Posts Tagged ‘Thom Yorke

27
jan
20

Aerosmith faz reencontro com Run-DMC no Grammy; Cage The Elephant leva Melhor Álbum de Rock

Tradicionalmente desprestigiado na maioria das premiações anuais recentes, o rock n’ roll pouco apareceu na cerimônia de 2020 do Grammy em Los Angeles, nos Estados Unidos. No evento que começou na noite do domingo, 26, e terminou já na madrugada (horário de Brasília) da segunda-feira, 27, o reencontro entre o Aerosmith e o lendário grupo de hip hop Run-DMC foi o melhor momento rock do evento.

Com uma produção gigantesca de palco que já é marca registrada nos shows das cerimônia do Grammy, Aerosmith e Run-DMC executaram o clássico “Walk This Way” e fizeram o público presente dançar e pular.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

31
jul
16

Radiohead compensa ingresso disputado e encerra show em Nova York com o hit ‘Creep’

Radiohead em Nova York - Foto: Divulgação Madison Square Garden/Carl ScheffelPor Altamiro Silva Júnior*

A banda inglesa Radiohead deu início na última semana de julho a sua primeira turnê nos Estados Unidos desde 2012. O rompimento do hiato foi feito com dois shows disputadíssimos no Madison Square Garden, em Nova York, nos dias 26 e 27.

Mesmo com Nova York sendo uma cidade que, em termos de atrações culturais, tem de tudo, o tempo todo, o show do Radiohead causou uma agitação ou “a fuss”, como disse a imprensa dos EUA, raramente vista.

Os ingressos se esgotaram em minutos. Vendidos oficialmente a US$ 80, estavam sendo oferecidos por sites de revendas e cambistas por até US$ 2 mil.

Nos sites e blogs, várias pessoas relataram que pagaram caro e quando foram entrar no local do show, o ingresso era falso. Na porta do Madison Square Garden, uma fila gigante de fans que esperavam por alguma desistência entre os tickets reservados para patrocinadores e (poucos) convidados.

Este repórter conseguiu a duras penas um ingresso para o segundo show por US$ 200, faltando apenas meia hora para o início. Cheguei e as luzes já estavam se apagando e, qual não foi minha surpresa ao ver que minha cadeira era ao lado da do líder do R.E.M., Michael Stipe, e ainda na fileira 5, a poucos metros do palco.

Foi, no mínimo, interessante ver como Stipe, careca e com uma longa barba, uma das influências do Radiohead, aplaudiu animado as músicas da banda inglesa enquanto tomava uma cerveja (vendida a US$ 12,50!).

Thom Yorke e o restante da banda compensaram o esforço dos que pagaram caro pelos ingresso (e pela cerveja) com um show de duas horas e dois bis. O vocalista segue com uma voz impecável e capaz de fazer uma arena com 20 mil pessoas se calar completamente enquanto cantava só com um piano “Pyramid Song”, uma das músicas “depressivas” da banda.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

11
jan
16

Morte de David Bowie surpreende o mundo e deixa criatividade do rock na UTI

Bowie gif - Obra de Helen GreenNem bem se recuperava da grande perda do “padrinho do heavy metal” Lemmy Kilmister e o rock n’ roll sofreu um novo e devastador baque. Nesta segunda-feira, 11 de janeiro de 2016, o mundo foi surpreendido com a notícia da morte de David Bowie, o “camaleão do rock”. A morte do astro aconteceu no domingo, dia 10, mas foi comunicada apenas no dia seguinte.

As informações oficiais são de que Bowie lutava contra um câncer havia 18 meses. Segundo o site DutchNews.nl, o cantor sofria com um câncer no fígado, mas a família, que preferiu preservar o artista, não confirmou a informação, dada por Ivo van Hove, amigo do músico.

“David Bowie morreu em paz hoje cercado por sua família após uma corajosa batalha de 18 meses com câncer. Enquanto muitos de vocês vão compartilhar essa perda, nós pedimos que respeitem a privacidade da família durante o seu tempo de luto”, diz o comunicado publicado no perfil oficial do cantor no Facebook.

A morte de Bowie aconteceu dias depois de o astro comemorar 69 anos de idade. Na mesma data do aniversário, ele presentou os fãs com seu último disco de inéditas: ★. Para quem faz questão de pronunciar algo, o nome sugerido é…”Blackstar”, mas o símbolo pode ganhar outras interpretações após a despedida do cantor.

Um dia antes do lançamento, Bowie liberou aos fãs o clipe da música “Lazarus”. O que parecia mais uma película marcante do eterno artista acabou, após a morte do “camaleão”, ficando mais claro como uma mensagem de despedida

“Look up here, I’m in heaven. I’ve got scars that can’t be seen.” Ou na tradução do início da letra da música para o português: “Olhe aqui. Eu estou no céu. Eu tenho cicatrizes que não podem ser vistas.”

Se as cicatrizes de Bowie não puderam ser vistas a tempo pelo público, as do rock estão cada vez mais expostas. Com a morte do talentoso cantor e compositor, a criatividade do estilo parece ter caminhado definitivamente para Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Num momento que já dura décadas, o estilo tem pouquíssimos exemplos de criatividade e vem sobrevivendo graças a insistência de veteranos que tentam enfrentar outros estilos mais incensados comercialmente.

Há ainda um Dave Grohl e seu Foo Fighters buscando algum estúdio histórico, reunindo sons esquecidos e figurando como uma autêntica estrela do rock querida por 9 entre 10 fãs do gênero. Há um Eddie Vedder e seu Pearl Jam empunhando o lado bacana da atitude e do discurso que abre a mente do público.

Há também uma série de bandas, especialmente do heavy metal, como o Metallica e o Iron Maiden, que se negam a pendurar as chuteiras e são eternamente amparadas pelo incomparável e fiel público da vertente mais pesada do rock. Há um Thom Yorke e seu Radiohead gerando esperança pela novidade que pode ser vista num eventual novo álbum.

Mas a luz amarela que a morte de Bowie gerou, logo após a de Lemmy, está ligada ao fato de que os grandes nomes do rock que bombaram nas últimas quatro décadas e fortaleceram a marca do estilo estão sendo derrotados pela idade e pelo tempo em forma da maledeta doença chamada câncer.

No caso específico de Bowie, perde-se o cantor, o compositor, o ator e tudo aquilo que ele carregou ao longo da carreira e tanto mexeu com o mundo. Da coragem de se assumir bissexual, numa época na qual isso era extremamente corajoso, até todas as revoluções que ele gerou na música pop, tudo ficará sem um substituto a altura no rock.

O álbum clássico “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars”, que completou 40 anos em 2012, está entre os maiores da história do rock. O riff de “Rebel Rebel” é um dos mais marcantes do estilo. Os diversos clipes estrelados por Bowie estão entre os mais criativos. Algumas das uniões mais famosas do rock, como a realizada com o Queen em “Under Pressure” (e assassinada por Vanilla Ice), entraram para a lista das maiores de todos os tempos.

Foram 25 discos gravados. Aproximadamente 140 milhões de cópias vendidas. Uma carreira que também se estendeu ao mundo do cinema, da propaganda e influenciou a moda, as artes, costumes e uma série de outros cantores e grupos de rock.

Para celebrar o aniversário de Bowie no dia 8 de janeiro, a artista Helen Green criou um GIF animado com desenhos que trazem todas as faces do camaleão do rock. É com este trabalho, que pode ser visto acima, e com uma série de clipes descolados no YouTube que o Roque Reverso presta homenagem ao artista.

Fique inicialmente com “Starman”. Depois, veja as performances de Bowie em “Rebel Rebel” (ao vivo), “Ashes to Ashes”, “Absolute Beginners” e “Heroes”. RIP Bowie!!!!

20
fev
11

Novo álbum do Radiohead já está disponível na internet

O Radiohead mais uma vez surpreendeu os fãs depois de antecipar em 24 horas o lançamento de seu novo álbum “The King of Limbs”  na internet. Na sexta-feira (18), freqüentadores do site da banda britânica descobriram uma faixa, “Lotus Flower”, que também continha um vídeo em preto e branco mostrando o vocalista Thom Yorke de chapéu, dançando e fazendo mímicas. Alguns segundos depois, os fãs foram surpreendidos com a possibilidade de fazer o download do álbum inteiro, sem ter de esperar até o dia que estava previsto para o lançamento. 

O álbum pode ser baixado por quem comprou a versão digital em formato MP3 (US$ 9) ou WAV (US$ 14). Um link para download será enviado para o e-mail de quem fez a compra.

É o primeiro disco da banda desde “In Rainbows” (2007), que surpreendeu o mercado fonográfico, depois de ser disponibilizado na web de graça, com a opção de o usuário pagar ou não pelo download, escolhendo o valor!!! 

“The King of Limbs” também ficará disponível nas formas comerciais mais tradicionais, em vinil e em CD, a partir de 9 de maio via selo independente XL, em uma edição especial de “álbum revista” que terá mais de 600 pequenas obras de arte gráfica. 

A lista de faixas do novo álbum é a seguinte: 

1 – Bloom – 5:15
2 – Morning Mr Magpie – 4:41
3 – Little By Little – 4:27
4 – Feral – 3:13
5 – Lotus Flower – 5:01
6 – Codex – 4:47
7 – Give Up the Ghost – 4:50
8 – Separator – 5:20



Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se aos outros seguidores de 102

agosto 2020
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias

Follow Roque Reverso << on WordPress.com