25
ago
15

Quarentão, álbum ‘Born to Run’ deu início ao estrelato de Bruce Springsteen

"Born to run" - Reprodução da CapaPor Rafael Franco*

O álbum “Born To Run” completa 40 anos de seu lançamento neste dia 25 de agosto de 2015. Com a faixa-título que foi um dos primeiros grandes sucessos de Bruce Springsteen, o disco começou a pavimentar de forma concreta a consagrada carreira de um dos mais influentes músicos da cultura norte-americana, que conquistou legiões de fãs em todo mundo e se tornou uma referência com seu estilo de cantar, com sua voz quase rouca e levada inconfundíveis para descrever as longas letras de suas músicas, que fugiam do uso do habitual refrão.

Caracterizado por fortes introduções instrumentais no piano, além do sax de Clarence Clemons como marcas registradas de uma então emergente banda que depois se consagraria como a respeitada E Street Band, o “Born to Run” foi considerado por alguns críticos como o principal álbum da discografia de Bruce Springsteen. Em 2003, a revista Rolling Stone chegou a colocá-lo na 18ª colocação em uma lista de 500 melhores discos de todos os tempos eleitos pela prestigiosa publicação.

Terceiro disco de estúdio da carreira de Bruce, o “Born to Run” significou um salto na carreira também pelo fato de ter sido o seu primeiro gravado em um estúdio grande, o Record Plant, em Nova York, onde foi produzido entre 1974 e 1975.

Para completar, trouxe como novidades duas trocas em sua banda de apoio. O tecladista David Sancious e o baterista Vini Lopez, virtuosos nos instrumentos, foram substituídos por Roy Bittan e Max Weinberg, menos chamativos, mas não menos competentes. Eles se juntaram a Clemons, Garry Tallent (baixo) e Danny Federici (órgão).

Como resultado destas trocas e do bom trabalhado realizado pelos produtores Mike Appel e Jon Landau, também cantor, além do próprio Springsteen, que participou diretamente da produção do disco, o que se viu foi um som grande em instrumentalidade, com camadas de guitarra, de eco nos vocais, além de teclados e bateria marcantes, entre outras qualidades, como a gaita tocada por Springsteen.

Para se ter uma ideia da importância que este disco tem para a carreira de Bruce, em 14 de novembro de 2005 começou a ser vendida uma edição especial de aniversário de 30 anos do álbum, que ganhou uma versão remasterizada, além de dois DVDs, sendo um deles contendo um filme que conta como foi a produção do “Born to Run” e o outro trazendo um show.

O quarentão álbum de 1975 é aberto com um dos principais clássicos da carreira de Bruce: “Thunder Road”. Com arranjo primoroso, a música ajudou a alavancar o que viria a se tornar, disparado, o primeiro grande sucesso comercial da carreira do cantor de New Jersey, que então ainda não havia conseguido emplacar com os seus dois primeiros álbuns.

A canção atingiu a terceira posição da Billboard e chegou a ser eleita a 21ª melhor música de todos os tempos pela Rolling Stone.

Com “Thunder Road” e “Born to Run” como carros-chefes, o disco também é fechado em grande estilo com a longa Jungleland, de mais de oito minutos de duração, que contém um lindo solo de sax de Clemons, além do característico piano e guitarra marcantes. “Tenth Avenue Freeze-out”, “Night”, “Backstreets”, “She’s the One” e “Meeting Across The River” são as outras cinco faixas do álbum de apenas oito músicas, todas honestas e bem arranjadas, refletindo o fato de que Bruce conseguiu produzir ali o seu primeiro sólido disco.

Com letras expansivas, que falam muitas vezes em deixar para trás os fracassos do passado e olhar para frente, o disco permitiu também que, pela primeira vez, Springsteen pudesse fazer turnê fora dos Estados Unidos, chegando à Europa, continente no qual conseguiu começar a expandir seus horizontes de forma essencial para o sucesso global de sua carreira.

Carreira que, depois, se consolidaria e atingiria o auge com o consagrado “Born in the USA”, que vendeu mais de 15 milhões de cópias apenas nos Estados Unidos e cujas 12 faixas ele, por muitas vezes, toca em um único show, como aconteceu em sua aparição no Rock in Rio de 2013. Na capital carioca, ele tocou as 12 na mesma ordem do disco.

Para comemorar os 40 anos do clássico, veja vídeos descolados no YouTube das músicas “Born to Run”, “Thunder Road” e “Jungleland”.

*Rafael Franco é jornalista da Agência Estado e amante do bom e velho rock n’ roll
Anúncios

2 Responses to “Quarentão, álbum ‘Born to Run’ deu início ao estrelato de Bruce Springsteen”


  1. 19 de outubro de 2015 às 10:20

    E olha que não sou um grande entendedor de Bruce Springsteen, apesar de respeitar demais a carreira do cara.
    Esse texto do Rafael ajudou demais a entender este grande clássico.

  2. 2 Gustavo Porto
    19 de outubro de 2015 às 17:38

    Boa, Rafa! Flavinho dando oportunidade pros meninos! Boa


Deixe um comentário (para isso, insira seu endereço de e-mail e o nome)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Documentário 'Sepultura Endurance' teve sua estreia geral ao público no dia 15 de junho e tem neste dia 19 exibição marcada para o Cine SESC, em São Paulo, pelo In-Edit Brasil, às 21h30.
Veja a resenha do Roque Reverso aqui:
https://roquereverso.com/2017/06/15/documentario-sepultura-endurance-mostra-saga-da-banda-brasileira-e-resistencia-apos-separacao-historica/
#roquereverso #sepultura #ineditbrasil #sepulturaendurance #cinesesc Já viu os preços para o show do U2 em São Paulo?
Veja os detalhes no texto do Roque Reverso aqui:
https://roquereverso.com/2017/06/08/ingressos-de-pista-comum-para-show-do-u2-em-sp-da-turne-de-30-anos-do-the-joshua-tree-custam-r-500/
#roquereverso #u2 #estadiodomorumbi #u2thejoshuatree2017 O "Sgt. Peppers" fez 50 anos e o Roque Reverso fez uma resenha bacana.
Confira aqui:
https://roquereverso.com/2017/05/30/50-anos-do-disco-sgt-peppers-lonely-hearts-club-band-um-dos-maiores-da-historia-e-simbolo-de-uma-geracao/
#roquereverso #beatles #paulmccartney #ringostarr #johnlennon #georgeharrison Nosso texto sobre a enorme perda de Kid Vinil:
https://roquereverso.com/2017/05/19/rock-nacional-de-luto-com-a-morte-de-kid-vinil-um-dos-maiores-embaixadores-do-estilo-no-pais/
Foto: Divulgação Facebook
#roquereverso #kidvinil Nosso texto sobre a enorme perda de Chris Cornell:
https://roquereverso.com/2017/05/18/rock-chora-a-morte-de-chris-cornell-vocalista-do-soundgarden-e-do-audioslave/
Foto: Divulgação Facebook
#roquereverso #chriscornell #soundgarden #audioslave Resenha do Roque Reverso sobre o grande show do Prophets of Rage no Maximus Festival!!!
https://roquereverso.com/2017/05/16/com-fora-temer-e-show-variado-no-maximus-festival-prophets-of-rage-mantem-legado-do-rage-against/
#roquereverso #maximusfestival #prophetsofrage #tomorello

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 87 outros seguidores

agosto 2015
D S T Q Q S S
« jul   set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

Estatísticas

  • 526,664 hits
SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE


%d blogueiros gostam disto: