Archive for the 'Echo & The Bunnymen' Category

10
maio
18

Após reação negativa dos fãs, Echo volta atrás e decide fazer show em data da final da Champions

Ian McCulloch, vocalista do Echo & The Bunnymen - Foto: Divulgação FacebookDurou pouco a decisão do Echo & The Bunnymen de adiar um show que faria no Reino Unido em virtude da decisão da Liga dos Campeões da Europa. Nesta quinta-feira, 10 de maio, a banda britânica de Liverpool lamentou a repercussão negativa, voltou atrás e decidiu que vai realizar uma apresentação na cidade de Birmingham no dia 26 de maio, quando as equipes do Real Madrid e do Liverpool decidem a final da Champions, em Kiev, na Ucrânia.

Na quarta-feira, 9, o grupo, que tem entre os seus integrantes torcedores fanáticos pelo Liverpool, informou aos fãs que adiaria o show em Birmingham, do dia 26 para o dia 29.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

Anúncios
09
maio
18

Echo & The Bunnymen pede à UEFA para mudar data da final da Champions; show é adiado

Ian McCulloch, vocalista do Echo & The Bunnymen - Foto: Divulgação/FacebookO que é mais importante: tocar no show da sua famosa banda de rock ou torcer pro seu time de coração numa final de campeonato? Os integrantes do Echo & the Bunnymen não têm a menor dúvida. E nem eu. O futebol é muito mais importante.

A banda de Liverpool tinha um show marcado para 26 de maio em Birmingham, no Reino Unido. No mesmo dia e na mesma hora, o Liverpool FC, time de coração dos principais integrantes da banda, vai enfrentar o Real Madrid em Kiev, Ucrânia, na decisão da Liga dos Campeões da Europa.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

19
abr
18

Com releituras e 2 inéditas, novo álbum do Echo & The Bunnymen será lançado em outubro

O veterano Echo & The Bunnymen lançará disco novo no segundo semestre de 2018. “The Stars, The Oceans & The Moon” é o nome do álbum, que chegará aos fãs no dia 5 de outubro.

Segundo a banda britânica, o novo trabalho, cuja capa pode ser conferida ao lado, trará 15 músicas.

A maioria delas será de reinterpretações de clássicos, com “com cordas e coisas”, conforme explica o próprio grupo.

Dessas 15 músicas, duas serão inéditas. São as canções “The Sonambulist” e “How Far”.

“The Stars, The Oceans & The Moon” será o 13º disco do Echo & The Bunnymen. Sucederá “Meteorites”, de 2014.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

08
nov
14

Hits e nostalgia dominam show do Echo & The Bunnymen em SP que promoveu novo disco

Echo & The Bunnymen em SP - Foto: Divulgação/Midiorama/Francisco Cepeda/AgnewsO Echo & The Bunnymen voltou ao Brasil e passou por São Paulo para se apresentar no dia 2 de novembro, um domingo, no HSBC Brasil. Apesar show marcar a divulgação do novíssimo álbum “Meteorites”, a banda britânica despejou hits e espalhou nostalgia pela casa paulistana, contentando a maioria do público presente.

O HSBC não estava lotado, mas contou com um bom público, o suficiente para transformar o local em vários momentos num ambiente agradável.

Por mais que boa parte dos fãs presentes fossem da faixa etária acima dos 40 anos e não tivessem o mesmo pique da juventude, não faltou empolgação.

Sim, o Echo também não é há tempos aquela banda que arrastou uma legião de fãs nos Anos 80. O grupo, porém, continua tocando muito bem ao vivo e garantindo a diversão de quem se sujeita a acompanhá-lo.

A apresentação começou com a faixa-título do novo álbum. A canção serviu para preparar o público para os hits seguintes. Logo na sequência, o clássico “Rescue”, do álbum de estreia “Crocodiles”, de 1980, já animou os saudosistas, mas viria muito mais na viagem no tempo que o grupo ofereceu.

“Do It Clean”, também do primeiro trabalho, e “Never Stop” mantiveram a nostalgia no ar. Na cover do The Doors, “People Are Strange”, o Echo mostrou porque fez uma das melhores versões para a pérola de Jim Morrison.

A voz de Ian McCulloch obviamente também não é nem sombra do que se via nos tempos áureos do Echo, mas ele conseguiu driblar os efeitos da idade, do cigarro e do álcool sem maiores problemas. O vocalista não teve o menor constrangimento em usar o público no refrão de várias músicas e isso não incomodou nem um pouco, já que era parte da diversão.

“Seven Seas”, do grande álbum “Ocean Rain”, de 1984, e “Bedbugs and Ballyhoo”, do disco “Echo & The Bunnymen”, de 1987, continuaram matando as saudades dos fans. Vale destacar que o outro membro da formação original, o guitarrista Will Sergeant, continua afiado e mostrou em vários momentos que a idade até pode chegar, mas o domínio do instrumento dificilmente se perde.

Echo & The Bunnymen em SP - Foto: Divulgação/Midiorama/Francisco Cepeda/AgnewsEcho & The Bunnymen em SP - Foto: Divulgação/Midiorama/Francisco Cepeda/AgnewsEcho & The Bunnymen em SP - Foto: Divulgação/Midiorama/Francisco Cepeda/AgnewsEcho & The Bunnymen em SP - Foto: Divulgação/Midiorama/Francisco Cepeda/Agnews

Depois desta grande sequência de canções antigas, o grupo tocou mais uma do álbum novo. “Holy Moses” não comprometeu, mas acabou servindo para aquele momento de breve preparação para a outra leva de hits que seria apresentada. Após “Rust”, “All My Colours” e “Over the Wall”, ainda foi tocada “Constantinople”, também do disco recente.

Na sequência, o Echo trouxe só coisas das antigas e o HSBC vibrou ainda mais. Depois de “All That Jazz”, a banda emendou o megahit “Bring On the Dancing Horses”, que talvez tenha sido a música melhor executada da noite.

Não bastasse a euforia do público com a música, a banda emendou a grande balada “The Killing Moon”, que fez o HSBC inteiro cantar junto. Para fechar a primeira parte do show, nada menos que a ótima “The Cutter”, que mostrou a banda bastante entrosada.

Depois da pequena pausa para o descanso, o bis reservaria mais momentos de emoção na casa de shows paulistana. Apesar dos apelos de uma parte do público, “The Game” não foi executada, mas apenas teve um trecho cantado à capela por  Ian McCulloch, enquanto o restante do grupo ajeitava os instrumentos para a sequência do show.

A bela “Nothing Lasts Forever”, do álbum “Evergreen”, de 1997, foi a escolhida para a retomada da apresentação. Durante a música, o público ainda foi presenteado com um trecho de “Walk on the Wild Side”, do falecido Lou Reed, para alegria da plateia.

Depois do presente, o megahit “Lips Like Sugar” levou o nível de empolgação dos fãs ao nível máximo. Décadas passam e essa música continua com o poder de levantar o mais frio dos fãs.

Detalhe que, no dia anterior, durante apresentação no Rio de Janeiro, ela não foi tocada porque o grupo saiu do palco sem cumprir o set list inteiro, já que, segundo relatos, estava insatisfeito com a qualidade do som. Em São Paulo, não apenas a música foi tocada na íntegra como Ian McCulloch começou a jogar toalhas brancas para o público.

Na sequência, mais uma breve pausa para o Echo se dirigir aos camarins. Na volta, o segundo bis contou com linda “Ocean Rain”, que foi tocada com maestria pelos músicos.

Chegava ali o fim de mais uma apresentação do Echo & The Bunnymen na capital paulista. Certamente, muitos que já tinham visto outros shows sabem que aquele não foi o melhor da banda por aqui, mas engana-se quem achar que não houve satisfação por parte do público presente.

O saldo do show foi positivo e a impressão é de que, enquanto Ian McCulloch & Cia. estiverem a fim de música, o Echo voltará outras vezes para o Brasil para alegrar seus eternos fãs. O rock n’ roll simplesmente agradece!

