05
dez
16

No Rio, Black Sabbath faz história do heavy metal passar diante dos olhos dos fãs

Black Sabbath no Rio de Janeiro - Foto: Divulgação

Por Gulherme Monsanto*

Quem viu, viu. The end. Num show curto, pontual, mas muito poderoso, o Black Sabbath pisou no sábado, dia 2 de dezembro, no Rio de Janeiro pela terceira vez em sua história – as outras foram em 1992, com Ronnie James Dio nos vocais, no Canecão, e em 2013, com a mesma formação do sábado passado.

Set list previsível? Sim, mas não tinha como dar errado: a banda jogou para a plateia na Praça da Apoteose, parecia meio no automático e apresentou as mesmas canções dos seis shows anteriores da turnê The End. Mas e daí?

Previsível, mas incrível, com alguns elementos fora do eixo. Ou seria clichê iniciar um show com uma música que começa arrastada, como “Black Sabbath”?

Em seguida, três clássicos: “Fairies Wear Boots”, “After Forever” e “Into the Void”, dos primeiros discos da banda, vieram na sequência, mostrando um Ozzy muito afinado, mas econômico na presença de palco, sem correria, sem os baldes d’água na plateia – afinal de contas, aqui ele joga para a equipe e não é o único dono do espetáculo.

“Snowblind”, executada logo depois, foi a representante solitária do “Vol. 4”. Foi precisa, perfeita, com Ozzy atingindo bravamente as notas mais altas da música.

Depois, luzes apagadas e sirenes, telão bombando para “War Pigs”, cantada de cabo a rabo por todos. Em seguida, “Behind the Wall of Sleep” preparou o terreno para a introdução do baixista Geezer Butler para “N.I.B.”.

“Rat Salad” colocou o baterista Tommy Clufetos para trabalhar, descansando o resto da banda para um final matador: “Iron Man”, óbvia, mas essencial num show do Sabbath,

“Dirty Women”, do espetacular e subestimado “Technical Ecstasy”, e “Children of the Grave”, emplacando a terceira música do excelente “Master of Reality”.

“Paranoid”, executada no bis um pouco mais lenta do que em outras épocas, veio avassaladora, obrigatória, encerrando uma noite que, se poderia ter sido mais longa, foi igualmente inesquecível para os moleques das rodinhas e coroas nostálgicos que foram à Apoteose.

Black Sabbath no Rio - Foto: Reprodução do YouTubeBlack Sabbath no Rio - Foto: Reprodução do YouTubeBlack Sabbath no Rio - Foto: Reprodução do YouTubeBlack Sabbath no Rio - Foto: Reprodução do YouTubeBlack Sabbath no Rio - Foto: Reprodução do YouTubeBlack Sabbath no Rio - Foto: Reprodução do YouTube

Daquilo que estava fora do palco: alguns reclamaram do som baixo – e diferentemente de 2013, estava um pouco mesmo, mas muito nítido. Era possível ouvir com clareza cada um dos instrumentos em sua proporção correta.

Outros chiaram contra a cerveja Heineken a R$ 12, cujo copo especial com a logo da banda e a data do show foi disputadíssimo. Tinha, mas acabou cedo demais.

Sobre assistir a shows na Praça da Apoteose: este jornalista costumava achar um dos locais mais confortáveis para assistir shows antes da invenção da Pista Premium, VIP. Lá atrás, e nas arquibancadas, casa cheia, e a sensação de que estas duas áreas já foram maiores.

Isso fica ainda mais marcante se compararmos a pista comum do show do Guns, no Engenhão, no mês passado. Muitos de nós fomos salvos pelo telão.

No fim, apesar do show curto, de 13 músicas – pouco mais de 1 hora e meia– bateu a nostalgia. De saber que vimos a história do gênero musical de que tanto gostamos passar diante dos nossos olhos. Provavelmente nossa derradeira oportunidade de ver o verdadeiro “Iron Man” Tony Iommi, mestre dos riffs e que botou um câncer para correr.

De ouvir um dos frontmen mais emblemáticos da música no século XX. E de curtir um dos baixistas mais influentes do metal. Faltou Bill Ward? Claro, mas Tommy Clufetos, baterista em sua segunda tour com a banda, esbanjou muita técnica, agilidade e força.

Para quem tem a carreira e o repertório de 48 anos de estrada, seria perfeitamente possível um outro set list. O Black Sabbath pode de fato pendurar as chuteiras, mas a banda segue eterna enquanto um adolescente pegar uma guitarra para aprender os riffs de quase 50 anos de história.

O Roque Reverso, para relembrar o show na capital fluminense e a passagem do Black Sabbath pelo Brasil (o site não obteve credenciamento da produtora Time For Fun para o show de São Paulo), descolou clipes no YouTube. Fique inicialmente com a abertura e a música “Black Sabbath”. Depois, veja a banda executando “N.I.B.”, “Iron Man” e “Children of the Grave”.

Set list

Black Sabbath
Fairies Wear Boots
After Forever
Into the Void
Snowblind
War Pigs
Behind the Wall of Sleep
N.I.B.
Rat Salad
Iron Man
Dirty Women
Children of the Grave

Paranoid

*Guilherme Monsanto é jornalista, parceiro do Roque Reverso no Rio e amante do bom e velho rock n’ roll
Anúncios

1 Response to “No Rio, Black Sabbath faz história do heavy metal passar diante dos olhos dos fãs”


  1. 9 de dezembro de 2016 às 01:02

    Acredito que esta passagem da banda pelo Brasil em 2016 não tenha superado 2013, mas um show do Black Sabbath com esta formação dificilmente sai da mente!


Deixe um comentário (para isso, insira seu endereço de e-mail e o nome)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Resenha do Roque Reverso sobre o grande show que Joe Satriani realizou no domingo, 6 de agosto, em São Paulo.
https://roquereverso.com/2017/08/08/mesmo-com-som-baixo-da-guitarra-joe-satriani-da-mais-uma-de-suas-aulas-em-show-gratuito-em-sp/
#roquereverso #joesatriani #auditorioibirapuera #parquedoibirapuera #samsungbluesfestival Documentário 'Sepultura Endurance' teve sua estreia geral ao público no dia 15 de junho e tem neste dia 19 exibição marcada para o Cine SESC, em São Paulo, pelo In-Edit Brasil, às 21h30.
Veja a resenha do Roque Reverso aqui:
https://roquereverso.com/2017/06/15/documentario-sepultura-endurance-mostra-saga-da-banda-brasileira-e-resistencia-apos-separacao-historica/
#roquereverso #sepultura #ineditbrasil #sepulturaendurance #cinesesc Já viu os preços para o show do U2 em São Paulo?
Veja os detalhes no texto do Roque Reverso aqui:
https://roquereverso.com/2017/06/08/ingressos-de-pista-comum-para-show-do-u2-em-sp-da-turne-de-30-anos-do-the-joshua-tree-custam-r-500/
#roquereverso #u2 #estadiodomorumbi #u2thejoshuatree2017 O "Sgt. Peppers" fez 50 anos e o Roque Reverso fez uma resenha bacana.
Confira aqui:
https://roquereverso.com/2017/05/30/50-anos-do-disco-sgt-peppers-lonely-hearts-club-band-um-dos-maiores-da-historia-e-simbolo-de-uma-geracao/
#roquereverso #beatles #paulmccartney #ringostarr #johnlennon #georgeharrison Nosso texto sobre a enorme perda de Kid Vinil:
https://roquereverso.com/2017/05/19/rock-nacional-de-luto-com-a-morte-de-kid-vinil-um-dos-maiores-embaixadores-do-estilo-no-pais/
Foto: Divulgação Facebook
#roquereverso #kidvinil Nosso texto sobre a enorme perda de Chris Cornell:
https://roquereverso.com/2017/05/18/rock-chora-a-morte-de-chris-cornell-vocalista-do-soundgarden-e-do-audioslave/
Foto: Divulgação Facebook
#roquereverso #chriscornell #soundgarden #audioslave

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 87 outros seguidores

dezembro 2016
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

Estatísticas

  • 535,368 hits
SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE


%d blogueiros gostam disto: