Archive for the 'Chris Martin' Category

10
nov
17

Coldplay proporciona uma noite onírica em São Paulo

Coldplay em SP - Foto: Divulgação Coldplay InstagramPor Mario Rocha*

O Coldplay não é a minha praia musical, gosto de algumas músicas e só. E os caras fazem muito o gênero coxinha pro meu gosto. Mas minha mulher adora. E eu a acompanhei ao Allianz Parque na noite de quarta-feira, dia 8 de novembro, porque aprendi nessa vida que disco é uma coisa e show é outra. E se, no estádio, você não consegue ver os músicos de perto (a não ser que você pague uma bala ou acampe na fila de entrada), a vibração coletiva é contagiante e renovadora da alma.

No palco, ao vivo e a cores, ouvi as mesmas músicas que ouço no disco. Chris Martin não é um vocalista de emocionar (a não ser as meninas  que piram no bonitão, que namorou a atriz Gwyneth Paltrow, que cá pra nós é uma loura fresca e aguada)
e não há na banda um virtuose em seu instrumento musical.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

Anúncios
08
abr
16

Com espetáculo de cores e luzes, Coldplay ratifica em SP condição de banda top do mainstream

Coldplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila CaraO Coldplay fez um grande show na quinta-feira, 7 de abril, no Allianz Parque, para 45 mil pessoas. Com um espetáculo de duas horas recheado de luzes e cores, além de boa música, a banda britânica ratificou na capital paulista a condição de banda top do mainstream, algo impensável quando começou a carreira, em 1996, num período no qual ainda era classificada com um conjunto musical alternativo.

Na badalada Arena do Palmeiras, o Coldplay satisfez o fiel público com grandes sacadas e um enorme profissionalismo, mostrando estar completamente antenado com a tecnologia e a interação com os fãs. Na ideia mais marcante e que dificilmente será esquecida por quem participou do show, o grupo distribuiu pulseiras piscantes que iluminaram todo o estádio, fazendo com que a plateia se transformasse em parte integrante dos efeitos especiais usados.

No seleto grupo de bandas top do mainstream do atual cenário do rock, não há dúvidas de que o Coldplay hoje faz companhia a nomes bem mais veteranos, como os Rolling Stones, o KISS, o AC/DC, o U2 e o Metallica, que lideram anualmente as maiores bilheterias com shows.

Independentemente do poder musical dos britânicos, eles mostraram aos fãs brasileiros que as casas de espetáculos menores de antigamente, como o saudoso Via Funchal (onde tocaram em 2003 e 2007), já não comportam o tamanho do conjunto musical.

O show no Allianz Parque não chegou a superar a apoteótica apresentação no Rock in Rio de 2011. Talvez, nem mesmo tenha sido melhor do que alguns dos grandes espetáculos acompanhados pelo Roque Reverso neste início de 2016, como os dos Rolling Stones e do Alabama Shakes, mas já se credenciou a disputar a lista dos mais marcantes do ano, que ainda tem muita gente badalada para fazer a festa dos brasileiros com o rock.

O show

A apresentação do Coldplay na Arena do Palmeiras começou com cerca de meia hora de atraso. Promovendo o disco “Head Full Of Dreams”, de 2015, o grupo seguiu o roteiro que vem sendo apresentado na turnê latino-americana.

Pouco antes do começo do show, os imensos telões recomendavam ao público que fossem colocadas as pulseiras. Era a deixa para quem ainda não sabia do script visto nas apresentações da América do Sul constatar que aquele objeto seria fundamental no espetáculo na capital paulista.

Quando as luzes se apagaram, a reação ensurdecedora da plateia já mostrava que aquele show seria inesquecível para os fãs. A introdução musical ficou por conta de “O Mio Babbino Caro”, obra de Puccini, na interpretação de Maria Callas.

Na sequência, foi a vez do discurso histórico de Charles Chaplin no filme “O Grande Ditador”, enquanto os telões mostravam a capa do disco de  “Head Full Of Dreams”. Foi quando um dos momentos mais interessantes do espetáculo aconteceu, pois muitos se surpreenderam quando a luz das pulseiras piscantes, controladas pela produção do Coldplay, foram iluminadas pela primeira vez.

Na cor vermelha, a iluminação do Allianz Parque influenciada pelas pulseiras chegou a lembrar o Morumbi tomado por chifrinhos piscantes no show que o AC/DC fez no Estádio do Morumbi em 2008. Depois, as cores foram variando até a banda subir ao palco e executar a faixa-título do novo disco, com direito a primeira de muitas vezes de uma enorme chuva de papel picado colorido que foi lançada na Pista Vip e na Pista Comum.

Com o público sedento por hits, o Coldplay trouxe “Yellow”. E o Allianz Parque ficou amarelo com inúmeras bexigas que os fãs levaram em mais um movimento de flash mob. Próximo ao fim da música, o vocalista Chris Martin deu seu primeiro gesto de simpatia da noite com uma breve saudação à plateia: “Boa noite, pessoal! Boa noite, paulistas! Que alegria estar no Brasil! O vosso país é lindo!”

Na sequência, foram executadas “Every Teardrop Is a Waterfall”, “The Scientist”, a nova “Birds” e “Paradise”. Na primeira, Martin colocou a bandeira do Brasil na cabeça (depois, durante o show, ela ficaria pendurada na cintura dele até o fim) e houve mais uma chuva de papel picado, desta vez em formato de estrelas. Na segunda, usou o piano e, em “Paradise”, as pulseiras foram reativadas na cores azul e verde, deixando o Allianz Parque ainda mais lindo do que já é.

Em dado momento, quem não soubesse que aquele era um show de rock, poderia pensar que estava numa espécie de Tomorrowland, tamanha quantidade de luzes, cores e efeitos usados pelo Coldplay. Em alguns períodos, a luz vinda do palco era tão intensa que chegava a incomodar os olhos do público.

Foi quando os músicos se dirigiram a um palco adicional B localizado na ponta da plataforma central que dividia toda a Pista Vip e ia até a divisa com a Pista Comum. Ali, a banda tocou “Everglow”, “Ink” e “Magic”, com direito ao vocalista dizendo que São Paulo era a “número 1”.

Coldplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila CaraColdplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila CaraColdplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila CaraColdplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila CaraColdplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila CaraColdplay no Allianz Parque em SP - Foto: Divulgação Time For Fun/Camila Cara

De volta ao palco principal, o Coldplay mesclou velhas e novas canções, como “Clocks”, “Midnight”, “Charlie Brown”, “Hymn for the Weekend” e “Fix You”. Em “Clocks” e “Midnight”, efeitos de raio laser se juntaram aos das pulseiras, deixando a Arena do Palmeiras ainda mais iluminada, colorida e frenética.

“Hymn for the Weekend”, talvez, seja a grande música do álbum novo, com uma melodia daquelas que ficam na mente durante dias e que funcionou bem ao vivo. Em “Fix You”, Martin caminhou pela plataforma e se ajoelhou, com direito a um imenso coral do público, num dos momentos mais emocionantes da apresentação.

Na sequência, o Coldplay mandou uma trinca de grande qualidade: “Heroes”, de David Bowie, “Viva la Vida” e “Adventure of a Lifetime”. A primeira, por incrível que possa parecer, não foi reconhecida por uma boa parte do público. A segunda, apesar das polêmicas relacionadas ao suposto plágio do mestre guitarrista Joe Satriani, é um dos grandes momentos da apresentação, com um show à parte do público.

A terceira mostrou toda a força da divulgação do álbum novo, pois contou com clipe amplamente mostrado nas redes sociais. Com isso, foi capaz de eletrizar o público tanto quanto “Viva la Vida”. No show do Allianz Parque, ainda contou com imensas bolas de plástico coloridas que foram jogadas para a plateia. No fim da música, Chris Martin pediu para todo público agachar e pular, fazendo lembrar, sem a intensidade e o peso característicos, os shows do Slipknot.

Xingamento frustrado

Pausa para um breve intervalo e meia dúzia de indivíduos da Pista Vip tentou puxar um coro de ofensa à presidente da República, Dilma Rousseff, com a peculiar falta de educação de quem costuma xingar sem se preocupar com a falta de respeito. Diferente do que se podia imaginar, o coro não pegou e foi completamente ofuscado pelo restante do público, interessado simplesmente em curtir um bom show de rock.

É realmente curioso ver que existem pessoas que gastam uma fortuna para eventos como do Coldplay, vibram como nunca na grande apresentação, mas não conseguem amansar o ódio da mente e do coração. É de dar pena de pessoas assim, mas o mundo precisa ainda melhorar muito e todos desejam que este tipo de gente realmente consiga ser completamente feliz algum dia.

Buscapé

Volta ao Bis

Na volta ao Bis, as pulseiras piscantes foram ativadas na cor vermelha e o Coldplay apareceu num terceiro palco adicional. Desta vez, o local estava situado no fundo da Pista Comum, na lateral bem próxima a arquibancada inferior do Allianz Parque.

Tal momento mostrou o respeito da banda pelos fãs. Foram tocadas neste terceiro palco as canções “Trouble” e “Speed of Sound”, esta uma solicitação do público, marcado por um fã que apareceu em vídeo no telão central pedindo a faixa.

No retorno ao palco principal, o grupo executou as três faixas finais. “Amazing Day”, “A Sky Full of Stars” e “Up&Up”. Na segunda música, Martin interrompeu para chamar dois casais ao palco B. Ali foram feitos pedidos de casamento, numa ação que lembrou o que aconteceu no show do Foo Fighters em 2015 no Estádio do Morumbi. Na volta à canção, as pulseiras piscantes ficaram azuis e uma chuva de estrelas de papel e plástico cintilante foi vista no Allianz Parque.

Críticas sobre talento musical à parte, o Coldplay fez um show que proporcionou alegria aos fãs. Goste ou não do grupo, isso era visível de maneira muito clara no rosto das pessoas. Num momento no qual o Brasil vive um momento ruim e com pessoas promovendo o ódio, é sempre bom momentos como o observado na Arena do Palmeiras. Quem sabe a receita médica para afastar o sentimento ruim de algumas pessoas não seria mais doses de shows de rock diária por todo o País?

Para relembrar a grande apresentação do Coldplay em São Paulo, o Roque Reverso descolou videos no YouTube. Fique inicialmente com o de “Yellow”. Depois veja os de “Paradise”, “Fix You” e um que traz de uma vez só “Heroes” e “Viva la Vida”. Para fechar, fique com um vídeo de “Speed of Sound”.

Set list

A Head Full of Dreams
Yellow
Every Teardrop Is a Waterfall
The Scientist
Birds
Paradise
PALCO ADICIONAL B
Everglow
Ink
Magic
VOLTA AO PALCO PRINCIPAL
Clocks
Midnight
Charlie Brown
Hymn for the Weekend
Fix You
Heroes
Viva la Vida
Adventure of a Lifetime
PALCO ADICIONAL C
Trouble
Speed of Sound
VOLTA AO PALCO PRINCIPAL
Amazing Day
A Sky Full of Stars
Up&Up

03
dez
14

Bruce Springsteen e Chris Martin substituem o lesionado Bono em show surpresa do U2 em Nova York

Bruce Springsteen e Chris Martin com o U2 em evento surpresa em Nova York - Foto: Divulgação Bruce SpringsteenBruce Springsteen e o vocalista do Coldplay, Chris Martin, substituíram Bono Vox em show surpresa que o U2 realizou na Times Square, em Nova York, na noite de segunda-feira, dia 1º de dezembro, quando astros se reuniram em celebração ao Dia Mundial da Luta Contra a Aids.

Depois de um discurso do ex-presidente do Estados Unidos Bill Clinton, Martin subiu ao palco e iniciou o show com a banda irlandesa. Ele cantou a música “Beautiful Day” e, na sequência, “With or Without You”.

Depois de outras personalidades da música, como o rapper Kanye West, Bruce Springsteen cantou com o U2 os clássicos “Where the Streets Have no Name” e “I Still Haven’t Found What I’m Looking For”.

Bono não conseguiu tocar com o U2 porque se recupera de um acidente sério. Ele se machucou recentemente ao cair de bicicleta no Central Park, em Nova York. Teve lesões no rosto, no ombro e no braço, e passou por várias horas de cirurgia.

No vídeo abaixo, você pode ver todo o evento surpresa que celebrou o Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Se quiser apenas assistir às apresentações de Chris Martin e Bruce Springsteen, vá, respectivamente, aos trechos dos minutos 5 e 37.

04
out
11

Set list, fotos e vídeos do show do Coldplay no Rock in Rio

O Coldplay fez um dos maiores shows do Rock in Rio 2011 na capital fluminense. A banda britânica se apresentou no sábado, dia 1º de outubro, para 100 mil pessoas e conseguiu provocar uma catarse coletiva só comparada ao que o Metallica havia proporcionado no show do dia 25 na capital fluminense.

Com dedicação comovente, simpatia imensa e com a extraordinária recepção do público presente, o grupo liderado pelo ótimo vocalista Chris Martin foi um dos poucos a trazer o clima de rock de arena que o festival exigia.

A banda até adotou uma tática bastante arriscada para grandes festivais, já que, do repertório de 18 músicas, sete eram do novo álbum “Mylo Xyloto”, que será lançado no dia 24 de outubro. Mas, com o carisma de Chris Martin e alguns dos maiores clássicos do rock do novo milênio, o Coldplay segurou bem a onda e conseguiu cativar o público.

Alguns dos grandes destaques do show foram as músicas “Yelllow”, “In My Place”, “Viva la Vida” e “Clocks”.

Em todas elas, o coral de 100 mil vozes formado pelo público emocionou a todos que estavam assistindo à apresentação, seja em plena Cidade do Rock ou pela TV.

Não bastasse a boa voz, Chris Martin ganhou a plateia com alguns gestos de grande simpatia. Arriscou o português em vários momentos, fez declarações de amor ao Brasil; pichou um pedaço do palco com a palavra “Rio”; sendo que a letra “o” foi trocada por um coração; e homenageou a falecida cantora Amy Winehouse com um trecho da clássica música. “Rehab”.

Para completar, fogos, papel picado e luzes coloridas foram usadas de maneira perfeita, dando um visual bem interessante ao show.

O Roque Reverso não esteve presente na Cidade do Rock no dia do show, mas acompanhou toda a apresentação do Coldplay pela TV, como boa parte dos brasileiros amantes da boa música. Para relembrar o grande show do Coldplay no Rock in Rio, descolamos 5 vídeos no YouTube. Para começar, fique com “Yellow” e “In My Place”. Depois, veja “Viva la Vida”, “Clocks” e “Fix You Live”. Se quiser ver o show na íntegra, entre neste link.

Set list

Mylo Xyloto
Hurts Like Heaven
Yellow
In My Place
Major Minus
Paradise
Lost!
Violet Hill
God Put a Smile on Your Face
The Scientist
Us Against The World
Politik
Viva la Vida
Charlie Brown
Life Is for Living
 
Clocks
Fix You
Every Teardrop Is a Waterfall



Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Anthrax em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #anthrax #scottian Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Accept em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #accept Anthrax em São Paulo em novembro de 2017
#roquereverso  #tombrasil  #anthrax #charbenante

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 89 outros seguidores

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE