Posts Tagged ‘Primus

31
jul
17

Primus libera faixa de novo disco previsto para setembro

Primus - Reprodução da capa do disco "The Desaturating Seven"O Primus liberou para audição nesta segunda-feira, 31 de julho, a música “The Seven”. É a primeira amostra do novo álbum que o grupo norte-americano lançará no dia 29 de setembro.

“The Desaturating Seven” é o nome do novo disco da elogiada, virtuosa e irreverente banda liderada pelo mago do baixo Les Claypool.

O novo trabalho sucederá o álbum “Primus and The Chocolate Factory with the Fungi Ensemble”, que chegou aos fãs em 2014 e que trouxe uma nova roupagem, no estilo Primus, para a trilha sonora do clássico filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”.

Segundo Les Claypool, o disco que chega em setembro é inspirado no livro infantil sobre duendes chamado “The Rainbow Goblins!”,
do escritor e ilustrador Ul de Rico.

CONTINUE LENDO AQUI!!!

Anúncios
31
jul
14

Com formação clássica e após baterista sofrer ataque cardíaco, Primus lançará novo álbum em outubro

O Primus está cheio de novidades para os fãs e promete lançar no dia 21 de outubro o seu mais novo álbum. “Primus and The Chocolate Factory with the Fungi Ensemble” é o extenso nome do disco da elogiada, virtuosa e irreverente banda norte-americana liderada pelo mago do baixo Les Claypool.

O trabalho sucederá o álbum “Green Naugahyde”, de 2011.

Terá como grande atração a volta da formação clássica que marcou os maiores momentos da banda.

O retorno à formação de sucesso será feito graças à volta do baterista Tim Alexander.

Ao contrário de Claypool e do inseparável guitarrista Larry LaLonde, Alexander chegou a ficar um tempo fora do grupo em diversos momentos, mas se juntou novamente aos velhos companheiros em 2013.

O último álbum de estúdio com o trio foi “Tales from the Punchbowl”, de 1995.

O baterista, por sinal, passou por um susto recentemente, já que sofreu um ataque cardíaco no dia 15 de julho, com 49 anos de idade. Depois disso, passou por uma cirurgia para implantação de pontes de safena e, agora, com o sucesso da operação, está se recuperando em casa para voltar ao grupo.

Por meio do nome e da capa do novo álbum, os fãs do Primus já perceberam que a ideia do grupo é fazer referência ao filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, de 1971.

Em entrevista recente à revista Rolling Stone, Les Claypool disse ter fica desapontado com a versão lançado pelo diretor Tim Burton em 2005 e que tinha a intenção de fazer uma homenagem à película que foi importante na sua infância na década de 70.

O disco novo, que já está na fase de pré-venda, deve ganhar até uma edição especial em vinil com cor de chocolate. Para lembrar detalhes do filme, o Primus deve também colocar alguns vales premiados em algumas cópias!

O grupo já divulgou uma música do álbum. “Pure Imagination” traz uma roupagem nova de uma canção do próprio filme citado com detalhes no estilo Primus de ser. O álbum todo, na verdade, vai nessa linha, como uma forma de fazer algo no estilo Primus para a trilha sonora do filme.

Escute abaixo a nova faixa e veja a lista de músicas do novo trabalho do Primus.

1. Hello Wonkites
2. Candy Man
3. Cheer Up Charlie
4. Golden Ticket
5. Lermaninoff
6. Pure Imagination
7. Oompa Augustus
8. Semi-Wondrous Boat Ride
9. Oompa Violet
10. I Want It Now
11. Oompa Veruca
12. Wonkmobile
13. Oompa TV
14. Farewell Wonkites

20
nov
11

Primus deu show de virtuosismo no SWU e conquistou novos fãs

O Primus se apresentou na terceira e última noite do SWU Music & Arts de 2011. Num dia recheado de atrações bastante conhecidas do rock pesado e de grupos que estouraram nos anos 90, coube à banda liderada pelo excelente baixista Les Claypool o papel de representante do rock virtuose e diferente do que foi visto nos palcos principais do festival realizado em Paulínia.

Com técnica incrível, especialmente de seu líder, que também é o vocalista, o grupo conseguiu conquistar novos fãs na sua primeira passagem pelo Brasil, depois de mais de 25 anos de espera do público mais antigo conhecedor do trabalho da banda desde seu início, em 1984.

Tal qual o observado nos shows de outros nomes fortes do dia, como o Down e o Megadeth, o Primus foi obrigado a fazer uma apresentação bastante curta, de cerca de 1 hora. O grupo norte-americano tocou músicas de vários períodos da carreira, mas, justamente por causa do tempo escasso, alguns sucessos que o público estava ansioso para ver ficaram de fora.

A ausência mais sentida da noite foi “Tommy the Cat”, do álbum “Sailing The Seas of Cheese”, de 1991. Grande hit dos bons tempos da MTV, infelizmente vai ficar para uma outra oportunidade, que poderia ser aproveitada pelas empresas produtoras, já que a banda tem um público específico capaz de encher uma casa média de shows de São Paulo, por exemplo.

Se “Tommy the Cat” não foi executada, foi com uma música do mesmo álbum que o Primus iniciou sua apresentação: “Those Damned Blue-Collar Tweekers”. Les Claypool nunca foi um grande vocalista, mas seu talento no baixo é a marca principal da banda e vale cada centavo gasto em seus discos e shows.

Ao lado de seu fiel e eterno escudeiro, o guitarrista Larry LaLonde, Claypool consegue tirar sons pouco convencionais, mas longe de ser considerado algo “chato”. Completa a banda atualmente o baterista Jay Lane, que não é da formação original, mas que mostrou qualidade nas baquetas.

Na sequência do show, o Primus desfilou várias de suas músicas complexas: “Pudding Time”, “Prelude to a Crawl”, “Eyes of the Squirrel”, “Wynona’s Big Brown Beaver”, “Jilly’s on Smack”, “Over The Falls” e “Lee Van Cleef”.

Na parte final da apresentação, espaço reservado para três grandes sucessos, que bombaram nos programas alternativos da MTV da década de 90 para cá. Primeiro, o maior hit da banda: “Jerry Was A Race Car Driver”, que colocou a galera para pular. Depois, “My Name Is Mud” e para fechar, “John the Fisherman”, que trouxe mais uma aula de baixo de Claypool.

O Roque Reverso descolou no YouTube um vídeos que traz “Jerry Was A Race Car Driver” e “My Name is Mud” e outro que traz “John the Fisherman”. Se preferir, vá ao último vídeo, que traz simplesmente a apresentação do SWU na íntegra.

Set list

Those Damned Blue-Collar Tweekers
Pudding Time
Prelude to a Crawl
Eyes of the Squirrel
Wynona’s Big Brown Beaver
Jilly’s on Smack
Over The Falls
Lee Van Cleef
Jerry Was A Race Car Driver
My Name Is Mud
John the Fisherman
16
nov
11

Grandes shows compensam trapalhadas da organização do SWU com a chuva no último dia do festival

Mais uma vez os grandes shows de rock compensaram as trapalhadas da organização do SWU Festival. Se não fossem o profissionalismo, a técnica e a competência das bandas, a ira se instalaria entre os fãs no terceiro dia da edição de 2011. Nos 2 palcos principais, o público vibrou com a pesada e marcante apresentação do Down, teve o privilégio de ver um show cheio de efeitos sonoros clássicos do Sonic Youth, assistiu ao virtuosismo do Primus pela primeira vez no País, foi ao delírio com a perfeita apresentação do Megadeth, presenciou um show competente do Stone Temple Pilots, ficou encantado com os vocais dobrados grandiosos do Alice in Chains e viu o festival ser fechado com chave de ouro pelo grande Faith no More.

Se, em 2010, o primeiro dia do festival ficou marcado pelo absurdo descaso em Itu com o transporte coletivo dos usuários; em 2011, foi a vez da chuva, no último dia, transformar o espaço escolhido para o evento em Paulínia num show de lama, principalmente nos caríssimos estacionamentos oficiais, deixando clara a sensação de que ninguém previu que uma quantidade grande de água despencando do céu poderia trazer alguns transtornos aos usuários.

Ninguém aqui está exigindo um festival limpinho e cheiroso depois da insistente chuva que caiu sobre Paulínia. Na Europa, grandes festivais de rock do continente tradicionalmente contam com a lama entre seus ingredientes e isso não é motivo para afastar as pessoas…Mas um pouquinho de boa vontade dos organizadores do SWU evitaria dores de cabeça desnecessárias para quem pagou um ingresso de mais de R$ 2o0 para entrar no local do evento e de R$ 50 a R$ 100 para colocar o carro no estacionamento oficial.

O primeiro problema gerado pela chuva no festival foi visto nos banheiros. Para quem precisou usar alguns deles, especialmente os mais próximos dos palcos principais, havia um cenário que parecia muito mais um pântano em torno das cabines. No caso dos mais próximos à Praça de Alimentação, o cenário era menos preocupante, já que havia um piso formado por pedras que evitava o caos.

O segundo problema foi observado na pista dos palcos principais. Sim, é claro, que o piso asfaltado evitou o absurdo visto, por exemplo, no caótico show do Iron Maiden, em 2009, em Interlagos, onde se podia enfiar a perna na lama até as canelas em plena Pista Vip de R$ 500. Mas, nas laterais e no meio da pista, verdadeiros rios de lama foram observados, fazendo com que as pessoas tivessem que praticar uma caminhada com obstáculos para conseguir se locomover de um palco a outro.

O terceiro e mais incrível problema foi, como já adiantamos, o estacionamento oficial do SWU 2011, que teve a empresa Estapar como responsável. Quando chegamos ao local, por volta das 16h30, já havia sinais de que o terreno viraria um enorme pântano, se a chuva continuasse por um bom tempo. Nossa sorte foi conseguir um dos poucos locais gramados para deixar o carro, o que evitou o atolamento do mesmo, mas não o exercício de equilíbrio sobre a lama para simplesmente chegar ao veículo, num local, ás 4h30 da manhã sem uma iluminação adequada e sem um funcionário sequer para ajudar com informações ou com algum resgate dos carros em situação de risco.

Deu dó de ver gente com carros totalmente atolados, sem a perspectiva de um resgate. Muitos só conseguiram sair do estacionamento por volta das 11 da manhã, pagando R$ 50 para um trator retirar o veículo. Mais uma vez algumas perguntas: por que não colocaram as tradionais pedrinhas no estacionamento para evitar o caos? Asfaltá-lo não seria uma alternativa para a edição que deve ser confirmada para 2012?

Fora da lama, outra crítica ao SWU 2011 ficou por conta da distância entre os espaços. Tente acompanhar vários shows e ainda ter que passar por longas caminhadas para conhecer melhor o local do evento. Ou você fica caminhando e conhecendo as propostas de sustentabilidade ou você fica na pista para garantir um bom lugar. Em 2010, a Arena Maeda contou com um layout melhor e não se caminhava tanto para conhecer as atrações e propostas.

A segurança também deixou muito a desejar. Se, no primeiro dia do evento deste ano, a imprensa noticiou uma série de furtos e tentativas de arrastão do lado de fora, no terceiro, vimos pessoas reclamando de celulares e carteira roubadas. Não se via um policial sequer por perto e os seguranças eram muito mal preparados, para variar…

É claro que não podemos deixar de citar alguns progressos em relação a 201o. A Praça de Alimentação foi um grande exemplo. Se, em Itu, foi sinal de caos, em Paulínia foi um sucesso, com várias opções de comida que superou até o Rock in Rio, sem filas e com facilidade para a compra das fichas. O preço continuou infelizmente altíssimo. R$ 7 por uma cerveja e R$ 5 para tomar água ainda está longe do ideal.

Outros pontos positivos foram a qualidade do som e a montagem dos palcos principais, com os dois virados um para o outro, dirente da versão de 2010, quando os palcos ficavam lado a lado.

Nos próximos dias, enquanto o editor se recupera fisicamente dos shows, o blog trará as resenhas detalhadas das apresentações do terceiro dia do SWU 2011, com vídeos, fotos, set list e tudo que os leitores estão acostumados a ver neste espaço. Fica a torcida para que, em 2012, a organização do evento aprenda com os erros deste ano e traga um festival ainda melhor, sem os dramas gerados pela chuva.

27
jul
11

SWU anuncia Primus, 311 e Down, que confirma shows também em Porto Alegre e Curitiba

Em matéria de line-up, o SWU Festival está deixando a concorrência comendo poeira, pelo menos no que diz respeito ao dia 14 de novembro, a última data do festival, que acontecerá neste ano na cidade paulista de Paulínia. Se as confirmações do Faith No More, do Megadeth e do Sonic Youth para o mesmo dia já haviam deixado a galera do rock empolgada, a organização do festival ampliou este sentimento após anunciar as vindas do Primus, banda marcada pela técnica sensacional do baixista Les Claypool, e do Down, grupo do ótimo ex-vocalista do Pantera Phil Anselmo e do guitarrista do Corrosion of Conformity Peeper Keenan!!! Ainda no dia 14, a banda 311 e o cantor japonês Miyavi, também foram anunciados como parte das atrações do palco principal.

Olhando esta escalação deste dia 14 de novembro, só há uma dica: corra e reserve seu ingresso! De longe, é o melhor line-up de 2011 num único dia entre os festivais que acontecerão no Brasil…

Além destas confirmações, o SWU anunciou a vinda de Michael Franti & Spearhead para o dia 12 de novembro, primeiro dia do festival, que contará ainda com o The Black Eyed Peas, Snoop Dogg e Damian Marley.  Para o palco principal no dia 13, foi divulgado, por enquanto, somente o nome do cantor Peter Gabriel.

As vendas dos ingressos para o SWU Festival começaram no dia 11 de julho e o período de preços promocionais vai até o dia 29 de agosto. O preço promocional do ingresso de pista é R$ 210 (R$ 105 meia entrada) e o preço promocional do passaporte para a pista é de R$ 535,50 (R$ 267,75 meia entrada). Neste último, o valor é a somatória dos preços de três dias, com 15% de desconto. A venda de ingressos para Camping e Pacote Vip será realizada a partir de agosto, em data a ser posteriormente divulgada.

As vendas estão sendo feitas pelo Call Center (4003-1212), que funciona de segunda a sábado, das 9 horas às 22 horas, e nos domingos e feriados das 11 horas às 22 horas. Os ingressos podem ser adquiridos ainda na internet e em 67 pontos de venda espalhados por todo o Brasil (veja relação completa de endereços e horários de atendimento clicando aqui), onde não haverá cobrança da taxa de conveniência.

No site do Down, a banda confirmou, além do show no SWU, apresentações em Porto Alegre e em Curitiba. Na capital gaúcha, o grupo de Phil Anselmo tocará no Opinião, no dia 16 de novembro. Na capital paranaense, vai se apresentar no Master Hall, no dia 17.

Para comemorar as vindas do Primus e o Down, o Roque Reverso descolou no YouTube alguns vídeos. Primeiro, fique com dois da banda de Les Claypool: “Tommy, The Cat” e “John, The Fisherman”. Depois fique com dois do Down: “Pillars of Eternity” e “Stone The Crow”.




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Siga o Roque Reverso no Instagram!!!

Bon Jovi no São Paulo Trip 2017 realizado na Arena do Palmeiras
#roquereverso #bonjovi #saopaulotrip #allianzparque Bon Jovi no São Paulo Trip 2017 
#roquereverso #bonjovi #saopaulotrip #allianzparque The Cult no São Paulo Trip 2017 - Ian Astbury
#roquereverso #thecult #saopaulotrip #allianzparque The Cult no São Paulo Trip 2017
#thecult #saopaulotrip #allianzparque #roquereverso The Who no São Paulo Trip - Foto: Flavio Leonel/Roque Reverso
#thewho #saopaulotrip The Who no São Paulo Trip - Foto: Flavio Leonel/Roque Reverso
#thewho #saopaulotrip

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 88 outros seguidores

outubro 2017
D S T Q Q S S
« set    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Categorias

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

Estatísticas

  • 548,249 hits
SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE