17
abr
14

Set list, fotos e vídeos do show do Pixies no Lollapalooza

Pixies no Lollapalooza - Foto: DivulgaçãoO Pixies passou por São Paulo no dia 6 de abril para se apresentar no Lollapalooza 2014. A banda norte-americana subiu no Palco Skol do Autódromo de Interlagos num horário que marcava exatamente a transição do período da tarde para o noturno.

Para um público que foi enchendo todo o espaço destinado nas proximidades do Palco Skol, os músicos fizeram uma apresentação com vários clássicos da carreira e com músicas recentes.

Entre os hits apresentados, não ficaram de fora os já tradicionais “Hey”, “La La Love You”, “Monkey Gone To Heaven”, “Bone Machine”, “Where is my Mind? e “Here Comes Your Man”.

Das músicas recentes, que estarão no novo álbum da banda “Indie Cindy” previsto para maio, foram tocadas, por exemplo,  “Greens and Blues”, “Magdalena” e “Bagboy”. Todas elas têm clipes que o leitor do Roque Reverso viu por aqui desde o ano passado.

A apresentação do Pixies também trouxe a banda com sua mais nova baixista. A argentina Paz Lenchantin, que ocupa agora o lugar sagrado da eterna Kim Deal, mostrou que tem condições de substituir a baixista que segue carreira agora exclusivamente com o Breeders.

Pixies no Lollapalooza 2014 - Foto: DivulgaçãoPixies no Lollapalooza 2014 - Foto: DivulgaçãoPúblico no Lollapalooza 2014 - Foto: DivulgaçãoPixies no Lollapalooza 2014 - Foto: Divulgação

Houve quem reclamasse da frieza do Pixies no Lollapalooza, mas esta é uma já conhecida do grupo que só era ofuscada pela simpatia de Kim Deal.

O show não foi histórico como o do SWU, mas trouxe grandes momentos para o público paulistano. Para quem queria ver o Soundgarden, que tocaria logo na sequência no Palco Onix, foi necessário sair pouco antes do fim da apresentação do Pixies.

Para relembrar o show do Pixies no Lollapalooza, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Fique inicialmente com “Bone Machine”. Depois, veja a banda tocando “Here Comes Your Man” e “La La Love You”. Para fechar, a boa música nova “Greens and Blues”.

Set List

Bone Machine
Cactus
Something Against You
Broken Face
Brick Is Red
Gouge Away
Bagboy
Monkey Gone to Heaven
Blue Eyed Hexe
I’ve Been Tired
Magdalena
Caribou
Nimrod’s Son
Indie Cindy
Ed Is Dead
Where Is My Mind?
Here Comes Your Man
La La Love You
The Holiday Song
Greens and Blues
Hey
U-Mass
Planet of Sound

 

16
abr
14

AC/DC confirma afastamento de Malcolm, mas segue na ativa

AC/DC - Foto: DivulgaçãoO guitarrista Malcolm Young vai realmente se afastar do AC/DC por problemas de saúde, confirmou a banda por meio de um breve comunicado publicado em sua página na internet nesta quarta-feira, 16 de abril. Na nota, o AC/DC agradece aos fãs e informa que Malcolm “vai dar um tempo”, mas não entra em detalhes sobre os problemas de saúde enfrentados pelo fundador e coautor da maioria dos clássicos da banda.

O AC/DC também pede respeito à privacidade do guitarrista e da família neste momento de dificuldade. Segundo a imprensa australiana, Malcolm teria ficado com um coágulo no cérebro depois de sofrer um derrame, o que prejudicaria sua capacidade de continuar tocando.

A notícia levou a especulações de que os demais integrantes do AC/DC não continuariam com a banda.

No comunicado, porém, o AC/DC afirma que vai “continuar a fazer música”.

Com isso, é provável que, enquanto Malcolm busca recuperar a saúde, as especulações passem agora a girar em torno de quem passará a fazer a base para os solos endiabrados de Angus Young.

Para jogar boas vibrações para Malcolm Young e comemorar a permanência do AC/DC na ativa, o Roque Reverso descolou mais vídeos no YouTube que mostram o que a banda sabe mais fazer: divertir seus fãs. Fique com “For Those About to Rock” e “The Jack” e “Let There Be Rock”, todas ao vivo!

15
abr
14

Rock em luto com rumores sobre o fim do AC/DC

Nunca imaginei que um dia o rock fosse me deixar triste. Mas esse dia chegou: 15 de abril de 2014. A imprensa australiana está em polvorosa com os rumores sobre o fim do AC/DC. Em tempos de informações em tempo real sobre praticamente qualquer assunto, não é de espantar que em poucos minutos o burburinho tenha ganhado o mundo.

Ainda é preciso aguardar detalhes e também a confirmação da notícia, mas o que consta é que Malcolm Young estaria com um coágulo no cérebro decorrente de um derrame sofrido há algumas semanas.

O AC/DC reuniu-se no início de abril para ensaiar, segundo a mídia australiana. A ideia original da banda era entrar em estúdio para um novo disco e preparar uma turnê comemorativa pelas quatro décadas de carreira.

Por causa do derrame, porém, Malcolm não estava em condições de tocar como antes – e não se sabe se um dia voltará a fazê-lo. Apesar de ser comum a recuperação de pacientes na mesma situação de Malcolm, o restante da banda decidiu não seguir adiante sem seu líder.

As informações são atribuídas por jornalistas australianos a pessoas próximas ao AC/DC. O público costuma olhar apenas para Angus Young e Brian Johnson, mas Malcolm Young é considerado o responsável principal pela integridade musical e artística do AC/DC desde sua fundação, em 1973.

Além de ser o guitarrista base e membro fundador do AC/DC, é da autoria dele a maioria dos clássicos da banda nestes mais de 40 anos de estrada. São lendárias também as histórias de que Malcolm e Angus saíam no tapa quando divergiam por causa de algum riff.

Particularmente, não mantenho hoje nenhuma espécie de relação de idolatria ou reverência por quem quer que seja. Isso não evitou, no entanto, que a notícia me entristecesse ao extremo.

A Malcolm Young meu sincero desejo de que recupere a saúde. Se um dia puder voltar a tocar, melhor. Se não, registro minha gratidão pelos riffs que eletrizaram minha vida e certamente a de milhões de pessoas mais pelo mundo.

13
abr
14

Soundgarden preencheu lacuna histórica e saciou a vontade dos brasileiros no Lollapalooza

O público brasileiro aguardou décadas para ver o Soundgarden e essa espera valeu a pena, já que a banda norte-americana de Seattle fez um grande show no dia 6 de abril no Lollapalooza 2014. Para uma plateia que lotou o espaço destinado ao Palco Onix do festival, a banda, que, entre as grandes do festival era única inédita no País, trouxe inúmeros sucessos da carreira, especialmente dos grandes álbuns “Badmotorfinger”, de 1991, e “Superunknown”, de 1994.

Ninguém sabe explicar o motivo (nem mesmo o próprio Soundgarden) da lacuna histórica do grupo em palcos brasileiros. Eles já haviam chamado a atenção do público do heavy metal bem antes do Nirvana estourar no início da década de 90.

Aproveitaram toda a onda grunge de Seattle, alcançaram grande sucesso, acabaram e retornaram anos depois, já no século XXI.

Para sorte dos brasileiros, surgiu a grande oportunidade no Lollapalooza. Pontualmente às 18h55, Chris Cornell (vocal e guitarra), Kim Thayil (guitarra), Ben Shepherd (baixo) e Matt Chamberlain (bateria) subiram ao palco e tocaram durante 1h30, sem efeitos pirotécnicos e apostando apenas no bom e velho rock n’ roll.

A primeira da noite foi “Searching With My Good Eye Closed”, do álbum “Badmotorfinger”. A despeito de não ser tão badalada como outros hits do disco, que é considerado por muitos o melhor do Soundgarden, ela foi recebida pelos fãs como se fosse um clássico, tamanha a vontade de ver o grupo.

O som inicialmente parecia um pouco embolado, mas logo foi resolvido na segunda canção tocada, “Spoonman”, do disco “Superunknown”. A empolgação era grande no Autódromo de Interlagos e o clima ameno e o céu sem chance de chuva ajudaram a construir o cenário perfeito para a multidão apreciar o show.

Antes de “Spoonman”, Chris Cornell já havia agradecido ao público por “esperar tanto tempo” para ver a banda e, logo depois da antiga “Flower”, do longínquo disco de estreia “Ultramega OK”, de 1988, ele voltou a citar a demora, dizendo que “nunca era tarde demais”.

Na sequência, o Soundgarden emendou três músicas das mais admiradas pelos fãs da carreira da banda: “Outshined”, “Black Hole Sun” e “Jesus Christ Pose”, todas com clipes de sucesso imenso na TV, numa época que o YouTube nem existia.

Houve quem, especialmente nas redes sociais e vendo pela TV, criticasse a voz de Chris Cornell durante boa parte do show. Para quem estava em Interlagos, porém, o vocalista não comprometeu o show e cantou sem maiores problemas a maioria das canções.

Vale lembrar que Cornell está prestes a completar 50 anos (em 20 de julho). Não dá para exigir, portanto, performance idêntica do período da juventude do vocalista, quando ele estava entre as maiores vozes de Seattle e alcançava agudos quase sobrenaturais.

Antes de “Jesus Christ Pose”, clássico do “Badmotorfinger”, ele fez uma média com o público brasileiro, pois disse que a música não estava prevista inicialmente no set list, mas foi inserida no último ensaio da banda antes do show. Chegou a fazer o símbolo da cruz com a guitarra e o pedestal do microfone e ganhou mais uma vez a multidão.

A apresentação seguiu com “Like Suicide”, do “Superunknown”, e “Been Away Too Long”, a única do álbum mais recente da banda, “King Animal”, de 2012. Nem era preciso, mas o vocalista explicou que o pano de fundo do palco trazia exatamente a figura da capa do disco.

Depois do sucesso mais fresco, nada como resgatar três canções consecutivas do álbum mais vendido “Superunknown”, que completa 20 anos em 2014. “The Day I Tried to Live”, a ótima “My Wave” e a faixa-título foram executadas com perfeição e mostrou que os norte-americanos ainda têm anos de qualidade a oferecer aos fãs.

Se, para alguns, a voz de Cornell não é a mesma dos áureos tempos, a dupla Kim Thayil e Ben Shepherd continua com tudo. O primeiro mantém facilmente, ao lado de Jerry Cantrell, do Alice in Chains, o posto de melhor guitarrista da safra do grunge. O segundo traz com o baixo o complemento de peso que o Soundgarden precisa. O baterista Matt Chamberlain está apenas substituindo Matt Cameron, que excursiona com o Pearl Jam, mas, também com anos de estrada, mandou muito bem no instrumento.

As três músicas seguintes mantiveram o clima de Anos 90 no ar: “Blow Up the Outside World”, “Fell on Black Days” e “Burden in My Hand”. Enquanto a primeira e a terceira representaram o disco “Down on the Upside”, de 1996, quando o grupo caminhava para um período ruim da carreira,  “Fell on Black Days” foi tocada com enorme qualidade e deixou o público sem piscar.

Quando já havia uma sensação de que a apresentação chegava ao fim, Kim Thayil iniciou os acordes da frenética “Rusty Cage”, que elevou a energia da pista e gerou até pequenas rodas de mosh em lugares isolados. Esta talvez tenha sido a melhor do show e ainda contou com um bom jogo de luzes que a deixou ainda mais interessante.

Para fechar, o grupo tirou da manga ainda a música “Beyond the Wheel”, do primeiro disco. Durante a execução, Chris Cornell desceu do palco e foi literalmente para a galera, caminhando pelo corredor central que dividia a pista ao meio.

O saldo final do show foi bastante positivo, com elogios da crítica e do público presente. Com a apresentação no Lollapalooza, a banda preencheu uma lacuna histórica e saciou uma imensa vontade dos fãs. Resta agora saber se voltará ao País para uma performance exclusiva em alguma casa fechada, como fez o Alice in Chains recentemente em São Paulo.

Para relembrar o grande show do Soundgarden no Lollapalooza, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube. Fique inicialmente com “Black Hole Sun”. Depois veja “Jesus Christ Pose”, “My Wave” e “Fell on Black Days”, esta última filmada por nós direto do público. Para fechar, “Rusty Cage”.

Set list

Searching With My Good Eye Closed
Spoonman
Flower
Outshined
Black Hole Sun
Jesus Christ Pose
Like Suicide
Been Away Too Long
The Day I Tried to Live
My Wave
Superunknown
Blow Up the Outside World
Fell on Black Days
Burden in My Hand
Rusty Cage
Beyond the Wheel

12
abr
14

Set list, fotos e vídeos do show do Muse no Lollapalooza 2014

O Muse voltou a São Paulo no dia 5 de abril como a atração principal do Lollapalooza 2014. Para um público estimado de 70 mil pessoas, a banda britânica manteve a tradição de fazer shows apoteóticos e cheios de efeitos.

Na apresentação, foram tocados os vários hits que consagraram o grupo como um dos mais importantes do cenário atual do rock. Fortemente gripado, o vocalista Matthew Bellamy sofreu um pouco para cantar no nível de sempre as canções que mais exigiam dele.

Foi justamente por causa deste detalhe que atrapalhou a voz do vocalista que a banda vetou a transmissão do show pela TV paga.

O mesmo fator foi o responsável pelo cancelamento do show que o grupo faria dias antes em São Paulo no Grand Metropole, para frustração de 2.500 fãs que estavam esperando uma apresentação histórica na casa.

Quem viu os músicos no Rock in Rio do ano passado, achou que o Muse não repetiu a mesma grande performance. Entretanto, mesmo com o problema da voz de Bellamy, as avaliações foram de uma apresentação correta.

Destaque para um momento especial que trouxe o grupo executando a música “Lithium”, do Nirvana. Naquele dia 5 de abril, fazia 20 anos da morte de Kurt Cobain e esta foi a forma do Muse homenagear o líder morto da banda de Seattle.

Para relembrar o show que o Muse realizou no Lollapalooza, o Roque Reverso descolou vídeos no YouTube, alguns muito bem editados por usuários amadores fãs da banda.

Fique inicialmente com o de “Lithium”. Na sequência, fique com os de “Plug In Baby” e “Knights of Cydonia”.

Set list

New Born
Agitated
Lithium (Nirvana cover)
Bliss
Plug In Baby
The 2nd Law: Unsustainable
Butterflies & Hurricanes
Liquid State
Madness
Interlude
Hysteria
Starlight
Time Is Running Out
Stockholm Syndrome
Yes Please

The 2nd Law: Isolated System
Uprising
Knights of Cydonia

 

10
abr
14

Suicidal Tendencies volta ao Brasil para shows em Manaus e em festival que homenageia Charlie Brown Jr.

Cartaz de divulgação do festival Tamo Aí na Atividade - ReproduçãoQuem está de volta ao Brasil é o Suicidal Tendencies. A banda norte-americana descobriu que tem uma legião fiel de fãs por aqui e está no País pelo terceiro ano consecutivo. Desta vez, se apresentará no dia 11 de abril em Manaus e no dia 13 em São Bernardo do Campo, num festival que fará homenagem ao extinto grupo brasileiro Charlie Brown Jr.

Em Manaus, a apresentação acontecerá na Quadra da Aparecida, com ingressos saindo por R$ 120,00 já pelo lote físico. Em SBC, o grupo estará no evento Tamo Aí na Atividade, que será realizado na Estância Alto do Serra e contará com uma série de bandas e convidados.

Entre os nomes confirmados, além do Suicidal, estão o Garage Fuzz, o Dead Fish e o rapper Emicida.

Os ingressos inteiros de Pista para o festival que homenageia o Charlie Brown Jr. custam R$ 120,00.

Há, no entanto, a opção de compra de lote promocional a R$ 60,00 para estudantes ou para quem levar 1 quilo de alimento não-perecível.

Outra opção é o Camarote, cuja entrada inteira sai por R$ 160,00. No lote promocional, o ingresso sai pela metade.

O Suicidal Tendencies fez bons shows recentemente em São Paulo, tanto em 2013 como em 2012, quando tocou na Virada Cultural e no Clash Club, mesmo local se apresentou no ano seguinte.

 

09
abr
14

Set list, fotos e vídeos do show do Nine Inch Nails no Lollapalooza

O Nine Inch Nails passou por São Paulo no domingo, dia 5 de abril, como uma das principais atrações do Lollapalooza 2014. Confirmando o status de headliner do festival que aconteceu no Autódromo de Interlagos, o grupo norte-americano liderado pelo excelente Trent Reznor fez um dos melhores shows do evento, para muitos o melhor.

A despeito do público presente no Palco Onix ter sido menor do que a história da banda merecia, os fãs eram daqueles que estavam ávidos pelo retorno dos músicos ao País. Em um cenário obscuro, o show foi daqueles hipnóticos que grudam a atenção até daqueles menos entendidos no bom rock industrial do grupo.

Não ficaram de fora os vários hits que o Nine Inch Nails construiu ao longo da história.

De “Wish”, que abriu a apresentação, até a ótima “Hurt”, que fechou o show, passando por “March of Pigs”, “The Great Destroyer” e “Head Like a Hole”, os músicos norte-americanos conseguiram entregar o que o público desejava.

A música “Closer” teve apenas um trecho inserido ao final de “All Time Low”. Os fãs até pediram por ela na íntegra, mas ficou o gosto de “quero mais” no ar.

Para relembrar o show do Nine Inch Nails no Lollapalooza 2014, o Roque Reverso descolou alguns vídeos no YouTube. Fique com “Sanctified”, “All Time Low”,”Beside You in Time” e “Hurt”.

Set list

Wish
Letting You
Me, I’m Not
Survivalism
March of the Pigs
Piggy
Find My Way
Sanctified
Disappointed
All Time Low/Closer
Burn
The Great Destroyer
The Big Come Down
Gave Up
Hand Covers Bruise
Beside You in Time
The Hand That Feeds
Head Like a Hole
Hurt




O Roque Reverso está no ar!!!

Seja bem-vindo ao blog do rock and roll! Clique para acessar o post de abertura do blog!

Post inicial

Se você tem interesse na divulgação da sua empresa, seu trabalho ou banda, o Roque Reverso é um veículo que possui um respeitável número de leitores. Entre em contato conosco para conhecer nossos diversos planos:  roquereverso@hotmail.com

Preencha abaixo para receber atualizações do nosso blog em primeira mão e gratuitamente pelo seu e-mail! Não se esqueça de confirmar o recebimento do e-mail depois.

Junte-se a 62 outros seguidores

abril 2014
D S T Q Q S S
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Roque Reverso no Twitter

Vídeo da Semana: Metallica

Categorias

SOBRE VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

SOBRE OS VÍDEOS COMPARTILHADOS DO YOUTUBE

Mais Avaliados

Estatísticas

  • 270,275 hits