Para relembrar o show do Echo & The Bunnymen em São Paulo, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Fique inicialmente com “Rescue”. Depois, veja “People Are Strange”, “Bring On the Dancing Horses” e “The Killing Moon”. Para fechar, fique com “Lips Like Sugar”.

Set list

Meteorites
Rescue
Do It Clean
Never Stop
People Are Strange
Seven Seas
Bedbugs and Ballyhoo
Holy Moses
Rust
All My Colours
Over the Wall
Constantinople
All That Jazz
Bring On the Dancing Horses
The Killing Moon
The Cutter

The Game
Nothing Lasts Forever/Walk on the Wild Side/Don’t Let Me Down/In the Midnight Hour/Coney Island Baby
Lips Like Sugar

Ocean Rain

03
out
14

Ingressos de primeiro lote de Pista para Echo & The Bunnymen saem por R$ 160 no Rio e em SP

Echo & The Bunnymen - Reprodução de Cartaz dos Shows no Brasil em 2014Os ingressos para os shows que o Echo & The Bunnymen realizará no Brasil em novembro já estão à venda desde o fim de setembro, poucos dias depois de o Roque Reverso noticiar o retorno do grupo britânico ao País.

Para a apresentação na Fundição Progresso (Rio de Janeiro), no dia 1º de novembro, as entradas começaram a ser negociadas desde o dia 26 de setembro. Para o show no HSBC Brasil, em São Paulo, no dia 2 de novembro, os ingressos começaram a ser vendidos para o público em geral no dia 29 de setembro.

Na capital fluminense, há apenas a opção de Pista na Fundição Progresso. O primeiro lote está saindo pelo valor de R$ 160,00 (inteira).

Na capital paulista, há várias opções. Entradas inteiras para Pista também custam R$ 160,00.

Há também no HSBC Brasil a famigerada Pista Vip com o preço de R$ 280,00, o mesmo que está sendo cobrado para o Camarote. Para as Frisas, o ingresso sai por R$ 240,00. Para a Cadeira Alta, com visão parcial, custa R$ 200,00.

Além de poder ser adquirido nas próprias casas de show sem a taxa de conveniência, os bilhetes podem ser comprado pela internet, com as taxas. Para o show do Rio, o site é o www.livepass.com.br. Para a apresentação de São Paulo, o site é o www.ingressorapido.com.br.

O Echo trará sua mais recente turnê mundial que promove o lançamento do álbum “Meteorites”, de maio deste ano. Os shows são uma realização da Move Concerts.

O disco é o primeiro da banda desde “The Fountain”, de 2009, e o décimo segundo de toda a carreira. Da formação original da banda, continuam firmes o ótimo guitarrista Will Sergeant e o grande vocalista Ian McCulloch, que já declarou seu amor pelo Brasil diversas vezes.

Formada em Liverpool em 1978, a banda é considerada uma das melhores do pós-punk, já que lançou álbuns clássicos do rock que influenciaram muita gente na década de 80. “Crocodiles”, de 1980, “Porcopine”, de 1983, e “Ocean Rain”, de 1984, são discos indispensáveis para os amantes da boa música.

23
set
14

Echo & The Bunnymen volta ao Brasil em novembro para shows no Rio e em SP

Echo & The Bunnymen - Foto: DivulgaçãoO Echo & The Bunnymen voltará ao Brasil em novembro. A banda britânica fará shows no Rio de Janeiro e em São Paulo. Na capital fluminense, o grupo se apresentará na Fundição Progresso no dia 1º de novembro. Na capital paulista, o HSBC Brasil será palco dos ingleses no dia 2.

O Echo trará sua mais recente turnê mundial que promove o lançamento do álbum “Meteorites”, de maio deste ano.

O disco é o primeiro da banda desde “The Fountain”, de 2009, e o décimo segundo de toda a carreira.

Da formação original da banda, continuam firmes o ótimo guitarrista Will Sergeant e o grande vocalista Ian McCulloch, que já declarou seu amor pelo Brasil diversas vezes.

Nos shows da turnê, que já passou por boa parte da Europa, além de músicas de “Meteorites”, o grupo também desfilará seus inúmeros hits, como “The Killing Moon”, “Bring on the Daning Horses” e “Lips like Sugar”, entre muitos outros.

A venda de ingressos começam na sexta-feira dia 26 de setembro, a partir das 10 horas, no link http://www.livepass.com.br para o show do Rio de Janeiro e na segunda-feira, dia 29 de setembro, a partir das 10 horas, no link http://www.ingressorapido.com.br , para o show de São Paulo.

Informações de preços de ingressos serão divulgadas em breve. As apresentações brasileiras são uma realização da Move Concerts.

Formada em Liverpool em 1978, a banda é considerada uma das melhores do pós-punk, já que lançou álbuns clássicos do rock que influenciaram muita gente na década de 80. “Crocodiles”, de 1980, “Porcopine”, de 1983, e “Ocean Rain”, de 1984, são discos indispensáveis para os amantes da boa música.

Para comemorar a vinda do Echo & The Bunnymen, o Roque Reverso selecionou no YouTube os vídeos de três grandes hits da banda. Fique inicialmente com “Lips Like Sugar”. Depois, veja “The Game”, com cenas do grupo no Brasil nos Anos 80. Para fechar, assista ao clipe de “The Cutter”.

17
maio
14

30 anos do álbum ‘Ocean Rain’, do Echo & The Bunnymen

Se 2014 é um ano repleto de aniversários de 30 anos de vários álbuns importantes do rock n’ roll, o mês de maio deste ano reserva mais de uma data com esta comemoração. Além do disco “Stay Hungry”, do Twisted Sister, outro trabalho que completou três décadas foi “Ocean Rain”, do respeitadíssimo Echo & The Bunnymen.

O álbum foi lançado oficialmente no dia 4 de maio de 1984, mas dois singles do disco já haviam sido comercializados antes: “The Killing Moon”, que saiu em janeiro, e “Silver”, que foi lançado em abril do mesmo ano.

“Ocean Rain” é o quarto álbum da banda e é considerado pela crítica e pelos fãs como o melhor da carreira do Echo & The Bunnymen.

O próprio vocalista do grupo, Ian McCulloch, chegou a declarar que o disco era a “mais definitiva declaração” do grupo britânico.

De fato, qualquer ser pensante que conheça o mínimo possível de rock n’ roll tem a obrigação de conhecer, por exemplo, “The Killing Moon”. A música não somente é o maior sucesso do Echo como se transformou num dos maiores clássicos da história do rock.

“Quando eu canto “The Killing Moon”, eu sei que não há banda no mundo que tenha conseguido fazer qualquer música que tenha chegado perto dela”, disse o “modesto” McCulloch.

Além desta canção e de “Silver”, há outras músicas de grande qualidade no álbum. “Seven Seas”, que também saiu em single, e a música-título também trazem o Echo com grande qualidade.

O disco, que contou com a produção da banda, de Gil Norton e de Henri Lonstan, traz o Echo & The Bunnymen ainda mais maduro do que em seus três primeiros álbuns, além de faixas orquestradas que enriqueceram o trabalho.

Para os leitores mais jovens que não conhecem a banda, ela hoje pode não ter o status histórico de um U2, de um The Cure ou de um The Smiths, mas, na década de 80, era tão respeitada como estes três grupos.

Em 1987, o Echo esteve no Brasil e conseguiu fazer shows disputadíssimos no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo, e no Canecão, no Rio de Janeiro. Na época, as apresentações foram consideradas as melhores entre as internacionais naquele ano, conforme a crítica especializada do País.

“Ocean Rain” faz parte da seleta lista do livro “1001 Discos Para Ouvir Antes de Morrer”, de Robert Dimery.

Para homenagear os 30 anos do álbum, o Roque Reverso descolou três clipes do disco no YouTube. Fique para começar com o megaclássico “The Killing Moon”. Depois, veja “Seven Seas” e “Silver”, esta última em versão ao vivo.




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 96 outros seguidores

junho 2018
D S T Q Q S S
« maio    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Anúncios