Posts Tagged ‘Dave Lombardo



09
maio
16

Suicidal Tendencies volta ao Brasil em julho para show único em SP com Dave Lombardo e abertura do R.D.P.

Suicidal Tendencies em SP - Cartaz de DivulgaçãoO Suicidal Tendencies voltará ao Brasil em julho para show único em São Paulo. A lendária banda de thrash metal e hardcore retornará ao País com a formação que traz como grande atração o grande baterista Dave Lombardo, ex-Slayer.

A apresentação será realizada no dia 2 de julho do Audio Club, casa bacana localizada na zona oeste da capital paulista.

Vale destacar que não será um simples show do Suicidal, mas uma festa de bandas pesadas. Não bastasse a presença histórica de Lombardo da bateria da banda, o público terá a oportunidade de ver o veterano grupo brasileiro Ratos de Porão executando, na íntegra, o ótimo álbum “Anarkophobia”, de 1991.

Além do Suicidal e do R.D.P., completam a escalação do evento a banda Oitão, que tem como vocalista o famoso chef Henrique Fogaça,  e o Tolerância Zero.

Os ingressos já estão à venda no site da Ticket 360. As entradas inteiras, de primeiro lote, saem por R$ 160,00 (Pista) e R$ 260,00 (Mezanino/Camarote).

Segundo os organizadores do evento, em breve, será possível também comprar os ingresso na Galeria do Rock nas lojas Consulado do Rock e 255.

A presença de Lombardo no Suicidal é um acontecimento. Ele que, para muitos, é o maior baterista do heavy metal, saiu do Slayer em 2013. Na época, o músico discordou de valores pagos pela banda de thrash metal e desagradou o polêmico guitarrista Kerry King.

Em 2015, o baterista chegou a vir ao Brasil com a banda Philm. O Suicidal passou recentemente pelo País em 2012, 2013 e 2014.

Em fevereiro, o grupo norte-americano anunciou a participação de Lombardo na turnê que o Suicidal fez nos Estados Unidos. Depois disso, foi confirmada a permanência numa passagem pela Europa e, agora, pelo Brasil.

No caso do Ratos de Porão, a banda tocará o “Anarkophobia” na íntegra como forma de comemoração dos 25 ano do disco. Quanto ao Oitão, a banda divulga o seu novo álbum “Pobre Povo”. Precisa dizer que é imperdível?

21
fev
16

Dave Lombardo será o baterista do Suicidal Tendencies na nova turnê da banda

Dave Lombardo e Mike Muir, do Suicidal Tendencies - Foto: Divulgação/Pep WilliamsUma notícia bombástica empolgou os fãs do heavy metal neste domingo, dia 21 de fevereiro. Tudo porque o Suicidal Tendencies, lendária banda de thrash metal e hardcore, anunciou oficialmente que o grande Dave Lombardo, ex-Slayer, será o baterista do grupo na nova turnê que deve ser iniciada nos próximos dias nos Estados Unidos.

De acordo com o grupo, Lombardo estará com o Suicidal na turnê que a banda fará com o Megadeth a partir do dia 26 de fevereiro em Las Vegas.

Até o momento, a última data prevista é o dia 21 de março em Boston.

Não há informação alguma se a permanência de Lombardo irá se estender para outras turnês do Suicidal. Mas o simples fato deste grande baterista se juntar a uma banda do quilate do Suicidal dá certa esperança aos fãs da boa e velha música pesada.

O próprio Suicidal, no comunicado oficial, mostrou grande empolgação: “Vocês sabem o que isso significa. Será doentio e brutal!”

Interessante notar que a bateria é um posto muito bem servido no Suicidal, já que Eric Moore vem dando conta do recado há um bom tempo. Sobre Moore, o comunicado não trouxe uma palavra sequer.

Lombardo que, para muitos, é o maior baterista do heavy metal, saiu do Slayer em 2013, justamente num início de turnê. Na época, o músico discordou de valores pagos pela banda de thrash metal e desagradou o polêmico guitarrista Kerry King.

Em 2015, o baterista veio ao Brasil com a banda Philm. O Suicidal passou recentemente pelo País em 2012, 2013 e 2014.

06
fev
15

Dave Lombardo, ex-Slayer, faz em SP show único no Brasil com sua atual banda Philm

Philm em SP - Reprodução do Cartaz de DivulgaçãoDave Lombardo, considerado por muitos o maior baterista do heavy metal, tocará em São Paulo no dia 8 de fevereiro. O ex-baterista do Slayer se apresentará com sua atual banda, o Philm, no Manifesto Bar, tradicional reduto do rock na capital paulista.

O baterista promete fazer um show alucinante. A despeito de o Philm ser um power trio e ter um som diferente do thrash do Slayer, a apresentação com Lombardo, no mínimo, é encarada como uma espécie de “aula” de como se toca bateria.

O Philm vem ao Brasil mostrar seu segundo álbum. “Fire From The Evening Sun”, que foi lançado em 2014 e sucedeu o disco de estreia “Harmonic”, de 2012.

Os ingressos para o show já estão no segundo lote e custam R$ 100,00 para a Pista. As entradas para o Camarote têm o valor único de R$ 160,00.

As vendas pela internet estão sendo feitas pelo site da Ticket Brasil. Os locais de venda física são o próprio Manifesto Bar e a tradicional loja Die Hard, da Galeria do Rock.

Lombardo forma o Philm com o vocalista e guitarrista Gerry Paul Nestler e com o baixista Pancho Tomaselli.

Nunca ouviu a banda? O Roque Reverso descolou no YouTube o clipe da música “Held in Light”, do primeiro álbum.

Confira abaixo:

07
out
13

Em grande show no Rock in Rio, Slayer traz ‘rolo compressor’ ao festival

Redação RЯ 

O Slayer finalmente participou de um Rock in Rio. Depois de os organizadores corrigirem, em 2011, a aberração de nunca ter convidado o Metallica e o Motörhead, foi a vez de, em 2013, chamarem a banda de thrash metal de Tom Araya & Cia.

O grupo norte-americano participou do dia 22 de setembro, o último do festival realizado na capital fluminense e o segundo do evento dedicado ao heavy metal.

Se o Bon Jovi, com baixas de última hora, demonstrou grande força de superação no festival, o Slayer, completamente destroçado e se recuperando do baque recente relacionado à morte do guitarrista Jeff Hanneman, mostrou a todos que ainda tem forças para continuar sua longa história no thrash metal.

Somada à morte de Hanneman, a saída de Dave Lombardo do grupo, depois de desentendimentos com o guitarrista Kerry King, deixou muito fã do Slayer profundamente chateado e descrente com o futuro da banda.

Contudo, o que se viu no Rock in Rio, foi o rolo compressor tradicional do grupo. Com um set list matador executado numa tacada só, o Slayer deixou os fãs de carteirinha eufóricos e quem não conhecia a banda de boca aberta.

Na bateria, Paul Bostaph voltou ao grupo e mostrou que, se não tem a mesma qualidade do inigualável Lombardo, consegue segurar o show ao vivo dignamente. No lugar de Hanneman, que foi homenageado durante o show, Gary Holt, que já havia passado pelo Brasil com o Slayer em 2011, mostrou mais uma vez que é o cara certo para o posto.

Araya e King são o que sobrou da formação original. Enquanto o vocalista continua mandando muito bem, o guitarrista, apesar de ser uma pessoas difícil, também traz toda a energia característica do Slayer para o palco.

Entre as músicas executadas, clássicos de sempre, como “Mandatory Suicide”, “Seasons in the Abyss”, “South of Heaven”, “Raining Blood” e “Angel of Death”. Uma boa surpresa foi a execução de “At Dawn They Sleep”, que pouco foi tocada em turnês recentes do grupo.

Para relembrar o show do Slayer do Rock in Rio, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Fique inicialmente com “Mandatory Suicide”. Depois, veja uma dobradinha com “South of Heaven” e “Raining Blood”, além de “Angel of Death”. Se quiser assistir à apresentação na íntegra, clique aqui, enquanto não retiraram do ar.

Set list

World Painted Blood
Disciple
War Ensemble
At Dawn They Sleep
Mandatory Suicide
Hallowed Point
Die by the Sword
Dead Skin Mask
Hate Worldwide
Seasons in the Abyss
South of Heaven
Raining Blood
Angel of Death

30
maio
13

Slayer anuncia retorno de Paul Bostaph ao posto de baterista da banda

O Slayer anunciou nesta quinta-feira, dia 30 de maio, que o baterista Paul Bostaph está de volta ao grupo. Em comunicado oficial, a banda norte-americana de thrash metal informou que o retorno acontecerá, em tempo integral, a partir do dia 4 de junho, quando o Slayer começa uma etapa de sua turnê internacional de 2013 em Varsóvia, na Polônia.

Com a informação da volta de Bostaph, está confirmada, portanto, a saída definitiva do excelente Dave Lombardo, que é membro original da banda e um dos maiores bateristas do heavy metal.

Lombardo havia deixado o conjunto em fevereiro, depois de discordar da maneira como os negócios do grupo eram geridos. Desde então, os bumbos do Slayer foram comandados temporariamente por Jon Dette.

Os fãs ainda tinham alguma esperança pela volta de Lombardo, mas o desentendimento dele com o polêmico guitarrista e atual líder do grupo, Kerry King, já havia sido praticamente uma carta de demissão.

O anúncio da volta de Paul Bostaph é a primeira notícia positiva do Slayer depois de algum tempo e pode dar alguma sobrevida à banda, extremamente abalada pela morte recente do outro guitarrista e membro fundador, Jeff Hanneman, no dia 2 de maio, em virtude de cirrose hepática, em fato que chocou o mundo do heavy metal.

Dá também esperança para os fãs brasileiros, pois o grupo vem ao País em setembro para tocar no Rock in Rio e passar ainda por São Paulo e Curitiba. No comunicado, a permanência de Gary Holt, do Exodus, na outra guitarra também foi confirmada.

“Paul é um grande baterista e um bom amigo. E estamos muito felizes que ele decidiu se juntar à banda”, disse Tom Araya, no comunicado. “Ainda estamos muito atordoados da perda de Jeff, mas nós não queremos decepcionar nossos fãs europeus, e nós precisamos começar a avançar…Com Paul de volta na banda, fica muito mais fácil.”

“Estou muito animado para retornar ao Slayer”, afirmou Bostaph. “Passamos dez anos muito intensos de nossas vidas juntos, tinha um monte de diversão e fizemos um monte de boa música. Então, para mim, isso é como voltar para casa”, acrescentou.

Não é a primeira vez que Paul Bostaph entra como substituto definitivo de Dave Lombardo. Entre 1992 e 2001, ele superou diversas críticas pelo peso de ocupar o posto de um dos maiores bateristas de todos os tempos e ganhou o respeito dos fãs. Participou de três álbuns do Slayer: “Divine Intervention” (1994), “Diabolus in Musica” (1998) e “God Hates Us All” (2001). Também esteve no  EP de covers “Undisputed Attitude”, de 1996.

02
maio
13

Heavy metal de luto: Jeff Hanneman, do Slayer, morre aos 49 anos nos EUA

Os headbangers de todo o planeta foram pegos de surpresa neste dia 2 de maio, depois que o Slayer, em sua página oficial no Facebook, anunciou a morte de seu guitarrista fundador Jeff Hanneman, aos 49 anos de idade. De acordo com o comunicado da lendária banda de thrash metal, o músico faleceu no período da manhã, nos Estados Unidos, de  insuficiência hepática*.

Pela idade de Hanneman e pela sua grande importância para o thrash metal e o heavy metal como um todo, imaginou-se inicialmente que a página do grupo até havia sido hackeada e que aquilo era um trote. Mas, aos poucos, as notícias começaram a pipocar nas redes sociais e o nome de Jeff Hanneman logo bombou como um dos mais citados no twitter.

“O Slayer está devastado em informar que o seu companheiro de banda e irmão Jeff Hanneman morreu por volta das 11 horas desta manhã, perto da sua casa, no sul da Califórnia. Jeff estava em um hospital quando sofreu de insuficiência hepática”, escreveu a banda no comunicado do Facebook.

Vale lembrar que Hanneman estava afastado do grupo desde o começo de 2011, quando, depois de uma picada tosca de aranha no braço, precisou fazer uma delicada cirurgia e quase foi obrigado a amputar o membro.

Desde então, o guitarrista do Exodus, Gary Holt, vinha dando uma enorme força para o Slayer nas turnês e até passou pelo Brasil na turnê que a banda fez no País em 2011. Mesmo com o desfalque importantíssimo de Hanneman, os músicos fizeram no saudoso Via Funchal uma das apresentações mais pesadas que São Paulo já viu em junho daquele ano.

Alguns veículos de comunicação dos Estados Unidos chegaram a afirmar que o alcoolismo foi a verdadeira razão da morte de Hanneman. Segundo algumas publicações, o guitarrista, depois de um longo tratamento, largou tudo e começou a beber sem parar, do café da manhã até o fim da noite diariamente. Para alguns, os remédios do intenso tratamento também foram importantes para deixar o fígado do músico debilitado.

A morte de Hanneman até pode passar despercebida para quem é de fora do heavy metal, mas deixa uma lacuna irreparável para quem algum dia gostou de alguma música do estilo. O guitarrista era simplesmente um dos fundadores de uma das bandas precursoras do thrash metal e tem seu nome gravado na maioria das composições que fizeram o Slayer entrar para a história.

Quem viveu o auge do thrash metal, entre os anos 80 e começo dos 90, com toda certeza, está triste demais e sabe que nunca mais será possível ver o Slayer com sua formação matadora e clássica.

Recentemente, o baterista Dave Lombardo já havia deixado a banda depois de discordar da maneira como os negócios do grupo eram geridos. Se a saída de Lombardo já havia deixado a banda bastante desfalcada, a morte de Hanneman, sem sombra de dúvida, ratificará o risco que já era grande de o grupo não sobreviver.

Com todos os percalços, o Slayer tem agendado uma infinidade de shows por todo o planeta. No Brasil, tocará em setembro pela primeira vez no Rock in Rio e ainda abrirá as apresentações do Iron Maiden em São Paulo e Curitiba. Resta saber agora se a banda terá forças para manter a agenda após a grande perda de Hanneman.

Para homenagear Jeff Hanneman, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Para começar, fique com um que traz as matadoras “Chemical Warfare” e “Raining Blood” no AOL Sessions em 2010. Depois veja o videoclipe oficial de “War Ensemble”. Para fechar, a obra-prima “Seasons in the Abyss”, que traz o guitarrista num de seus maiores solos. R.I.P. Jeff!!!

* No dia 10 de maio, o Slayer soltou nota oficial, informando que a razão da morte de Hanneman foi uma cirrose hepática

21
fev
13

Dave Lombardo discorda de valores pagos e será substituído por Jon Dette na bateria do Slayer

Dave Lombardo - Foto: DivulgaçãoUma verdadeira bomba abalou o mundo do heavy metal neste dia 21 de fevereiro, depois que o baterista Dave Lombardo, do Slayer, publicou um comentário no Facebook, dizendo que não participará da turnê que a banda norte-americana de thrash metal fará na Austrália a partir do dia 23 de fevereiro. Segundo Lombardo, ele recebeu um comunicado de dispensa do grupo depois de questionar a maneira como os negócios do Slayer são geridos.

Após consultar os dados financeiros da banda, o baterista constatou que apenas 10% de todo o valor que o Slayer arrecadou durante as turnês que realizou em 2012 chegaram aos bolsos dos músicos. De acordo com Lombardo, ao propor um novo modelo mais justo, encontrou resistência do guitarrista Kerry King, que deixou claro ao baterista que, se quissesse discutir o assunto, encontraria outra pessoa no comando dos bumbos da banda.

“Para que todos saibam a verdade, a partir do final do contrato que temos entre nós, que venceu em 14 de fevereiro, fui informado de que não seria o baterista para a turnê na Austrália. Estou triste, e para ser honesto, chocado com a situação”, escreveu Dave Lombardo.

Mais tarde, em nota à imprensa, o grupo rebateu o texto de Lombardo e anunciou Jon Dette, que passou pela banda na década de 90, para a bateria na turnê australiana. “Sobre o que foi citado no post de Dave Lombardo no Facebook, o  Slayer não concorda com o que  foi dito pelo Sr. Lombardo ou com a sequência dos eventos  apresentada por ele, exceto com o fato de que o Sr. Lombardo, menos de uma  semana antes da partida já marcada para a Austrália, apresentou um novo conjunto  de exigências, que eram contrárias ao que havia sido previamente acertado”, destacaram os músicos.

No texto que postou no Facebook, Lombardo ainda deixou em aberto alguma possibilidade de retorno à banda, mas, conhecendo o temperamento de Kerry King, são pequenas as chances de uma volta amigável. “Eu continuo esperançoso de que possamos resolver nossas diferenças. Mas, mais  uma vez, peço desculpar sinceras a nossos fãs na Austrália que gastaram seu  dinheiro esperando ver os 3 membros originais do Slayer. Espero vê-los no futuro”, afirmou.

Quem conhece um pouquinho de heavy metal ou thrash metal sabe o tamanho da perda gerada pela saída de Dave Lombardo ao Slayer. Considerado um dos maiores bateristas do gênero, poucos apresentaram tamanha técnica e rapidez no instrumento como este cubano.

Não é a primeira vez que Lombardo deixa as baquetas do Slayer. Ele já havia abandonado o grupo em 1986 e retornado em 1987 numa primeira oportunidade e repetido a dose em 1992, quando ficou dez anos longe do grupo, retornando somente ao posto em 2002.

O público brasileiro tende a ser um dos prejudicados neste novo embate interno do Slayer. Tudo porque o grupo vem tocar pela primeira vez no Rock in Rio, em setembro, na capital fluminense. Os fãs já estavam se acostumando a ver a banda sem o grande Jeff Hanneman na guitarra, por causa de uma picada tosca de aranha no braço. Agora, com mais esta turbulência, resta a dúvida se o Slayer conseguirá resistir como o grande grupo que é durante muito tempo. A ver…




Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso site em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 104 outros seguidores

dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Bandas, estilos, festivais, etc

O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Categorias