31
dez
09

Quanto vale o Guns N’ Roses sem Slash?

O Flavio foi avisado de antemão que o companheiro de blog dele é um tanto relapso, mas não deve ter imaginado o quanto até a semana passada. Como nossas escalas de fim de ano no trabalho não coincidiram, imagino o susto dele ao abrir o blog e não encontrar nada sobre o anúncio dos shows que o Guns N’ Roses fará no Brasil em 2010.

Abri o computador no meio do meu recesso pré-férias justamente pra escrever sobre os shows e fiquei gratamente surpreso ao ver que o Flavio já havia atualizado o blog, ainda mais pelo fato de o Guns não figurar entre as bandas favoritas dele e de ocupar, desde a pré-adolescência, minha cabeceira, antes com discos e fitas, hoje com CDs e DVDs.

Já que as informações sobre o show já estão no ar, vou puxar um outro fio.

Os preços dos shows de rock internacionais no Brasil estão assombrosamente altos. Se você não for estudante, por exemplo, pagará R$ 300 para assistir ao Metallica na pista. Lembro-me de ter pagado uma merreca pra ver o Metallica em 1993 no Porcódromo (não passa vontade, Flavinho). A moeda era outra e não tenho como fazer a conversão no momento, mas o preço do ingresso não era impeditivo como hoje.

Ingressos para shows recentes, como AC/DC, Iron Maiden, Ozzy Osbourne e outros, também custaram os olhos da cara. Mas uma coisa é pagar caro pra assistir ao Metallica com uma escalação de primeira linha, pra ver o AC/DC com aquela que, em minha opinião, é sua melhor formação, ou pra testemunhar o Iron Maiden com Bruce Dickinson e o trio de guitarras de Adrian Smith, Dave Murray e Janick Gers (sem contar a cozinha original), ou ainda para ver Zakk Wylde ao lado Ozzy Osbourne.

A pergunta que fica então é a seguinte: quem vai pagar caro para ver o Guns N’ Roses sem Slash? Em 2007, quando o Aerosmith tocou no Morumbi, a abertura coube ao Velvet Revolver. E eu não era a única pessoa que estava lá mais por causa da banda comandada por Slash (e que ainda tinha na linha os ex-GNR Duff McKagan e Matt Sorum) do que pelo Aerosmith em forma duvidosa.

Ao contrário da crítica em geral e das minhas próprias expectativas, gostei bastante de Chinese Democracy, o CD que Axl Rose levou mais de uma década pra gravar e concluiu em 2008, creio eu, mais por uma questão de honra do que por qualquer outra coisa. Ainda assim, eu pergunto ao leitor: quanto vale o Guns N’ Roses sem Slash?


1 Response to “Quanto vale o Guns N’ Roses sem Slash?”


  1. 1 Flavio
    31 de dezembro de 2009 às 13:03

    Só um detalhe importante: o Guns, com certeza, está na minha lista de bandas favoritas da história. Só que é o Guns de 87/88, que tinha Izzy e Cia e que poderia ter atingido um nível de estrelato ainda maior, se a briga de egos dos meninos não tivesse atrapalhado tudo.

    Volta Slash!!

    Abs


Deixe um comentário (para isso, insira seu endereço de e-mail e o nome)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se aos outros seguidores de 102

dezembro 2009
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias

Follow Roque Reverso << on WordPress.com

%d blogueiros gostam disto: