Posts Tagged ‘Mike Portnoy

08
abr
15

Twisted Sister anuncia fim em 2016 e Mike Portnoy como substituto de baterista morto

Formação restante do Twisted Sister, ainda se Mike Portnoy - Foto: DivulgaçãoPoucas semanas após a morte do baterista AJ Pero, o Twisted Sister anunciou que encerrará as atividades em 2016. Até lá, a banda de hard rock dos Estados Unidos realizará uma turnê de despedida e, para o lugar do baterista falecido, foi convocado nada menos que o excelente Mike Portnoy, mais conhecido pela marcante passagem na batera do Dream Theater.

Portnoy se juntará ao restante do TS, formado pelo vocalista Dee Snider, além de Jay Jay French (guitarra), Mark Mendoza (baixo) e Eddie Ojeda (guitarra).

De acordo com o comunicado do grupo norte-americano, todos os shows agendados para 2015 serão realizados e terão a presença de Portnoy.

Segundo a banda, duas apresentações específicas servirão para honrar a memória de AJ Pero, sendo que uma será feita na costa leste e a outra na costa oeste do Estados Unidos.

O primeiro show será realizado em Las Vegas, no dia 30 de maio, no Hard Rock Hotel and Casino, e será registrado para um futuro lançamento em DVD e também CD ao vivo.

A segunda apresentação, especialmente para a família de Pero, está prevista o dia 13 de junho, no Starland Ballroom em Sayreville, New Jersey.

Em 2016, a banda volta para a estrada com a turnê “Forty and F*ck It”, celebrando 40 anos da carreira iniciada em 1972 e se despedindo dos fãs.

AJ Pero morreu aos 55 anos e o anúncio de seu falecimento foi feito no dia 20 de março na página oficial do grupo no Facebook, quando a principal suspeita da morte foi um ataque cardíaco.

O músico, que foi encontrado morto no ônibus de turnê do Twisted Sister, tocou na fase clássica da banda norte-americana de hard rock, na década de 80, e retornou em definitivo em 2003.

08
jul
12

Divulgados os preços dos ingressos para os shows do Dream Theater no Brasil

A produtora Time For Fun divulgou os preços para os ingressos dos shows que o Dream Theater fará no Brasil nos meses de agosto e setembro. Cinco capitais do País receberão a turnê de divulgação do álbum “A Dramatic Turn of Events, lançado em setembro de 2011.

Os shows acontecerão no dia 24 de agosto em Porto Alegre (Pepsi on Stage); no dia 26, em São Paulo (Credicard Hall); no dia 29, em Belo Horizonte (Chevrolet Hall); e, no dia 30, no Rio de Janeiro (Citibank Hall). No dia 1º setembro, é a vez de Brasília (Centro de Convenções Ulysses Guimarães) receber o grupo no final da turnê brasileira.

Os ingressos podem ser adquiridos nas bilheterias oficiais das casas de show, onde não há cobrança da famigerada taxa de conveniência. Em Porto Alegre, o local oficial para essas compras é a Multisom (Rua dos Andradas, 1001 – Centro). Em Brasília, local é o Brasília Shopping (SCN Qd. 05 – Bloco A – Piso G1). Outras opções que contam com a cobrança são a internet (www.ticketsforfun.com.br) e o telefone (4003-5588). Há também outros pontos de venda em todo o País que cobram o valor adicional (http://premier.ticketsforfun.com.br/content/outlets/agency.aspx).

Para a apresentação em Porto Alegre, os valores serão os seguintes:
Pista – 1º lote ->R$ 100 (NORMAL) R$ 50 (½ ENTRADA)
Pista – 2º lote ->R$ 120 (NORMAL) R$ 60 (½ ENTRADA)
Pista – 3º lote ->R$ 140 (NORMAL) R$ 70 (½ ENTRADA)
Pista – 4º lote ->R$ 160 (NORMAL) R$ 80 (½ ENTRADA)
Mezanino -> R$ 120 (NORMAL) R$ 60 (½ ENTRADA)

