 13h)
Brothers of Brazil (13h30 – 14h15)
Selvagens à Procura de Lei (14h45 – 15h30)
Savages (16h – 17h)
AFI (17h30 – 18h30)
Jake Bugg (19h – 20h)
New Order (20h30 – 22h)
Palco Perry
Ftampa (12h30 – 13h15)
GABE (13h30 – 14h30)
Cone Crew (15h – 16h)
Baauer (16h15 – 17h15)
Krewella (17h30 – 18h30)
The Bloody Beetroots (19h – 20h15)
Axwell (20h45 – 22h)
KIDZAPALOOZA
Barbatuques – Workshop (14h – 15h)
Barbatuques – Show (16h – 17h)
11
mar
14

Lollapalooza divulga horários das atrações; público precisará escolher entre Arcade Fire e New Order no dia 6

Os organizadores do Lollapalooza divulgaram neste dia 11 de março os horários e a distribuição das atrações por palco do festival que acontecerá em 2014 na cidade de São Paulo. Segundo a produtora Time For Fun, o dia 5 de abril, um sábado, terá o Nine Inch Nails fechando a programação do Palco Onix, às 19h55, e Muse encerrando no Palco Skol, às 21h30. No dia 6 de abril, um domingo, o Soundgarden será a última atração do Palco Onix, às 18h55, enquanto o Arcade Fire fechará os shows no Palco Skol, às 20h30, logo depois de o Pixies se apresentar ás 17h35.

Quem optar pelo Arcade Fire perderá o show do New Order. Tudo porque o lendário grupo britânico de Manchester se apresentará também às 20h30 do dia 6 de abril, só que no Palco Interlagos.

O line-up completo do Lollapalooza 2014 conta com um total de 40 atrações. Além dos nome já citados, participarão da edição de 2014 os seguintes convidados: Johnny Marr (ex-The Smiths), Imagine Dragons, Vampire Weekend, Axwell (Swedish House Mafia), Ellie Goulding, Jake Bugg, Kid Cudi, Lorde, Nação Zumbi, The Bloody Beetroots, Capital Cities, Raimundos, Cage The Elephant, AFI, Savages, Cone Crew Diretoria, Wolfgang Gartner, Flux Pavilion, Portugal. The Man, Baauer, Krewella, Café Tacvba, Lucas Santtana, Flume, Illya Kuryaki & The Valderramas, Silva, Vespas Mandarinas, Elekfantz, Francisca Valenzuela, Selvagens à Procura de Lei, Gabe, Apanhador Só, Digitaria, Brothers of Brazil, Ftampa, Barbatuques, Coisinha e Red Oblivion, entre outros.

De maneira diferente da observada em 2012 e 2013, quando o evento aconteceu no Jockey Club, o local escolhido para o próximo ano é o Autódromo de Interlagos, bastante criticado por quem lá assistiu aos shows do KISS, em 1999, e do Iron Maiden, em 2009.

Conforme os produtores, o Lollapalooza 2014 será cinco vezes maior do que a edição de 2013, já que o local passará dos 120 mil metros quadrados, no Jockey, para 600 mil metros quadrados em Interlagos. A expectativa é de um público de até 160 mil pessoas.

O Lolla Pass começou ser vendido no dia 19 de novembro. Este tipo especial de ingresso dá acesso aos dois dias de festival e será vendido, em lote limitado, por R$ 540,00 (inteira) e R$ 270,00 (meia-entrada).

Os ingressos para um único dia de festival ainda estão no primeiro lote e custam R$ 290,00 (inteira) e R$ 145,00 (meia-entrada). O segundo lote sairá por R$ 350,00 (inteira) e R$ 175,00 (meia-entrada).

Os canais de venda são a internet (www.ticketsforfun.com.br); o telefone 4003-5588; pontos de venda da Time For Fun em todo o País. A bilheteria do Credicard Hall é o único local que não conta com taxa de conveniência.

Para os organizadores, o grande benefício para quem vai viver a experiência no ano que vem será a distância apropriada entre os 5 palcos, o que tende a garantir maior qualidade de som. O festival contará com mais áreas de descanso e mais opções de alimentação em 2014, além do Kidzapalooza, espaço dedicado às crianças com line-up exclusivo e atrações especiais.

A sustentabilidade, que é um dos principais conceitos do Lollapalooza nesses em 22 anos de história desde sua criação nos Estados Unidos, continuará presente. De acordo com os organizadores, o festival será planejado de forma a causar o menor impacto ao meio ambiente, desde as ativações até os materiais utilizados.

Veja abaixo os horários definidos para o Lollapalooza 2014:

Dia 5 de abril – Sábado

Palco Skol
Vespas Mandarinas (12h20 – 13h05)
Capital Cities (14h – 15h)
Julian Casablancas (16h10 – 17h10)
Phoenix (18h35 – 19h50)
Muse (21h30 – 23h)
Palco Onix
Silva (12h10 – 13h55)
Cage The Elephant (15h05 – 16h05)
Imagine Dragons (17h15 – 18h30)
NIN (19h55 – 21h25)
Palco Interlagos
Red Oblivion [Berklee] (12h45 – 13h30)
Lucas Santana (14h – 15h)
Café Tacvba (15h30 – 16h30)
PTM (17h – 18h)
Lorde (18h30 – 19h30)
Nação Zumbi (20h – 21h)
Disclosure (21h30 – 23h)
Palco Perry
Elekfantz (12h45-13h45)
Digitaria (14h15 – 15h15)
Perry/Etty Vs Joachim Garraud (15h30 – 16h30)
Flume (16h45 – 17h45)
Flux Pavilion (18h – 19h15)
Wolfgang Gartner (19h45 – 21h)
Kid Cudi (21h30 – 22h30)
KIDZAPALOOZA
Souza Lima (13h30 – 14h30)
School of Rock (15h – 16h30)
Coisinha (17h – 18h)
Dia 6 de abril – Domingo
Palco Skol
Francisca Valenzuela (11h50 – 12h35)
Raimundos (13h30 – 14h15)
Ellie Goulding (15h25 – 16h25)
Pixies (17h35 – 18h50)
Arcade Fire (20h30 – 22h)
Palco Onix
Illya Kuryaki & Valderramas (12h40 – 13h25)
Johnny Marr (14h20 – 15h20)
Vampire Weekend (16h30 – 17h30)
Soundgarden (18h55 – 20h25)
Palco Interlagos
Apanhador Só (12h15 – 13h)
Brothers of Brazil (13h30 – 14h15)
Selvagens à Procura de Lei (14h45 – 15h30)
Savages (16h – 17h)
AFI (17h30 – 18h30)
Jake Bugg (19h – 20h)
New Order (20h30 – 22h)
Palco Perry
Ftampa (12h30 – 13h15)
GABE (13h30 – 14h30)
Cone Crew (15h – 16h)
Baauer (16h15 – 17h15)
Krewella (17h30 – 18h30)
The Bloody Beetroots (19h – 20h15)
Axwell (20h45 – 22h)
KIDZAPALOOZA
Barbatuques – Workshop (14h – 15h)
Barbatuques – Show (16h – 17h)



Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Annihilator liberou clipe de música que estará em novo álbum da banda previsto para novembro.
Confira detalhes no link abaixo:
https://roquereverso.com/2017/09/13/annihilator-divulga-clipe-de-twisted-lobotomy-musica-do-novo-album-previsto-para-novembro/
#roquereverso #annihilator #jwaters666 Resenha do Roque Reverso sobre o grande show que Joe Satriani realizou no domingo, 6 de agosto, em São Paulo.
https://roquereverso.com/2017/08/08/mesmo-com-som-baixo-da-guitarra-joe-satriani-da-mais-uma-de-suas-aulas-em-show-gratuito-em-sp/
#roquereverso #joesatriani #auditorioibirapuera #parquedoibirapuera #samsungbluesfestival Documentário 'Sepultura Endurance' teve sua estreia geral ao público no dia 15 de junho e tem neste dia 19 exibição marcada para o Cine SESC, em São Paulo, pelo In-Edit Brasil, às 21h30.
Veja a resenha do Roque Reverso aqui:
https://roquereverso.com/2017/06/15/documentario-sepultura-endurance-mostra-saga-da-banda-brasileira-e-resistencia-apos-separacao-historica/
#roquereverso #sepultura #ineditbrasil #sepulturaendurance #cinesesc Já viu os preços para o show do U2 em São Paulo?
Veja os detalhes no texto do Roque Reverso aqui:
https://roquereverso.com/2017/06/08/ingressos-de-pista-comum-para-show-do-u2-em-sp-da-turne-de-30-anos-do-the-joshua-tree-custam-r-500/
#roquereverso #u2 #estadiodomorumbi #u2thejoshuatree2017 O "Sgt. Peppers" fez 50 anos e o Roque Reverso fez uma resenha bacana.
Confira aqui:
https://roquereverso.com/2017/05/30/50-anos-do-disco-sgt-peppers-lonely-hearts-club-band-um-dos-maiores-da-historia-e-simbolo-de-uma-geracao/
#roquereverso #beatles #paulmccartney #ringostarr #johnlennon #georgeharrison Nosso texto sobre a enorme perda de Kid Vinil:
https://roquereverso.com/2017/05/19/rock-nacional-de-luto-com-a-morte-de-kid-vinil-um-dos-maiores-embaixadores-do-estilo-no-pais/
Foto: Divulgação Facebook
#roquereverso #kidvinil

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 87 outros seguidores

setembro 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

Estatísticas

  • 540,284 hits
SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE