Arquivo para dezembro \07\-02:00 2015



07
dez
15

Show do Stratovarius que aconteceria em dezembro em SP é adiado para fevereiro

Stratovarius - Cartaz de Divulgação do show em SPO Stratovarius adiou a apresentação que faria no dia 10 de dezembro em São Paulo. O show único que aconteceria no Carioca Club foi transferido para o dia 12 de fevereiro no mesmo local.

De acordo com a Free Pass Entretenimento, a mudança da apresentação em SP foi realizada em virtude do cancelamento do Festival RockLand, que aconteceria no dia 12 de dezembro, em Santiago, no Chile.

“Nós estamos muito tristes pela nossa apresentação no Festival Rockland no Chile foi cancelada. Ocorreram alguns problemas contratuais que nos obrigaram a tomar esta decisão, o que nos obrigou a adiar os shows do Brasil e Argentina para fevereiro”, escreveram os integrantes do Stratovarius, em nota oficial.

Segundo os produtores da apresentação no Carioca Club, os horários de abertura das portas e do inicio do show foram alterados para as 18h30 e 20 horas, respectivamente.

Os ingressos adquiridos para a apresentação do dia 10 de dezembro continuam válidos para a nova data. Os fãs que decidirem pelo reembolso devem procurar os canais do Clube do Ingresso (http://www.clubedoingresso.com) e seus respectivos pontos de venda. Quem tem interesse na compra do ingresso para o dia 12 de fevereiro tem os mesmos canais para isso.

O show faz parte da turnê mundial de seu novo álbum “Eternal World Tour”, de 2015.

Os ingressos para a Pista saem por R$ 220 (inteira) e R$ 110 (meia-entrada). Quanto às entradas para o Mezanino, o valor é de R$ 320 (inteira) e R$ 160 (meia-entrada).

Entre os pontos de venda físicos, a bilheteria do Carioca Club é o único local que não cobrará taxa de conveniência. Lá, porém, só será aceito dinheiro vivo.

Outras opções são as lojas Contém 1 Grama dos Shoppings Aricanduva, West Plaza, Tatuapé e Santa Cruz. Há também a opção da Loja 255, na Galeria do Rock, no Centro de São Paulo, e na Monster Music Store, na Rua Teodoro Sampaio, 709 – Pinheiros.

06
dez
15

50 anos do clássico álbum ‘Rubber Soul’, dos Beatles

Rubber Soul - Reprodução da capaPor Roberto Carlos dos Santos*

“Rubber Soul”, um dos álbuns mais criativos e emblemáticos dos Beatles, comemorou 50 anos de lançamento nos primeiros dias de dezembro de 2015. Dono da quinta posição na lista dos 500 maiores álbuns de todos os tempos da revista Rolling Stone, “Rubber Soul” marca uma mudança na trajetória dos Beatles, traduzida na sofisticação das letras e melodias das canções.

O sexto álbum do grupo britânico foi lançado no dia 3 de dezembro de 1965. Incorporava elementos de R&B, pop, soul music e música psicodélica e revelava os Fab Four em uma marcante evolução artística e emocional – e cada vez mais consolidados no controle de sua produção musical.

No outono de 1965, os Beatles gozaram seis semanas de férias coletivas, algo raro até então na trajetória do grupo. Com o álbum “Help” mantendo as musicas do conjunto nas rádios, John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr puderam fazer uma pausa no trabalho. Em 12 de outubro, porém, a EMI marcou o dia para o início da gravação de um novo LP. A data foi escolhida para que houvesse novos produtos dos Beatles nas festas de final de ano. As gravações se encerraram no dia 15 de novembro de 1965.

De acordo com o cronograma, Paul e John teriam que criar uma dúzia de novas canções em pouco mais de duas semanas, uma tarefa que parecia impossível até mesmo para eles. Apenas “Wait”, que não havia sido aproveitada em “Help”, estava pronta. Descansada e com a criatividade em alta, a dupla iniciou suas composições e as musicas foram brotando, inovadoras e revolucionárias.

Um exemplo é “Norwegian Wood”, na qual John – à época casado com Cynthia Lennon – relata um relacionamento adulto extraconjugal, onde a mulher parece estar no controle. Melancólica, a canção contou com a participação de Paul em algumas partes. George já estava na ocasião muito interessado em música indiana e fez o primeiro solo de cítara em um disco de rock. Repetiu o feito depois em outras musicas dos Beatles.

Outras canções do álbum também mostram o desenvolvimento de uma importante característica de John que marcou sua carreira: o uso de elementos confessionais para revelar seus sentimentos. Assim como “Norwegian Wood, “Nowhere Man” também desnuda suas emoções. Nesta música, provavelmente para se autopreservar, Lennon recorreu à narrativa em terceira pessoa, mas, tempos depois, assumiu que ele mesmo era o “o homem de lugar nenhum”.

Na biografia dos Beatles escrita por Bob Spitz, consta que John, depois de uma noitada em boates usando drogas, voltou para casa e passou cinco horas tentando compor uma canção que fosse “boa e profunda”. Sem sucesso e irritado, desistiu e foi tirar um cochilo. Em algum momento, acordou e criou o tema para a música. “Pensei em mim mesmo como o homem de lugar nenhum, sentado na terra de ninguém (‘nowhere man, sitting in his nowhere land’)”, disse. A partir daí, a música – que aponta para a baixa autoestima de John – se desenvolveu. Uma pista brilhante de que é ele mesmo a figura retratada na música está na frase “Isn’t he a bit like you and me?” (“Ele não é um pouquinho como você e eu?”).

Nenhuma alegoria, porém, foi usada em “In my life”. John abandonou a proteção do uso da terceira pessoa e passou para uma abordagem direta e autobiográfica – algo que ele havia mostrado em musicas como “Help” e que adquiriu um aspecto visceral na brilhante “Mother”, composta por ele no início dos anos 70, já na carreira solo.

Lennon contou, segundo a biografia de Spitz, que a letra começou com um grande poema em que ele refletia sobre seus lugares preferidos durante a infância em Liverpool – uma descrição que relatava um passeio de ônibus desde a rua em que morava até o centro da cidade. Ele, entretanto, disse ter ficado entediado com a narrativa, que, nas suas palavras, “parecia um diário de viagem”.

John descartou, então, os nomes dos lugares e, citando outras referências do passado, criou uma letra nostálgica, que remete ao luto, mas com grande sensibilidade romântica. Em sua biografia autorizada, escrita por Barry Miles, Paul afirma ter feito toda a melodia da música, inspirado em canções de Smokey Robinson & The Miracles. John dizia em entrevistas que a melodia era dele, com contribuições de Paul. “Acho muito gratificante que, de tudo que compusemos, só pareçamos discordar a respeito de duas canções” disse Paul em sua biografia, referindo-se também a “Eleanor Rigby”, na qual há também desacordo entre o papel de cada um na composição.

Outro destaque do álbum, “Michelle” surgiu da busca por novas musicalidades e da necessidade do grupo de produzir muita canções em pouco tempo. Ainda em Liverpool, nos tempos em que a dupla frequentava as festas boêmias de Austin Mitchell, um dos professores da Escola de Artes da cidade, Paul costumava fazer uma sequência instrumental com “um quê francês”, fazendo um dedilhado no violão. John sugeriu que seria uma boa ideia compor uma música com aquele estilo.

Paul já vinha brincando com uma letra construída em torno do nome Michelle e juntou as peças. A frase “I love you, I love you, I love you” foi contribuição de John, inspirada em “I put a spell on you”, interpretada por Nina Simone. A canção fez sucesso na Inglaterra em agosto de 1965, mas na versão da diva americana do jazz e R&B a ênfase da frase estava na palavra “you”, enquanto que na versão Lennon & McCartney a ênfase ficava em “love”.

“Drive my car” e “Girl” também se destacam entre as músicas do álbum. George emplacou duas composições no disco (“Think for yourself” e “If I need someone”). Ringo leva crédito na country “What goes on”, na qual faz o vocal solo. “Contribui com umas cinco palavras”, disse ao ser questionado sobre a sua participação na composição. Na verdade, era uma música de John nunca antes usada. Como era importante que o baterista cantasse pelo menos uma música em cada álbum, Lennon a tirou da gaveta e Paul e Ringo compuseram uma nova parte B.

Há várias versões para o nome do álbum. Na sua biografia, Paul diz que “Rubber Soul” era uma referência tanto a “rubber sole” (sola de borracha) quanto à soul music. Os Beatles aprovaram as capas e títulos dos álbuns e gostavam de usar jogos de palavras, como por exemplo, em “Revolver”, não a arma, mas o verbo em inglês revolve (girar, orbitar).

Na discografia dos Beatles, “Rubber Soul” está ao lado de outras obras primas, como “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, o próprio “Revolver” e “The White Álbum” (O Álbum Branco). Talvez, a melhor definição para o disco tenha sido dada pelo produtor musical George Martin, conhecido como “o quinto beatle”. De acordo com ele, foi “o primeiro álbum a apresentar ao mundo os novos Beatles, aqueles em idade de crescimento”.

Para relembrar o álbum “Rubber Soul”, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Note que, na época, videoclipes eram algo incomum. Justamente por isso, há muitas montagens dos fãs e vídeos não oficiais.

Fique inicialmente com “Drive My Car”. Depois, continue com “Norwegian Wood (This Bird Has Flown)”, “Nowhere Man” e “Michelle”. Para fechar, nada menos que “In My Life”.

*Roberto Carlos dos Santos é jornalista da Agência Estado e amante do bom e velho rock n’ roll
04
dez
15

Divulgados os preços para os shows que os Rolling Stones farão no Brasil em 2016

Rolling Stones Cartaz BrasilDepois de muito rumor e temor de que os ingressos para a turnê dos Rolling Stones no Brasil bem mais caros do que a média praticada atualmente, a produtora Time For Fun divulgou nesta sexta-feira, 4, os valores para os shows que a lendária banda britânica fará no País entre fevereiro e março de 2016. Para os setores principais (Pista Vip e Pista Comum), as entradas inteiras custarão, respectivamente, R$ 900,00 e R$ 440,00 para as três capitais que receberão as apresentações: Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Na capital fluminense, por onde já passou três vezes, os Stones vão se apresentar no Estádio do Maracanã no dia 20 de fevereiro. Em São Paulo, onde já esteve duas vezes, o grupo tocará no Estádio do Morumbi, em duas datas: no dia 24 e 27 de fevereiro.

Na capital gaúcha, onde tocará pela primeira vez, os músicos farão show no Estádio Beira-Rio no dia 2 de março.

De acordo com a Time For Fun, o Banco do Brasil foi confirmado como o “Banco Oficial” dos shows dos Rolling Stones no País. Justamente por isso, clientes da instituição com cartão Ourocard terão pré-venda exclusiva de ingressos das apresentações da turnê América Latina Olé no Brasil.

Para os shows do Rio e de Porto Alegre, a pré-venda exclusiva de ingressos começará partir de 0h01 do dia 7 de dezembro até às 23h59 do dia 11 de dezembro, ou até atingir o volume de ingressos disponíveis. Clientes Banco do Brasil com cartão Elo tem 10% de desconto.

Quanto à apresentação da capital paulista, a pré-venda exclusiva de ingressos aos clientes Banco do Brasil com Ourocard começará a partir de 0h01 do dia 8 de dezembro até às 23h59 do dia 12 de dezembro, ou até atingir o volume de ingressos disponíveis para a pré-venda. Clientes Banco do Brasil com cartão Elo tem 10% de desconto.

Nos dias de abertura da pré-venda exclusiva Ourocard, os ingressos estarão disponíveis a partir da 0h01 pela internet (www.ticketsforfun.com.br), e a partir das 10 horas nas bilheterias oficiais (sem taxa de conveniência – Porto Alegre/Estádio do Beira-Rio, São Paulo/Citibank Hall, Rio de Janeiro/ Metropolitan) e nos demais pontos de venda do País.

A compra poderá ser parcelada em até 4 vezes durante a pré-venda Banco do Brasil. Será limitada a 6 ingressos por CPF e limitada a 1 ingresso de meia-entrada por CPF.

Para o público em geral, a venda será feita na sequência,  após o término do período de pré-venda, em data a ser informada pelos produtores.

Ao acessar o site da Tickets For Fun, os clientes Banco do Brasil também terão a opção de trocar os pontos adquiridos no programa Ponto Pra Você por ingressos, de acordo com a tabela abaixo:

Stones

Mais informações sobre o programa de pontos estão disponíveis no site do Banco do Brasil: www.bb.com.br/rollingstones.

Os valores em dinheiro dos ingressos são salgados, mas não haverá surpresa se todas as entradas se esgotarem rapidamente.

Para o Rio de Janeiro, além dos valores já citados para Pista Vip e Pista Comum, haverá os das Cadeiras Maracanã Mais Leste Lounge e Maracanã Mais Oeste ao preço de R$ 900,00. A Cadeira Inferior Leste e a Oeste têm ingressos a R$ 580,00. A Cadeira Superior Leste tem entradas no valor de R$ 380,00; a Cadeira Inferior Sul sairá por R$ 340,00; a Cadeira Superior Nível 2 – Sul, por R$ 260,00; e a Cadeira Superior Nível 5, também por R$ 260,00.

Quanto aos shows de São Paulo, os valores, além dos já citados de Pista Vip e Pista Comum, são os seguintes: Cadeira Superior 1, 2 e 3 (R$ 600,00); Inferior A e B (R$ 580,00); Arquibancada 1, 3 e 4 (R$ 280,00); e Arquibancada 2 (R$ 260,00).

Para a apresentação de Porto Alegre, os preços das entradas, além das já mencionadas, são os seguintes: Cadeira Inferior (R$ 580,00); Cadeira Superior (R$ 350,00); e Cadeira Premium (R$ 650,00).

A passagem dos Stones pelo Brasil faz parte da turnê pela América Latina que a banda realizará no primeiro trimestre. O grupo começará por Santiago, no Chile, no dia 3 de fevereiro. Depois, passará pela Argentina, onde tocará no Estádio Ciudad de La Plata, na província de Buenos Aires, em três datas: 7, 10 e 13 de fevereiro. Montevidéu, no Uruguai, também receberá os músicos no dia 16 de fevereiro.

Após os shows do Brasil, os Stones tocarão ainda em Lima, no Peru, no dia 6 de março; em Bogotá, na Colômbia, no dia 10 de março; e, na Cidade do México, no dia 14.

A turnê América Latina Olé dos Rolling Stones contará com um palco com um novo visual, customizado especialmente para os fãs latino-americanos, dez anos sem poder contar com o grupo.

Esta será a quarta passagem dos Stones pelo Brasil. O grupo esteve pela primeira vez no País na Voodoo Lounge Tour em 1995, quando tocou três noites no Estádio do Pacaembu e duas no Estádio do Maracanã. Em 1998, com direito à abertura de Bob Dylan, a banda trouxe a Bridges To Babylon Tour para o Rio de Janeiro, no Sambódromo, e, para a capital paulista, na pista de atletismo do Ibirapuera.

Por fim, em 2006, os Stones trouxeram a A Bigger Bang Tour ao Brasil num histórico show realizado na praia de Copacabana para cerca de 1,5 milhão de pessoas.

02
dez
15

Overkill adia shows que faria em dezembro no Brasil para fevereiro de 2016

Overkill - Foto: DivulgaçãoO Overkill cancelou todos os shows que faria na América do Sul em dezembro. Com isso, conforme comunicado dos produtores brasileiros, a turnê que a banda norte-americana realizaria no País também não vai mais acontecer neste último mês de 2015. A informação oficial é de que os shows foram adiados para fevereiro de 2016.

De acordo com os organizadores, o grupo teve problemas na retirada dos vistos de entrada no Brasil e Argentina. Este detalhe impossibilita a realização dos shows em São Paulo e Curitiba.

Na capital paulista, o Overkill se apresentaria no dia 5 de dezembro no Clash Club. Na capital paranaense, tocaria no dia seguinte no Espaço Cult.

Os músicos estão na estrada para promover o álbum “White Devil Armory”, lançado em julho de 2014 via eOne Music (EUA) e Nuclear Blast Records (Europa).

Além das apresentações em São Paulo e Curitiba, o Overkill faria shows em duas cidades de países vizinhos da América do Sul. Tocaria em Buenos Aires, na Argentina, no dia 8 de dezembro e em Santiago, no Chile, no dia seguinte.

De acordo com os organizadores, os fãs que já confirmaram presença no evento não precisam efetuar qualquer tipo de troca. Os ingressos anteriormente adquiridos valerão para as novas datas, que serão anunciadas em breve.

Quem, entretanto, optar pelo reembolso, deve entrar em contato com o devido ponto de venda.

Banda representante da boa e velha guarda do thrash metal norte-americano, o Overkill mantém na escalação uma formação que traz Bobby ‘Blitz’ Ellsworth (vocal), D.D. Verni (baixo), Dave Linsk (guitarra), Derek Tailer (guitarra) e Ron Lipnicki (bateria).

01
dez
15

Exodus volta ao Brasil em janeiro para shows em SP, Rio, BH e mais 4 cidades

Exodus - Cartaz de Divulgação O Exodus voltará ao Brasil para shows em janeiro de 2016 em sete cidades, numa verdadeira maratona diária. A banda norte-americana de thrash metal se apresentará em Limeira no dia 21 (Bar da Montanha); Fortaleza no dia 22 (Armazem); Manaus no dia 23 (Teatro Manauara); São Paulo no dia 24 (Carioca Club); Belo Horizonte no dia 26 (Music Hall); Curitiba no dia 27 (Music Hall); e Rio de Janeiro no dia 28 (Circo Voador).

Como não há uma produtora única para os shows, as informações sobre ingressos ainda estão um pouco desorganizadas, mas já há plena venda em várias cidades.

Em Limeira, por exemplo, está tudo bem adiantado. O convite já está no segundo lote. A versão promocional/estudante/meia-entrada está saindo por R$ 100,00. Mais informações podem ser obtidas neste link.

Em Fortaleza, o ingresso inteiro de Pista está também no segundo lote. O preço é de R$ 200,00, mas há opção de meia-entrada. A venda está sendo feita pela Ticket4U no seguinte link.

Para o show de Manaus, o primeiro lote inteiro de Pista sai por R$ 150,00 até o dia 31 de dezembro. O segundo lote, entre os dias 4 e 22 de janeiro, custará R$ 180,00. O terceiro lote, no dia do evento, custará R$ 200,00. As entradas estão sendo vendidas no site Ingresse no seguinte link.

Em São Paulo, o ingresso de meia-entrada e promocional (com 1 quilo de alimento não perecível) de primeiro lote está sendo vendido por R$ 100,00 para a Pista. Quanto ao Camarote, nas mesmas condições, a entrada sai por R$ 200,00. O fã pode adquirir no site Clube do Ingresso neste link, onde também há informações de outros locais de venda.

Na capital mineira, a entrada inteira para a Pista (em primeiro lote) custa R$ 200,00, mas há opção promocional e de meia-entrada. Para o Camarote Open Bar, o ingresso sai por R$ 160,00. A venda está sendo feita no site Central dos Eventos neste link, onde há também informações de outros locais para a compra.

Em Curitiba, o ingresso inteiro para Pista (em primeiro lote) custa R$ 180,00, com opção de promocional e meia-entrada. Para o Camarote, sai por R$ 280,00. A venda está sendo feita pelo site TicketBrasil, neste link.

Finalmente no Rio, o ingresso inteiro para Pista está sendo vendido, em primeiro lote, por R$ 200,00, mas há a opção de meia-entrada e promocional (quando o fã leva um quilo de alimento não-perecível). O segundo lote sai por R$ 240,00. A venda é feita pelo site Ingresso.com.

Vale lembrar que, nas bilheterias das várias casas de shows que receberão o Exodus, a compra do ingresso pode ser feita sem a taxa de conveniência. Muitos destes locais, porém, só aceitam dinheiro vivo.

A turnê da banda que passará pelo Brasil em 2016 ainda promove o álbum “Blood In, Blood Out”, de 2014, quando o grupo passou pelo País pela última vez.




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se aos outros seguidores de 101

dezembro 2015
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias

Follow Roque Reverso << on WordPress.com