Quanto ao show de São Paulo, os ingressos terão os seguintes preços:
Pista ->R$ 170 (NORMAL) R$ 85 (½ ENTRADA)
Pista ->Premium R$ 320 (NORMAL) R$ 160 (½ ENTRADA)
Camarote Setor I -> R$ 350 (NORMAL) R$ 175 (½ ENTRADA)
Camarote Setor II ->R$ 300 (NORMAL) R$ 150 (½ ENTRADA)
Plateia Superior I ->R$ 120 (NORMAL) R$ 60 (½ ENTRADA)
Plateia Superior II ->R$ 110 (NORMAL) R$ 55 (½ ENTRADA)
Plateia Superior III ->R$ 100 (NORMAL) R$ 50 (½ ENTRADA)
Plateia Superior (visão parcial) -> R$ 90 (NORMAL) R$ 45 (½ ENTRADA)

Para a apresentação em Belo Horizonte, os valores das entradas serão os seguintes:
Pista – 1º lote ->R$ 120 (NORMAL) R$ 60 (½ ENTRADA)
Pista – 2º lote ->R$ 140 (NORMAL) R$ 70 (½ ENTRADA)
Pista – 3º lote ->R$ 160 (NORMAL) R$ 80 (½ ENTRADA)
Pista – 4º lote ->R$ 180 (NORMAL) R$ 90 (½ ENTRADA)

No Rio de Janeiro, os ingressos terão os seguintes preços:
Camarote ->R$ 300 (NORMAL) R$ 150 (½ ENTRADA)
Poltronas ->R$ 250 (NORMAL) R$ 125 (½ ENTRADA)
Pista ->R$ 150 (NORMAL) R$ 75 (½ ENTRADA)
Pista Premium ->R$ 270 (NORMAL) R$ 135 (½ ENTRADA) 

Finalmente para Brasília os valores as entradas serão as seguintes:
Setor Premium -> R$ 550 (NORMAL) R$ 275 (½ ENTRADA)
Setor 1 ->R$ 360 (NORMAL) R$ 180 (½ ENTRADA)
Setor Superior ->R$ 240 (NORMAL) R$ 120 (½ ENTRADA)

Ícone do metal progressivo, o Dream Theater continua com James LaBrie nos vocais; John Petrucci nas guitarras; John Myung no baixo; e Jordan Rudess nos teclados. Na bateria, Mike Mangini ocupa atualmente o lugar que já foi do incrível Mike Portnoy, que saiu da banda em 2010; vem participando de outros projetos; e contibuindo com vários outros grupos do metal.

15
jun
12

Dream Theater volta ao Brasil para 5 shows em 5 capitais em agosto e setembro

Os anúncios de shows no Brasil voltam a pipocar e a fazer a alegria dos amantes do bom e velho rock n’ roll. A mais nova confirmação foi feita pela produtora Time For Fun nesta sexta-feira, dia 15 de junho, e atende pelo nome de Dream Theater. A banda norte-americana de heavy metal progressivo volta ao País em agosto para 5 apresentações que prometem agradar mais uma vez aqueles que apreciam técnica e qualidade musical.

De acordo com a T4F, os shows acontecerão no dia 24 de agosto em Porto Alegre (Pepsi on Stage); no dia 26, em São Paulo (Credicard Hall); no dia 29, em Belo Horizonte (Chevrolet Hall); e, no dia 30, no Rio de Janeiro (Citibank Hall). No dia 1º setembro, é a vez de Brasília (CC Ulysses Guimarães) receber o grupo no final da turnê brasileira.

Desta vez, o País receberá a turnê de divulgação do álbum “A Dramatic Turn of Events, lançado em setembro de 2011. Os shows trazem as músicas do novo disco e outros grandes sucessos da carreira.

Ícone do metal progressivo, o Dream Theater continua com James LaBrie nos vocais; John Petrucci nas guitarras; John Myung no baixo; e Jordan Rudess nos teclados. Na bateria, Mike Mangini ocupa atualmente o lugar que já foi do incrível Mike Portnoy, que saiu da banda em 2010; vem participando de outros projetos; e contibuindo com vários outros grupos do metal.

A Time For Fun ainda não informou preços e informações sobre a venda de ingressos. O Roque Reverso trará todas as informações aos seus leitores, assim que elas estiverem disponíveis à  imprensa.

Para comemorar a volta do Dream Theater o Brasil, descolamos um vídeo histórico no YouTube. O clássico “Pull me Under” executado pela banda em São Paulo no Monsters of Rock de 1998!!!

Na ocasião, os norte-americanos impressionaram e deram uma verdadeira aula de música numa noite inesquecível, que teve outros gigantes do metal, como o Megadeth e o Slayer, sem falar do Saxon.

17
abr
12

Com show à parte de Geoff Tate, Queensrÿche faz grande apresentação em SP, com abertura do Fates Warning

O grupo norte-americano Queensrÿche se apresentou no HSBC Brasil no sábado, dia 14 de abril. Para alegria dos fãs, a banda do vocalista Geoff Tate fez um show impecável, que uniu técnica, grande qualidade de som e simpatia dos integrantes com o público presente.

Tate, por sinal, foi o grande destaque da noite e deixou todos boquiabertos com sua excelente performance, digna das grandes vozes do rock pesado.

Para completar a noite de celebração ao heavy metal progressivo, a casa de shows paulistana teve a honra de receber, como grupo convidado de abertura, o Fates Warning, um dos responsáveis pela criação do estilo.

Com um bom público, o também norte-americano Fates Warning se apresentou pela primeira vez no Brasil. Não bastasse este detalhe, ainda trouxe como baterista convidado nada menos que Mike Portnoy, ex-Dream Theater, que vem se transformando, para sorte de quem admira os grandes músicos, numa figurinha carimbada em shows pelo Brasil. Vale lembrar que há menos de 1 ano, ele esteve no Rock in Rio para se apresentar com o Stone Sour e que, em 2010, tocou no SWU Music & Arts, em Itu, com o Avenged Sevenfold.

Durante o show, o Fates Warning presenteou o público com vários de seus sucessos e agradou até mesmo quem só estava ali para assistir ao Queensrÿche. Portnoy, para variar, deu mais uma de suas aulas de batera e deixou a apresentação ainda mais agradável, preparando o terreno para a grande atração da noite.

Perto das 23h30, o Queensrÿche subiu ao palco para uma plateia que não lotava o HSBC, mas que ficou muito perto disso, apesar dos salgados preços dos ingressos. A banda iniciou a apresentação com a música “Get Started”, do seu mais recente álbum “Dedicated to Chaos”, lançado em 2011. Na sequência, executou “Damaged”, do disco “Promised Land”, de 1994.

Se, em 2008, no Credicard Hall, a qualidade do som do show do Queensrÿche surpreendeu para o bem (e muito), em 2012, já dava para perceber que, no HSBC, a história seria repetida, com um detalhe que não passou batido: Geoff Tate, já com inacreditáveis 53 anos, parecia estar cantando ainda melhor! E com uma segurança no palco que impressionava.

Com “I Don’t Believe in Love”, do clássico álbum “Operation: Mindcrime”, de 1988, a recepção do público, que já era boa, ficou ainda melhor, com todos do HSBC cantando o refrão de maneira contagiante. Vale citar que, além de Tate, toda a banda mostrou entrosamento perfeito, com destaque para o guitarrista Michael Wilton, acompanhado com maestria pelo parceiro de instrumento Parker Lundgren e também por Eddie Jackson (baixo) e Scott Rockenfield (bateria).

Trinta anos de carreira estavam sendo comemorados em solo paulistano. E várias faixas de diferentes álbuns foram tocadas, como “Hit the Black”, “I’m American”, “Real World”, “NM 156”, “Screaming in Digital”, “The Lady Wore Black”. Tal qual o cenário de 2008, no Credicard Hall, Geoff Tate dava um show particular de simpatia, coversando com a plateia em diversos momentos e até dizendo que “amava” algumas meninas da fila do gargarejo.

Na verdade, Tate até parecia que estava ainda mais “de bem com a vida” do que em 2008. Para quem esteve no Estádio do Palmeiras em 1997, quando a banda tocou na mesma noite que o Megadeth e o Whitesnake, este “novo e careca” vocalista era algo inimaginável, já que, naquela apresentação, o Queensrÿche ficou devendo um show digno de sua história e o próprio Tate era o oposto do indivíduo de 2012.

Depois de contagiar novamente o público com a música “Walk in the Shadows”, do álbum “Rage for Order”, de 1986, e mandar na sequência a faixa “The Right Side of My Mind”, do álbum Q2K (1999), o show entrou em seu momento máximo. Tudo porque foi a vez da música de maior sucesso comercal da banda: “Silence Lucidity”, do ótimo álbum “Empire”, de 1990.

Você pode até achar que o hit é muito pop para a carreira do Queensrÿche, mas jamais vai poder negar que há qualidade nesta canção. Dos acordes iniciais até os trechos orquestrados, passando pela interpretação exemplar de Geoff Tate, não há como não ficar vidrado na execução deste grande hit dos bons tempos da MTV.

Depois do grande momento com “Silence Lucidity”, o set list normal do show não poderia ser melhor encerrado do que foi com “Take Hold of the Flame”, do primeiro álbum do grupo, “The Warning”, de 1984. Com a plateia empolgada e cantando o refrão junto, Tate até se surpreendeu com a energia dos fãs, mostrando clara satisfação com aquele momento.

Após a pausa para o descanso, o Queensrÿche voltou para um bis para saciar qualquer fã de heavy metal, com músicas do “Empire” e do “Operation: Mindcrime”. Todos foram ao delírio com “Jet City Woman” e viram mais uma grande performance, com “Empire”.

Para fechar o show, nada menos que a ótima “Eyes of a Stranger”, seguida pelo grande final com “Anarchy-X”. Depois do encerramento, Geoff Tate ainda voltou do camarim com uma taça de vinho e fez um brinde à plateia, que saiu do HSBC Brasil ciente de ter visto uma apresentação já candidata a uma das melhores do ano em SP.

O Roque Reverso selecionou para os fãs do Queensrÿche alguns dos grandes momentos do show na capital paulista captados por vídeos postados no YouTube. Para começar, fique com um de grande qualidade de “Silence Lucidity”. Depois, veja “Jet City Woman” e o final com “Eyes of a Stranger” e “Anarchy-X”.

Set list

Get Started
Damaged
I Don’t Believe in Love
Hit the Black
I’m American
My Empty Room/At 30,000 ft.
Desert Dance
Real World
NM 156
Screaming in Digital
The Lady Wore Black
Walk in the Shadows
The Right Side of My Mind
Silent Lucidity
Take Hold of the Flame

Jet City Woman
Empire
Eyes of a Stranger/Anarchy-X

24
mar
10

Set list do show do Dream Theater em SP

O show do Dream Theater foi na sexta-feira passada (19) no Credicard Hall, em São Paulo. O Roque Reverso não esteve presente, mas sabe que há sempre alguma curiosidade sobre o set list dos shows, tanto que uma das palavras de busca que mais é utilizada para se chegar ao blog é justamente “set list”.

Nove entre dez pessoas que sabem tocar algum instrumento musical e que já tiveram o prazer de ouvir a banda de heavy metal progressivo reconhecem que os músicos norte-americanos são da mais alta qualidade. Não por acaso, eles já ganharam diversos prêmios de revistas especializadas de música por conta da técnica.

Para quem ainda não teve o prazer de conhecer, o Dream Theater foi formado em meados da década de 80 por integrantes da “Berklee College of Music”, em Boston. Seus músicos são respeitados por diversas correntes do metal e de outras correntes do rock.

James LaBrie nos vocais; Jordan Rudess nos teclados; John Myung no baixo; John Petrucci na guitarra e Mike Portnoy na bateria são as feras. Apesar de Petrucci e Portnoy serem os mais cultuados pela mídia especializada, este blogueiro gosta mais do baixista Myung e jamais esquecerá a aula que ele deu no Monsters of Rock de 1998 aqui em SP, quando o Dream Theater impressionou, numa noite que tinha outros gigantes do estilo, como o Megadeth e o Slayer, sem falar do Saxon.

Li algumas resenhas sobre o show de sexta-feira e, para variar, todas foram bastante positivas. O Set list é pequeno, mas é justificado pelo tamanho das músicas. Descolamos no Youtube um vídeo da mais famosa deles “Pull me Under”, numa lista de reprodução relacionada ao show.

Set list:

A Nightmare To Remember
A Rite Of Passage
Solo: John Petrucci
Hollow Years
Solo: Jordan Rudess
Prophets Of War
Wither
Dance Of Eternity
One Last Time
The Spirit Carries On
Pull Me Under
Metropolis, Pt.1 – Solo: Duelo Petrucci x Jordan

 The Count Of Tuscany




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 101 outros seguidores

setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias