Posts Tagged ‘Arena Maeda

27
out
10

Pixies trouxe show de hits ao SWU e momento histórico com ‘Where is My Mind’

Pixies no SWU - Foto: Divulgação SWUO show do Pixies no SWU Festival ficou entre os mais elogiados do evento que aconteceu na cidade de Itu entre os dias 9 e 11 de outubro. Não teve a energia do Rage Against The Machine e tampouco o peso e perfeição do Queens of The Stone Age, mas a penca de hits dos anos 80 e 90 trazida pela banda norte-americana conseguiu saciar a quantidade enorme de fãs presentes no último dia do festival, muitos na faixa dos 30 anos e ansiosos para ver o grupo pela primeira vez em terras paulistas.

Apesar de Black Francis (vocal e guitarra) estar com uma aparência meio detonada e Kim Deal (baixo e vocais) ter sido chamada por alguns de “tiazinha”, os agora velhinhos do rock alternativo fizeram um bom show.

Grande parte do repertório da apresentação em Itu veio do eternamente elogiado álbum “Doolittle”, de 1989, já que houve uma influência da turnê recente que a banda fez nos Estados Unidos apresentando o álbum na íntegra.

O show começou com a música “Bone Machine”, do álbum “Surfer Rosa”, de 1988. Depois de mandar numa tacada só “Isla de Encanta”, “Tame”, “Broken Face” e “Nimrod’s Son”, a banda trouxe o primeiro momento de empolgação generalizada do  público com a ótima “Debaser”, que é a faixa de abertura do “Doolittle”.

Na sequência, aproveitando o mesmo álbum, tocou “Wave a Mutilation” e sua música mais popular: “Here Comes Your Man”, que foi cantada por todos, com bastante empolgação, mesmo com uma execução um pouco sem vibração da banda, que chegou a dar umas desafinadas naquele momento. Depois, mais um grande hit do “Doolittle”: “Monkey Gone to Heaven”, que foi melhor tocada que a música anterior.

“Mr. Grieves”, “Crackity Jones”, “Caribou”, “La La Love You” (que contou com os vocais do baterista David Lovering e uma interação legal da banda), “No. 13 Baby” e “Gouve Away”. Todas essas músicas foram acompanhadas com admiração pelo público, que mostrou não estar ali por embalo ou moda de festival, sabendo cantar várias das canções do começo ao fim.

Pixies no SWU - Foto: Divulgação SWUMais um novo momento de grande empolgação do show do Pixies foi proporcionado quando a banda mandou a dobradinha “Velouria” e “Dig for Fire”. Importante notar que, apesar do já famoso relacionamento complicado entre Black Francis e Kim Deal, a combinação da dupla no palco é das mais elogiáveis, já que, enquanto Francis continua mandando bem no vocal principal, Deal também permanece como uma das melhores vozes de fundo do rock.

A mesma Kim Deal também foi a mais simpática da banda com o público, sempre tentando conversar com a galera quando o espaço entre uma música e outra permitia. Depois de tocar mais quatro músicas (“Allison”, “Hey”, “U-Mass” e “Vamos”) e completar 21 canções do set list, o grupo ensaiou uma despedida, mas o público pedia incessantemente que a obrigatória “Where is My Mind” fosse apresentada.

O Pixies chegou a cumprimentar o pessoal da pista premium, dando a entender que iria embora, mas voltou para os instrumentos e tocou “Planet Sound”. Na sequência, atendeu o pedido do público e finalmente mandou ver com “Where is My Mind”.

Para quem estava na Arena Maeda, com todo aquele frio na casa dos 10 graus, ter visto a banda tocar esta música foi um momento inesquecível, como se todas as baladas dos anos 90 nas mais diversas casas noturnas alternativas voltassem à mente, com o detalhe importante de a banda estar ali, bem em frente. Todos cantaram e foi, sem dúvida, o melhor momento do show e um dos melhores do festival.

O Pixies encerrou pra valer a apresentação com “Gigantic”, cantada por Kim Deal, que disse que iria para cama logo depois do show. Sem dúvida, valeu a pena ter participado deste momento memorável para presenciar a banda em terras tupiniquins. Pode ter sido a última vez que eles passaram por aqui, mas não custa nada sonhar em vê-los novamente, quem sabe numa casa de shows.

Para comemorar o show do Pixies no SWU, o Roque Reverso descolou os vídeos de algumas das músicas que mais mexeram com o público na noite. Para começar, “Debaser”. Depois, temos “Here Comes Your Man”, “Monkey Gone to Heaven” e, claro, o inesquecível momento de “Where is My Mind”.

Set List

Bone Machine
Isla de Encanta
Tame
Broken Face
Nimrod’s Son
Debaser
Wave of Mutilation
Here Comes Your Man
Monkey Gone to Heaven
Mr. Grieves
Crackity Jones
Caribou
La La Love You
No. 13 Baby
Gouve Away
Velouria
Dig for Fire
Allison
Hey
U-Mass
Vamos

Planet of Sound
Where is my mind
Gigantic

20
out
10

Sem frescuras, Queens of The Stone Age trouxe rock da maior qualidade ao SWU

As expectativas se confirmaram e o Queens of The Stone Age fez, sem a menor dúvida, um dos melhores shows do SWU Festival, evento que foi realizado em Itu entre os dias 9 e 11 de outubro. Com um rock bastante básico, sem frescuras e com bastante peso, a banda liderada pelo guitarrista e vocalista Josh Homme mostrou que não é preciso trazer para o palco um mundo de parafernálias para alegrar a galera com boa música. Os caras subiram ao palco, tocaram um excelente rock and roll, falaram o necessário com o público e foram embora. E a maioria das pessoas que estiveram na Arena Maeda no terceiro dia do festival para ver o grupo ficou com a sensação de ter assistido a uma apresentação de qualidade.

Para sermos justos, o show do Queens of The Stone Age não teve a vibração fora do comum que a apresentação do Rage Against The Machine provocou no sábado. Mas também não contou com a quantidade de empecilhos que o grupo liderado por Zack de la Rocha e o público foram obrigados a enfrentar no primeiro dia do SWU.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

17
out
10

Set list, fotos e vídeos do show do Cavalera Conspiracy no SWU

O Cavalera Conspiracy também passou pelo SWU Festival e fez, como já era esperado, um dos shows mais pesados do evento que aconteceu em Itu entre os dias 9 e 11 de outubro. Conforme relato do público presente, a banda liderada pelos irmãos Max e Igor Cavalera não deixou pedra sobre pedra na Arena Maeda, causando a melhor das impressões para muitos que nunca haviam assistido a uma apresentação dos membros fundadores do Sepultura e que hoje fazem uma enorme falta à maior banda brasileira de todos os tempos. 

Este blogueiro lamenta muito não ter presenciado o show do Cavalera Conspiracy, já que, no ingrato horário de fim de tarde da apresentação da banda, ainda estava no trabalho em São Paulo – só mais tarde, seguiria para Itu para ainda ver os ótimos shows do Queens of The Stone Age e do Pixies (vem resenha ainda por aí!). A organização do SWU poderia se tocar que era a primeira vez, desde a saída de Max do Sepultura, que os irmãos faziam um show juntos no Brasil e agendar esta apresentação para mais tarde. Mesmo sendo véspera de feriado, havia muita gente também trabalhando naquele horário, em plena segunda-feira. 

A banda trouxe ao público algumas músicas de seu primeiro disco, como as poderosas “Inflikted” e “Sanctuary”. Tocou também uma (“Wasting Way”), do antigo projeto paralelo de Max, o Nailbomb. Claro que também não poderiam faltar clássicos do Sepultura, como “Refuse Resist”, “Troops of Doom” e “Roots Bloody Roots”. 

Só pelas fotos, já dá para observar que as maiores paixões de Igor e Max, além da música, continuam intactas. De um lado, o grande baterista tocou vestindo a camisa do Palmeiras, time também de Max, deste blogueiro e de uma grande quantidade de fãs do rock pesado. Do outro, o vocalista e guitarrista fez questão de trazer a bandeira brasileira para o palco, além de usá-la no desenho de sua guitarra ESP. 

Com a ausência do blog no show, restou, pelo menos, manter a tradição de arrumar o set list, algumas fotos oficiais e vídeos encontrados no YouTube, das músicas “Inflikted”, “Sanctuary”, “Troops of Doom” e “Roots Bloody Roots”. Note que, em sintonia com muitas das apresentações do SWU, o show do Cavalera Conspiracy foi curto. Resta torcer agora para os dois realizarem um show só deles em alguma casa de espetáculo de São Paulo, onde os fãs do Sepultura e do Cavalera, com certeza, lotariam o local para ver mais uma reunião histórica destes dois ícones do heavy metal nacional e internacional.

Set list:

Inflikted
Sanctuary
Terrorize
Refuse Resist
The Doom of All Fires
Hex
Hearts of Darkness
Troops of Doom
 
Ultra-violent
Attitude
Warlord
Wasting Way
Roots Bloody Roots
11
out
10

Descaso vergonhoso com o público marca o primeiro dia do SWU

“O SWU montou uma grande operação de logística para você ter toda a comodidade e aproveitar o festival sem se preocupar com a sua ida e a sua volta.” Esta frase, do próprio site oficial do festival, é uma verdadeira piada, diante do que aconteceu com o público presente no primeiro dia do evento na Arena Maeda, em Itu. Vergonha, falta de respeito e sacanagem são as melhores frases para ilustrar o que aconteceu na madrugada e na manhã de domingo, tanto no local dos shows como na rodoviária da cidade do interior paulista, totalmente despreparada para receber um festival deste porte.

CONTINUE LENDO AQUI!!!




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 101 outros seguidores

agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias