Arquivo para junho \28\-02:00 2016

28
jun
16

Brutal em show em SP, Napalm Death manteve a tradição de ‘chutar a cara’ dos hipócritas

Napalm Death em SP - Foto: Divulgação The Ultimate Music/Costábile Salzano Jr.O Napalm Death passou por São Paulo e entregou aos fãs mais um de seus shows brutais e intensos. Para um Clash Club praticamente lotado no domingo, dia 26 de junho, a já veterana banda britânica de gridcore manteve a tradição de “chutar a cara” dos hipócritas com músicas recheadas de letras contundentes e politizadas que fazem falta no atual momento do rock e do mundo em plena onda conservadora.

A despeito de já possuir uma extensa lista de idas e vindas ao Brasil, o grupo inglês ficou muito longe de realizar uma apresentação repetitiva ou sem novidades. Aproveitando a turnê de divulgação do mais recente disco “Apex Predator – Easy Meat”, de 2015, o Napalm mesclou músicas novas com sucessos antigos, até surpreendendo alguns fãs com algumas faixas que não eram aguardadas.

O show de São Paulo fechou a turnê brasileira da banda, que havia passado antes por Limeira, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Manaus e Curitiba. O set list do Napalm Death no Clash Club chamou a atenção por ser um pouco diferente do que o das noites anteriores e agradou justamente por isso.

A abertura na capital paulista ficou por conta de dois grupos brasileiros que só ajudaram a deixar a noite ainda mais agradável.

O primeiro deles foi o Test, a eterna banda da Kombi, que surpreendia o público antigamente tocando do lado de fora das casas de show em plena calçada e que agora, cada vez mais experiente e com um som de dar inveja a muito grupo mais antigo, também abre apresentações do quilate de um Napalm Death em lugares fechados. A segunda banda foi nada menos que o Genocídio, de saudosos shows do underground paulistano dos Anos 80 e 90 e que trouxe seus membros mostrando que ainda têm muita lenha para queimar.

Após as boas apresentações de abertura, o Napalm subiu ao palco. Comandado pelo vocalista Mark “Barney” Greenway, o grupo britânico iniciou seu caos sonoro e transformou o Clash Club num local pouco propício para quem gosta de calmaria. Após a introdução de “Apex Predator – Easy Meat”, a banda emendou “Mass Appeal Madness”, do EP de mesmo nome lançado em 1991.

Sem muito tempo para deixar a plateia ficar parada, o Napalm Death trouxe a poderosa “On The Brink Of Extinction”, do disco “Time Waits for No Slave”, de 2009. Em meio a rodas de mosh que eram criadas na pista, os primeiros de muitos stage divings começaram a se proliferar, com vários fãs saltando sobre a galera presente, com destaque para algumas meninas dando saltos mais radicais do que a maioria masculina.

Depois das novas “Smash A Single Digit” e “Metaphorically Screw You”, do novo álbum, a banda trouxe a ótima “Greed Killing”, do disco “Diatribes”, de 1996. Foi um momento bacana que relembrou o show insano do grupo em São Paulo em 1997 na extinta casa de shows Folclore Musical, no Brás.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

26
jun
16

Matanza Fest 2016 confirma edições em SP, BH, RJ e Porto Alegre

Matanza Fest - Cartaz de DivulgaçãoO Matanza Fest, festival itinerante organizado pela banda brasileira Matanza, já tem datas e cidades para acontecer em 2016. A quarta edição do evento vai reunir e celebrar o rock nacional em julho em quatro capitais: São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Na capital paulista, o festival será realizado no dia 16 de julho no Tropical Butantã. Na capital mineira, o evento acontecerá no dia 22 de julho no Music Hall BH.

No Rio, o evento será realizado no dia 23 de julho no Circo Voador. Em Porto Alegre, o evento acontecerá no dia 30 no Bar Opinião.

O Matanza Fest trará mesclará na edição de 2016 bandas novas e veteranas. Zumbis do Espaço, Cólera, Hatefulmurder, Rats, Engradado, Monstros Do Ula-Ula, Walverdes e Rebaelliun são alguns dos nomes, além do próprio Matanza, que sempre encerrará as noites.

Os ingressos já estão à venda em todas as capitais. Durante estas quatro datas, os anfitriões Jimmy London (vocal), Maurício Nogueira (guitarra), Jonas Cáffaro (bateria) e Dony Escobar (baixo) terão a companhia do guitarrista e um dos fundadores da banda, Donida, também no palco.

O Matanza, portanto, vai se apresentar como um quinteto tendo no repertório clássicos como “A Arte Do Insulto”, “Clube Dos Canalhas”, “Eu Não Gosto De Ninguém”, “Odiosa Natureza Humana”, “Meio Psicopata”, “Ela roubou meu caminhão”, “Bom É Quando Faz Mal”, “Pé Na Porta, Soco Na Cara”, além das principais composições do mais recente disco “Pior Cenário Possível”, que chegou aos fãs em 2015.

Em São Paulo, a abertura da noite está sob a responsabilidade da banda carioca Rats. Em seguida, o veterano Zumbis do Espaço apresenta o show que comemora seus 20 anos de carreira e também de lançamento do seu 8º disco, “Em uma missão de Satanás”. Outros veteranos, da banda punk Cólera, pela primeira vez, vão dividir o palco com o Matanza.

O preço dos ingressos inteiros para a Pista sai por R$ 100,00 (segundo lote) ou R$ 120,00 (terceiro lote), mas há as opções de meia-entrada e entrada promocional, na qual o fã pode levar 1 quilo de alimento não-perecível e também pagar metade do valor.

Outra possibilidade para o show de SP é o setor Upgrade Open Bar/Camarote, cujo ingresso, com valor de R$ 100,00, deve ser comprado separadamente da entrada comum. Quem já tem ingresso de Pista pode comprar o Upgrade Open Bar/Camarote a qualquer momento ou até durar o estoque.

Mais detalhes sobre onde pode ser comprado o ingresso para o Matanza Fest na capital paulista estão disponíveis aqui na página do evento no Facebook.

Em Belo Horizonte, os mineiros da banda Engradado foram escalados para destilar seu etílico rock n’ roll para aquecer a galera logo de cara. Na seqüência, o death/thrash metal visceral dos cariocas do Hatefulmurder e, logo em seguida, os paulistas do Zumbis do Espaço. Os ingressos de Pista saem por R$ 90,00 e já estão à venda no site http://www.centraldoseventos.com.br. Mais detalhes do evento na capital mineira podem ser conferida aqui na página do evento no Facebook.

No Rio, quem promete tocar o terror é a banda Monstros Do Ula-Ula, que tem em sua formação, Diba, baixista da primeira formação do Matanza, e Bacalhau, ex-baterista do Planet Hemp. Em seguida, os cariocas do Hatefulmurder sobem ao palco. Logo após, será vez dos veteranos do Cólera. O Matanza encerra a noite.

Os ingressos para o evento no Rio custam R$ 100,00 (segundo lote) e R$ 120,00 (terceiro lote) já estão à venda na bilheteria do Circo Voador (dinheiro) e pelo site http://www.ingressorapido.com.br. Mais detalhes deste evento podem ser vistos aqui na página no Facebook.

Por fim, em Porto Alegre, o bom Walverdes abre a edição deste ano com chave de ouro. Em seguida, será a vez do Rebaelliun. O grand finale fica por conta do Matanza. Os ingressos inteiros saem por R$ 80 (Lote 1) e já estão à venda pelo site http://www.minhaentrada.com.br. Mais informações detalhadas do evento podem ser conferidas aqui na página do festival no Facebook.

24
jun
16

30 anos do clássico álbum ‘Cabeça Dinossauro’, dos Titãs

Cabeça DinossauroViver a passagem da infância para a adolescência na década de 1980 no Brasil foi um privilégio para a juventude roqueira em diversos sentidos. Apenas para ficar em alguns exemplos, foi quando a ditadura civil-militar caiu, a censura foi para o espaço e o Brasil passou a receber grandes shows internacionais, tendo o Rock In Rio como a porta de entrada de uma avalanche roqueira a partir de 1985.

O roquenrow voltava a ser a música da moda (guardarei pra mim as opiniões sobre o visual da época) e o rock nacional atravessava um de seus mais intensos períodos de criatividade e exposição na mídia.

Para onde se olhasse havia uma banda de rock tentando decolar.

O sonho de quase todo moleque era ter uma guitarra. E a primeira coisa que esse aspirante a guitarrista ia aprender a tocar depois de “Smoke on the Water”, do Deep Purple, era “Polícia”, um dos singles do álbum que alçou os Titãs ao status de uma das mais importantes bandas de rock do Brasil em todos os tempos e que acaba de completar 30 anos neste mês de junho de 2016. “Polícia” integra “Cabeça Dinossauro”, terceiro trabalho de estúdio dos Titãs.

Produzido por Liminha, Pena Schmidt e Vitor Farias, “Cabeça Dinossauro” saiu em junho de 1986 pela WEA para entrar para a história do rock brasileiro. Em meio a um desfile de letras memoráveis e guitarras distorcidas, o disco fez barulho, inovou, abriu caminho para o rock pesado nacional e colocou em destaque o punk e o pós-punk, mas ainda sem abandonar o flerte com a new wave dos discos anteriores.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

23
jun
16

Whitesnake volta ao Brasil em setembro para shows em 6 capitais

Whitesnake - Cartaz da Turnê Brasileira de 2016 - Divulgação: Time For FunSe o amante do rock n’ roll já estava economizando para os diversos shows que serão realizados no segundo semestre no País, é bom se preparar para mais alguns. Desta vez, o mais novo nome confirmado para voltar ao Brasil é o do Whitesnake, que voltará ao território nacional em setembro para shows em 6 capitais.

A banda britânica de hard rock liderada por David Coverdale tocará no dia 20 de setembro em Porto Alegre no Pepsi on Stage; nos dias 22 e 23, em São Paulo, no Citibank Hall; no dia 25, em Belo Horizonte, no BH Hall; no dia 28, em Brasília, no Net Live; no dia 30, em Curitiba, no Live Curitiba; e, já em outubro, no dia 2, no Rio, no Metropolitan.

A turnê que será trazida ao Brasil será a “The Greatest Hits Tour”, que irá apresentar os maiores sucessos e canções dos álbuns “Slide it in” (1984), “Whitesnake” (1987) e “Slip of the Tongue” (1989).

De acordo com a produtora Time For Fun, haverá pré-venda exclusiva para clientes dos cartões Citi e Diners Club entre 28 de junho e 4 de julho, e venda para público em geral a partir de 5 de julho, nos shows de São Paulo.

Clientes em geral podem adquirir ingressos a partir de 29 de junho para todos os outros shows no Brasil. Os ingressos estarão disponíveis pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de venda espalhados pelo País e nas bilheterias oficiais das casas

A exceção fica por conta dos shows de Brasília e Curitiba, que não têm realização da Time For Fun. Em breve, o Roque Reverso descolará as informações detalhadas sobre estas apresentações, mas, para adquirir ingressos para esses dois shows, acesse: www.eventim.com.br (Brasília) e www.diskingressos.com.br (Curitiba).

Quanto ao show de Porto Alegre, a capacidade definida para Pepsi On Stage é de 5.500 pessoas. O valor do ingresso inteiro para a Pista é de R$ 280,00 (primeiro lote) e de R$ 320,00 (segundo lote). Para a Pista Premium, os preços são de R$ 390,00 (primeiro lote) e R$ 450,00 (segundo). Para o Mezanino, o valor sai por R$ 380,00. A bilheteria oficial onde pode ser comprada a entrada sem taxa de conveniência fica na Multisom (Rua dos Andradas, 1001 – Centro).

CONTINUE LENDO AQUI!!!

21
jun
16

Em show de quase 3 horas em Nova York, The Cure apresenta novas músicas no Madison Square Garden

The Cure em Nova York - Foto: Divulgação Madison Square Garden/Carl ScheffelPor Altamiro Silva Júnior*

O The Cure resolveu apresentar novas músicas em turnê que faz pelos Estados Unidos e que chegou no último final de semana ao Madison Square Garden, em Nova York. A banda inglesa fez três apresentações esgotadas na famosa arena em Manhattan, que terminaram na segunda-feira, 20 de junho.

Sem lançar um álbum de inéditas desde 2008, foram tocadas duas novas canções, além de algumas músicas raramente apresentadas ao vivo e todos os conhecidos clássicos da banda liderada por Robert Smith, como “Boys Don’t Cry”, que ganhou uma versão um pouco mais lenta.

No show do sábado, 18, que durou quase três horas, foram nada menos que quatro bis. Smith falou pouco, quase não se mexeu e várias vezes trocou sua própria guitarra, sem ajuda de roadies, ao contrário do que é comum em shows desse porte.

Vestido de preto, cabelos desarrumados e com batom vermelho, mostrou que a voz está impecável, apesar dos 40 anos de carreira da banda, formada em 1976 como o nome The Easy Cure. O cenário era basicamente um telão ao fundo mostrando algumas imagens distorcidas e desenhos.

Esta é a primeira grande turnê da banda pelos Estados Unidos desde 2008. O The Cure já passou por cidades como Boston, New Orleans e Houston, e chegou a Nova York com os três shows esgotados há meses no Madison Square Garden, casa que tem capacidade para quase 20 mil pessoas.

Poucas bandas e cantores hoje conseguem a façanha de esgotar muitos shows em sequência na famosa arena de Manhattan. Os exemplos cabem na palma da mão e incluem, entre outros, o U2, que esgotou em 2015 oito noites e, este ano, a cantora inglesa Adele, que esgotou seis apresentações, marcadas para setembro.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

20
jun
16

Liberado o primeiro trailer de documentário dos Beatles previsto para setembro

"Eight Days A Week – The Touring Years" - Reprodução do cartaz do documentárioO público conheceu nesta segunda-feira, 20 de junho, o primeiro trailer do documentário “Eight Days A Week – The Touring Years”, que retratará a primeira fase da carreira dos Beatles. O filme, previsto para ser lançado oficialmente no dia 16 de setembro, é dirigido por Ron Howard.

O documentário traz entrevistas com os ex-beatles remanescentes, Paul McCartney e Ringo Starr, e focará o período de 1962 e 1966, no qual o lendário grupo britânico começou a ser aclamado pelo mundo.

A ideia de Howard é captar desde os primórdios da banda no Cavern Club, em Liverpool, até a última apresentação regular, no Candlestick Park, em São Francisco (EUA), em 1966.

Howard, que já ganhou o Oscar de melhor direção pelo filme “Uma Mente Brilhante” em 2002, tem a companhia dos produtores Nigel Sinclair, Brian Grazer e Scott Pascucci.

Esta equipe de “Eight Days A Week – The Touring Years” teve acesso ao arquivo da Apple Corps, bem como de gravações amadoras de fãs. O material vasto promete encantar os fãs da maior banda da história.

Além do lançamento mundial no dia 16 de setembro, o documentário será disponibilizado no dia seguinte pelo serviço de streaming Hulu.

Veja abaixo o trailer do filme:

19
jun
16

Red Hot Chili Peppers lança clipe da música ‘Dark Necessities’

Red HotO Red Hot Chili Peppers aproveitou o lançamento de seu novo álbum para trazer um novo clipe aos fãs. A música contemplada é “Dark Necessities”, que já havia sido apresentada para audição no dia 5 de maio, quando o grupo norte-americano deu os primeiros detalhes sobre o repertório do disco.

O clipe novo do Red Hot contou com direção de Olivia Wilde, atriz conhecida por seus papéis na série “House” e também em “Vinyl”.

A produção ficou por conta de Saul Germaine e a direção de fotografia é de Christopher Blauvelt.

No vídeo, além de imagens do grupo, há também cenas de belas meninas andando de skate.

“The Getaway” é o nome do disco novo do Red Hot. Foi lançado mundialmente no dia 17 de junho.

O disco pode não só ser encontrado nas lojas físicas, mas também ser ouvido nos serviços online, como o Spotify.

Além de “Dark Necessities”, a banda já havia apresentado para audição a faixa-título e a música “We Turn Red”, para alguns a melhor das três.

O disco novo é o 11º trabalho de estúdio do grupo e sucedeu o álbum “I’m with You”, de 2011.

A produção do disco é de Danger Mouse. A mixagem, por sua vez, é de Nigel Godrich.

Veja abaixo o clipe da música “Dark Necessities”:

17
jun
16

Pequeno derrame do baterista Ian Paice faz o Deep Purple cancelar shows na Suécia

Ian Paice - Foto: Divulgação WikipédiaO Deep Purple cancelou dois shows na Suécia por um motivo mais sério que de costume. Tudo porque o baterista Ian Paice, de 67 anos, sofreu um pequeno derrame no dia 14 de junho.

Agora em um período de tratamento, o músico disse que está esperançoso e na expectativa de retomar a turnê da lendária banda britânica em julho.

Para tranquilizar os fãs, Paice chegou a divulgar um comunicado com vários detalhes sobre o que aconteceu. Segundo ele, foi a primeira vez desde que o grupo foi formado, em 1968, que ele perdeu uma apresentação.

“Na manhã do dia 14 de junho, acordei e senti que algo estava errado com o lado direito de meu corpo anestesiado e eu não conseguia controlar minha mão e dedos. Fui para o hospital onde foi constatado que eu sofri um “mini derrame”. A equipe do hospital em Estocolmo foi fantástica e iniciaram o tratamento imediatamente”, destacou Paice.

“Após os exames, foi constatado que não houve nenhum dano mais sério e muito menos de forma permanente. A única coisa que sinto agora é uma pequeno dormência do lado direito do rosto e na mão direita. Minhas habilidades na mão estão se restabelecendo rapidamente e espero estar pronto para a turnê no próximo mês”, acrescentou o baterista.

O Purple está terminando o processo de gravação de seu novo álbum, previsto para ser lançado até o fim do ano. O novo álbum vai suceder “Now What!?”, de 2013.

16
jun
16

30 anos do disco ‘The Queen Is Dead’, clássico dos Smiths e do rock n’ roll

"The Queen ins Dead" - Reprodução da capa2016 marca o aniversário de 30 anos de álbuns importantes e o mês de junho reservou datas próximas de dois destacados discos. O primeiro é “Invisible Touch”, do Genesis, que completou três décadas no dia 9 e contou com resenha aqui no Roque Reverso. O segundo é nada menos que “The Queen Is Dead”, dos Smiths, considerado não apenas um clássico da banda britânica como de todo o rock n’ roll.

Lançado no dia 16 de junho de 1986, o álbum traz o Smiths no seu grande momento. Se, por um lado, há o vocalista Morrissey em grande performance na interpretação das músicas e na elaboração da letras, por outro, a guitarra de Johnny Marr aparece com a representação de riffs de alguns dos hits que mais embalaram a juventude dos Anos 80 na efervescência daquela época.

Em 1986, o The Smiths já era uma banda elogiada ao extremo pela crítica especializada. Já havia lançado os discos de estúdio “The Smiths”, de 1984, e “Meat Is Murder”, de 1985, além da ótima coletânea “Hatful of Hollow”, de 1984, que trazia canções de estúdio e versões alternativas de músicas gravadas em programas da Rádio 1 da BBC.

Era um conjunto musical com o hábito de lançamento de inúmeros singles que estouravam. Com a dupla Morrissey e Marr, o grupo já havia despejado uma penca de hits que arrastaram uma imensidão de fãs pelo mundo afora.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

15
jun
16

30 anos do romântico, progressivo e pop ‘Invisible Touch’, que enfileirou hits do Genesis

"Invisible Touch" - Reprodução da capaPor Rafael Franco*

Lançado na primeira quinzena de junho de 1986, o clássico disco “Invisible Touch”, do Genesis, completou 30 anos de existência no dia 9 deste mês e ainda é lembrado como um dos álbuns de maior sucesso daquela década. Gravado pela Atlantic Records entre outubro de 1985 e março do ano seguinte, marca também mais um belo capítulo do enorme talento de Phil Collins, vocalista e baterista que então já trilhava bem-sucedida carreira solo e praticamente “carregava nas costas” o trio que formava com Tony Banks (tecladista) e Mike Rutherford (guitarra e baixo).

Puxado pelo hit que dá nome ao disco, que é aberto justamente com esta faixa-título, “Invisible Touch” traz outros grandes sucessos.

Estão entre eles a viajante e um pouco sinistra “Tonight, Tonight, Tonight”, de quase 9 minutos de duração, “Land of Confusion”, que também marcou época pelo seu bom videoclipe que estourou na MTV, “Throwing It All Away” e a ótima balada “In Too Deep”.

Décimo terceiro disco de estúdio do Genesis, o “Invisible Touch” conseguiu agradar, de certa forma, fãs mais antigos e então novos da banda britânica, pois misturou ao seu repertório um pouco da sua fase progressiva, iniciada no fim da década de 60 e que depois continuou forte até pelo menos a metade da de 70, quando tinha Peter Gabriel nos vocais e um maior número de integrantes.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

14
jun
16

Camisa de Vênus libera a música ‘A Raça Mansa’, que estará em novo álbum previsto para agosto

Camisa de Vênus - Foto: DivulgaçãoO Camisa de Vênus liberou para audição a música “A Raça Mansa”. É a primeira faixa do disco “Dançando na Lua”, que deverá ser lançado em agosto, conforme as mais recentes entrevistas do vocalista Marcelo Nova à imprensa especializada.

“Dançando na Lua” romperá um hiato de 20 anos sem um disco novo do Camisa. O último de estúdio foi “Quem é você?”, de 1996.

A banda completa assim mais uma etapa do processo de retorno iniciado em 2015.

Na ocasião, dois fundadores da banda (Nova e o baixista Robério Santana) anunciaram um turnê comemorativa de 35 anos do Camisa.

Além de Nova e Santana, completam a formação atual do Camisa de Vênus o filho do vocalista, Drake Nova (guitarra), além de Leandro Dalle (guitarra) e Célio Glouster (bateria). Estes músicos já eram integrantes do grupo de Marcelo Nova, em sua carreira solo.

Escute abaixo a nova música do Camisa de Vênus:

13
jun
16

Scorpions cancela show de Recife, altera data do Rio e confirma terceira apresentação para SP

Scorpions - Reprodução de Aviso da Time For FunMudanças na turnê de comemoração de 50 anos que o Scorpions trará ao Brasil em setembro. Nesta segunda-feira, 13 de junho, a produtora Time For Fun anunciou que, “por problemas de logística”, a lendária banda alemã foi obrigada a fazer alterações no cronograma da turnê brasileira, cancelando o show que realizaria em Recife no dia 6 de setembro e modificando a data da apresentação que será realizada no Metropolitan, no Rio de Janeiro, do dia 11 para o dia 10 de setembro.

Quanto às apresentações de São Paulo e Fortaleza, os organizadores informaram que não houve alterações. Na capital paulista, o grupo já tinha duas datas confirmadas no Citibank Hall (1º e 3 de setembro) e, na capital cearense, tem agendado um show no dia 8 na Arena do CFO.

A novidade, além das informações veiculadas pela Time For Fun, é que o site oficial do Scorpions simplesmente substituiu o show do dia 6 de setembro em Recife por uma terceira apresentação em São Paulo, também no Citibank Hall, no dia 4 de setembro.

Até o horário das 23h59 (de Brasília) desta segunda-feira, 13, não havia informação*** vinda da Time For Fun sobre este terceiro show na capital paulista. Mas, ao que tudo indica, em breve o que já está no site oficial do Scorpions será repassado pela produtora à imprensa brasileira, com detalhes de preço e venda de ingressos.

A produtora, contudo, destacou os procedimentos para os fãs que compraram entradas para os shows do Rio de Janeiro e de Recife.

Para os clientes que compraram os ingressos para a apresentação na capital fluminense, não há necessidade de troca para a data nova. Caso não possa comparecer na nova data, a solicitação de reembolso deverá ser solicitada, a partir de 14 de junho.

CONTINUE LENDO AQUI!!!




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se aos outros seguidores de 102

junho 2016
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias

Follow Roque Reverso << on WordPress.com